EAN - Projeto Amigos do Prato
Postado 12/06/2018

 
Postado por
Camila Ferreira de Rezende

Juiz de Fora - MG

Organização/Instituição Promotora da Experiência : Universidade Federal de Juiz de Fora
Área da Experiência: Consumo, Desenvolvimento/Assistência Social, Educação, Saúde
Niveis Atuacao: Municipal/Local
Setor da Organização/Instituição: Organização não governamental
Sujeito Idade: De 0 a 10 anos,
Número Aproximado de Participantes da Experiência : 0-50
Sujeito Caracteristica : Público atendido por Programas Sociais
Tipo Local: Escola / Creche
Tipo Experiência: Atividade Lúdica e Artística
Temática: Agricultura urbana e hortas , Alimentação do escolar, Higiene / conservação dos alimentos, Promoção da Alimentação Adequada e Saudável


Sobre A Iniciativa:

 O projeto "Amigos do Prato" se trata de uma intervenção sobre educação alimentar e nutricional que foi realizado no Instituto Maria, localizado na região de Juiz de Fora – Minas Gerais, no bairro São Matheus, que hoje,possui características de creche-escola e ainda permanece com trabalhos de cunho social, sem fins lucrativos, atendendo atualmente crianças de ambos os sexos. A instituição tem como objetivo oferecer educação e cultura às crianças que o frequentam, utilizando o método Montessori de ensino, como instrumento para transformar a realidade social. Além disso, seu regime é socioeducativo com gratuidade integral a crianças desprovidas material e socialmente. O diagnóstico dessa instituição com base no modelo de observação e questionamento, tanto do local quanto de suas necessidades, como também uma conversa de cunho investigativo com a coordenação pedagógica e a nutricionista responsável pelo local. Então, foi verificada pelas alunas, juntamente com as responsáveis técnicas pelo instituto, a necessidade do desenvolvimento de trabalhos de conscientização na alimentação saudável das crianças e também incentivo de consumo de alimentos mais naturais, visando também alimentos de menor custo, visto que se trata de crianças com baixo recurso socioeconômico.

 Com a realização deste trabalho, objetivou-se estimular conhecimento sobre alimentos, práticas culinárias e alimentares saudáveis, por meio de educação continuada, a um grupo de crianças, com faixa etária entre cinco a seis anos. Para que a promoção da alimentação saudável seja feita ainda na infância, onde se torna o momento propicio para assimilação de informações, e nessa idade poderemos ter mais sucesso na substituição e trocas alimentares, para uma prevenção de desenvolvimentos de doenças crônicas não transmissíveis ao longo da vida.

 O projeto amigos do prato, foi uma iniciativa das dicentes do curso de Nutrição : Ariane Dutra; Ariane Mattos; Camila Rezende; Christiani Souza; Fabielli Braga e Juliana Maluf, com supervisão das docentes Prof. Eliane Rodrigues de Faria e  Prof. Renata Maria Souza, como proposta bem sucedida da interligação das diciplinas Educação Alimentar e Nutricional com Saúde Pública. Surgiu então um projeto, para que as atividades de EAN, fossem desenvolvidas no âmbito social, levando a prática da educação alimentar e nutricional as dicentes da Universidade Federal de Juiz de Fora.



Passo A Passo:

O trabalho foi caracterizado através de 4(quatro) encontros, onde foi possivél, promover de forma lúdica e participativa, maior conhecimento sobre alimentação saudável como também a importância da escolha adequada dos alimentos no dia a dia; demonstrar a importância das hortaliças para uma alimentação saudável, como também levar um contato das crianças com as hortaliças existentes na horta da instituição; Incentivar hábitos de higiene pessoal e dos alimentos para o seu preparo e consumo, como também de práticas culinárias e estimular o consumo de frutas e sucos naturais pelas crianças, apresentando-lhes frutas do dia a dia e frutas diferenciadas.

  • Primeiro Encontro.

 A equipe foi direcionada pela coordenação do instituto até a sala de aula, onde foi apresentada pela coordenadora pedagógica às crianças e às professoras. As crianças foram convidadas a se assentarem em círculo, oportunidade em que foi realizada uma apresentação das integrantes do grupo e logo depois os alunos também puderam se apresentar. Em seguida, foi distribuído para as crianças e professoras um distintivo da “Patrulha do Prato” contendo o nome de cada um, integrando-os oficialmente à equipe.

