Ideias na Mesa - Blog


postado por Carla Tavares de Moraes Sarmento em Quinta-feira, 14 de Julho de 2016

arvore de maos

Em pleno século XXI, nosso país está entre as dez potencias mundiais, no entanto, como todos sabemos, enfrentamos uma crise econômica e social que tem aspectos crônicos, entre eles a educação, que sofre consequências deste momento, mas também é, de certo modo, também fator para esta mesma crise. O censo demográfico de 2010 revela que 4 milhões de crianças e adolescentes estão fora das escolas e metade da população não concluiu o ensino fundamental. Também não existe boa infraestrutura em muitas escolas,  metade dos professores da zona rural tem formação inadequada e as escolas urbanas tem número insuficiente de profissionais. (MANDELLI, 2012).

Atualmente, o conhecimento não está mais restrito aos livros ou personificado no professor. Hoje o saber é ilimitado e totalmente indominável (LEVY, 2000). E o professor deve ser um facilitador da inteligência coletiva, aprendendo junto com o aluno, e não mais um transmissor de conhecimento pré-formatado. Neste cenário, a produção do conhecimento, a reflexão, a análise crítica e as novas ideias acontecem em um processo articulado e simultâneo.

Diante disso, talvez o grande desafio seja como, em sala de aula,  colocar em prática um modelo de educação eficaz, considerando a necessidade de apresentar o conhecimento e a maneira como será percebido e apropriado pelo aluno.

A UNESCO apresenta um modelo de educação centrado em quatro pilares onde um não é mais importante que o outro e sim os quatro se completam na mesma intensidade e complexidade.

Os quatro pilares da educação são:

 

  1. Aprender a conhecer – um pilar que visa o domínio dos próprios instrumentos do conhecimento. O conteúdo não deve ser simplesmente passado para o aluno em uma via de mão única. O professor deve se valer do conteúdo para que o aluno aprenda a perceber a realidade dele e do mundo em que vive.
  2. Aprender a fazer – o aluno aprende a se relacionar, socializar e considerar a importância do trabalho em equipe em prol de um bem maior
  3. Aprender a viver – viver juntos, ou seja, aprender a viver com os outros. O professor deve ser capaz de desenvolver no aluno suas competências para transformar o que aprendeu.
  4. Aprender a ser – finalmente ter o conhecimento de si mesmo para se abrir, em seguida, a relação com o outro. Se o aluno aprende a ser, ele não vai apenas repetir conceitos aprendidos anteriormente.

 

Nesse contexto, é possível questionar se, enquanto docentes de EAN, estamos conseguindo estimular que o futuro nutricionista aprenda a conhecer profundamente a realidade em que vivemos e aprenda a fazer, com os instrumentos existentes, um trabalho voltado às necessidades da nossa sociedade. Também vale a reflexão se estamos promovendo o  viver junto, a compreensão do outro na sua mais profunda vontade. E, por fim, ensinando a ser com sensibilidade, ética, responsabilidade e principalmente, permitindo que o outro também seja.

O pensar dessa maneira, talvez nos leve a criar