 Depois disso, foi passado para as crianças a “missão do dia”, onde foi contada a história do Ryder, personagem de um desenho infantil chamado Patrulha Canina, utilizando desta forma a técnica verbal. Foi realizada uma adaptação e a narrativa feita contava sobre a missão do garotinho, que deveria salvar os pedestres e os motoristas da sua cidade que corriam riscos, pois, uma grande fumaça tomara conta de todo o trânsito, causando perigo a todos os envolvidos. Para que Ryder conseguisse organizar o trânsito, ele deveria acionar o semáforo, que era comandado por uma senha, que consistia basicamente em falar alimentos saudáveis e que as pessoas podem consumir todos os dias, tal ato fazia com que a luz verde do semáforo se acendesse. Quando Ryder quisesse que os motoristas ficassem parados, ele deveria falar alimentos que não são saudáveis e, que portanto, deve-se evitar o consumo diário, desta forma o sinal vermelho seria acionado.

 Depois que a história foi contada, foi proposta uma dinâmica para as crianças baseada no contexto apresentado, onde foi colado na parede um semáforo que continha às cores verdes e vermelhas. Os alunos receberam fichas e nessas fichas haviam alimentos diversos, considerados “saudáveis e não saudáveis”, como por exemplo, frutas, legumes, hortaliças, biscoitos, doces e refrigerantes. As crianças, então, aleatoriamente escolhiam uma ficha e teriam que falar se aquele alimento deveria ficar colado na cor verde ou vermelha, sabendo que os alimentos da cor verde podem ser consumidos diariamente e os alimentos da cor vermelha deveriam ser consumidos com moderação. Nesta atividade foi realizada a técnica ativa, onde cada criança participou junto com as alunas da dinâmica proposta. Durante a colagem das fichas no semáforo, a equipe foi abordando a cada um, o motivo da escolha e ressaltando a importância da escolha de cada alimento dentro do contexto de uma alimentação saudável.

  Depois que todos os alunos colaram seus alimentos, eles foram direcionados a mesa, é lá receberam a ficha de avaliação, onde deveriam colorir o rosto correspondente ao seu grau de satisfação com as atividades realizadas. Para finalizar a atividade do dia, foi distribuído para cada criança um lápis com um semáforo confeccionado em E.V.A, nas cores verde e vermelho, para que a criança pudesse fixar o aprendizado e levar para casa como recordação.

  • Segundo Encontro

  No segundo encontro, as crianças foram orientadas a se assentarem em círculo, oportunidade em que foram redistribuídos os distintivos da “Patrulha do Prato” e foi realizado um bate papo sobre o primeiro encontro, recapitulando a temática trabalhada. Em seguida foi iniciada uma roda de conversa sobre a horta, destacando a importância das hortaliças para uma alimentação saudável. As crianças tiveram oportunidade de falar sobre as suas experiências, se conheciam ou já tinham tido contato com alguma horta, quais são as hortaliças que elas mais gostavam de comer, etc. Foi enfatizado pelas crianças, que as hortaliças deveriam ser alocadas na cor verde do semáforo, pois poderiam ser consumidas todos os dias. Nessa primeira etapa, utilizou-se a técnica verbal e ativa.

  Logo depois, as crianças foram direcionadas à horta da instituição, onde tiveram oportunidade de conhecer e visualizar diversos tipos de hortaliças, além de algumas frutas e legumes lá existentes. Uma das integrantes do grupo realizou o plantio de três mudas de hortaliças bastante consumidas no dia a dia: cebolinha, alface e couve. As crianças acompanharam todo o processo de plantio, sendo destacado a importância da água para que as mudas crescessem fortes, assim como o cuidado com o meio ambiente. Nessa atividade foi realizada a técnica verbal e intuitiva. As professoras foram orientadas a levarem os alunos semanalmente para acompanhar crescimento das mudas e, quando elas tiverem preparadas para o consumo, serão colhidas e consumidas pelas crianças.

  Ao retornar à sala de aula, as crianças foram organizadas em quatro grupos, e foram distribuídos envelopes contendo peças de um quebra-cabeças, cuja imagem representava uma hortaliça apresentada no dia. Cada acadêmica ficou responsável por um grupo e auxiliou os alunos na atividade de montagem. Quando todos os grupos conseguiram montar seu quebra-cabeças, o mesmo foi apresentado para os outros amigos. Em seguida, foi distribuído um desenho com diferentes tipos de hortaliças para que os alunos pudessem colorir individualmente. Nessas duas últimas atividades, lançou-se mão da técnica ativa.

  Para finalizar, foi distribuída a avaliação dos alunos com relação atividade do dia para que pudessem colorir. Logo depois, foi distribuído para cada criança um chaveiro de folhas verdes em diferentes tons, representando as cores das diversas hortaliças, para que elas pudessem se lembrar de todo o conteúdo aprendido nesse segundo encontro.

  • Terceiro Encontro 

No terceiro encontro, as crianças foram orientadas a se assentarem em círculo, oportunidade em que foram distribuídos os distintivos da “Patrulha do Prato” e realizada uma conversa acerca do encontro anterior, onde foi trabalhada a temática da horta e das hortaliças. Em seguida, foi repassada a “missão do dia”, que seria a montagem de um sanduíche saudável, denominado de “Sanduba animal”. Contudo, inicialmente foi destacado a importância de se lavar as mãos antes de fazer as refeições, sendo realizada uma breve conversa sobre este tema. Nessa atividade, usou-se a técnica verbal.

   Em seguida, foi passado um vídeo que continha uma música, cujo conteúdo incentivava a lavagem das mãos de forma animada e lúdica. Para fixação do aprendizado foi proposta uma dinâmica, onde uma das acadêmicas teve seus olhos vendados, e deveria realizar a lavagem das mãos, contudo foi utilizada tinta guache, para que as crianças pudessem observar onde sujeira se acumula quando a lavagem não é feita de forma correta. Em seguida, a venda foi retirada, e a duas acadêmicas apresentaram a forma correta de lavagem das mãos, destacando os locais principais, o uso do sabonete, da água de forma racional e da toalha para secagem completa. Nessas duas atividades, utilizou-se a técnica verbal e intuitiva. Após a demonstração, as crianças, como forma de fixação do aprendizado, foram direcionadas a pia e as integrantes do grupo os ajudaram a lavar as mãos corretamente, caracterizando a aplicação da técnica ativa.

 Encerrada a etapa da higienização das mãos, as crianças foram distribuídas nas mesas em grupos de quatro alunos, sendo apresentados alguns legumes e hortaliças como beterraba, cenoura, tomate, alface, manjericão em sua forma “in natura” e pré-preparados, ou seja, já higienizados, descascados e picados, utilizando desta forma, a técnica intuitiva. As crianças apontaram quais conheciam, se já haviam experimentado, assim como se habitualmente consumiam os mesmos. Nessa oportunidade, então, foi proposta a missão de montar um “Sanduba animal”, que consistia em um sanduíche saudável, com os ingredientes apresentados no dia, e que pudesse fornecer bastante energia.

 As crianças foram uma a uma, conduzidas até a bancada para montagem do sanduíche, cujos ingredientes disponíveis eram: pão integral, cenoura ralada, tomate em rodelas, beterraba ralada, manjericão e queijo minas. A escolha dos ingredientes foi feita por cada criança, sem interferência das acadêmicas. Caracterizando assim a técnica ativa. Além do sanduíche, as crianças também receberam um suco feito com beterraba, cenoura e laranja para que pudessem experimentar esses alimentos, também na opção de bebida. Para finalizar o encontro, foi distribuída aos alunos a avaliação para colorir, se gostaram ou não das atividades realizadas. 
  • Quarto Encontro 

 Nesse quarto encontro, as crianças foram direcionadas a se assentarem em forma de círculo, e novamente foram distribuídos os distintivos da “Patrulha do Prato”. Uma das acadêmicas conduziu junto com os alunos uma reflexão de tudo o que foi aprendido durante todas as intervenções realizadas, relembrando as temáticas e atividades até então abordadas. Nessa atividade, utilizou-se a técnica verbal.

 Logo depois, as crianças retornam para a mesa e a primeira missão do dia foi explicada. A missão foi denominada de “Caixa Surpresa”, que consistia numa atividade que tinha como objetivo fazer com que as crianças descobrissem através do tato qual fruta tinha dentro da caixa surpresa. Foram distribuídas quatro caixas, uma para cada mesa e dentro das caixas havia uma fruta surpresa. A crianças deveriam descobrir qual fruta estava dentro da caixa usando o tato, além disso, algumas dicas foram dadas, com o objetivo de facilitar a descoberta. Depois que todos os grupos conseguiram descobrir qual fruta estava dentro da caixa, as crianças voltaram, juntamente com a acadêmica responsável por cada mesa, e foram orientadas a se assentarem em grupos. Cada grupo deveria descobrir, através das dicas, qual era a fruta do grupo oposto, por exemplo, as crianças que descobriram a maçã dentro da caixa deveriam dar dicas para que os outros coleguinhas também pudessem descobrir qual era a fruta e vice e versa. Tal atividade foi realizada com a aplicação da técnica verbal e ativa.

 Após essa atividade, continuando a temática “frutas”, as crianças foram apresentadas à uma fruta pouco conhecida e consumida por eles, o kiwi. Os alunos tiveram a oportunidade de conhecer, pegar e também experimentar a fruta, que teve ótima aceitação entre as crianças. Nessa atividade estava incluída as três técnicas: verbal, intuitiva e ativa.

 Logo despois, foi passado um vídeo contendo a música o “Rock das Frutas", onde as crianças puderam conhecer diversas frutas e aprender um pouco mais sobre elas de forma divertida, animada e lúdica. Nessa atividade, lançou-se mão da técnica intuitiva.

 Depois da música, as crianças foram conduzidas a lavar as mãos adequadamente para realizarem uma nova missão, que consistia na montagem de uma salada de frutas, onde as frutas foram apresentadas na sua forma íntegra e também picadas. Utilizou-se as técnicas ativa e intuitiva, respectivamente.

 A montagem da salada de frutas foi feita pelas próprias crianças que puderam escolher pelas seguintes opções conforme seus gostos: maçã, banana, mamão, hortelã e suco de laranja, oportunidade em que puderam degustar diferentes combinações possíveis. Nessa atividade, aplicou-se a técnica ativa.

 Encerrada a degustação da salada de frutas, as crianças receberam garrafinhas personalizadas da “Patrulha do prato” contendo o suco de uma fruta não comumente utilizada para tal, sendo a escolhida pelo grupo a melancia. Foi distribuída uma garrafinha plástica contendo um personagem aleatório da patrulha canina e com o nome de cada aluno. Em seguida, foi distribuída a avaliação para que as crianças pudessem colorir, como de costume. Além disso, foi entregue também uma avaliação para as professoras e a nutricionista da instituição para que pudessem avaliar as quatro intervenções realizadas pelas alunas.

 Para finalizar, as crianças receberam como lembrança da atividade uma caneta colorida com aroma de fruta. E como forma de agradecimento, foi entregue para todos os envolvidos, incluindo alunos, professoras e nutricionista, um certificado de participação das atividades da Patrulha do Prato, destacando a importância de cada um na missão de aprender sobre alimentação saudável. Foi enviado para os pais um calendário de sazonalidade de frutas e legumes para que o mesmo possa ser colado na geladeira de casa, com a intenção de uma educação continuada para a família e com o objetivo de aproveitar os alimentos da safra e economizar dinheiro.



Considerações:

 Com a realização de diferentes abordagens e técnicas, foi possível explorar o ensino e aprendizagem de diversas óticas nas crianças do instituto. Todos os projetos e a troca de idéias foram realizados com materiais de fácil aquisição e acessíveis, o que tornou possível a realização de todas as atividades e descartando a idéia de que sejam necessários elevados recursos e/ou materiais sofisticados. Todas as atividades trabalhadas com as crianças foram de grande valia, visto que proporcionou uma integração entre o universo acadêmico com a atuação e vida profissional de um nutricionista, pelo processo característico de ensino e aprendizagem de todos os realizadores do projeto. A vivência contribuiu para a promoção de uma alimentação saudável e práticas de higiene e de saúde para as crianças, como também aperfeiçoamento na formação de educadores de alimentação e nutrição dos realizadores do projeto. Além de ter permitido a cada uma das acadêmicas de nutrição adquirir um olhar mais profundo no que se refere à realidade que envolve os trabalhos sociais, bem como os desafios e as limitações enfrentadas em seus vários aspectos.

 As atividades de EAN – educação alimentar e nutricional, feita de uma forma lúdica e divertida propiciou as crianças a uma nova relação com os alimentos, como também na formação de novos conhecimentos sobre alimentação e nutrição, o que pode repercutir na construção e continuidade de hábitos alimentares saudáveis, que se faz necessário na idade pré-escolar, para que se possa pendurar até a vida adulta.

 Além disso, as intervenções proporcionaram a experiência em desesnvolver atividade voltadas para a nutrição com o público infantil, fazendo com que se destacasse uma vez mais, a necessidade de realizar um trabalho de educação continuada para que se possa verificar resultados positivos a médio e longo prazo, possibilitando mudanças de hábitos alimentares e estilos de vida com o intuito de alcançar os pais e as famílias dos alunos. 

 O encerramento do projeto deixou uma grande satisfação em todos os participantes, e foi então entendido em como a educação alimentar e nutricional se faz importante para o desenvolvimento e relação das crianças com os alimentos saudáveis, e como o trabalho de educação e didática traz grande satisfação e aprendizado os acadêmicos de nutrição. 

            







Álbum de Fotos da Experiência



Biblioteca da Experiência
1 - Vídeo sobre higiene das mãos
2 - Vídeo das Frutas


Experiências Relacionadas







Observatório Opsan UNB
facebook
twitter
Layout e programação do site Identidade visual
Faça o ligin para continuar!

clique aqui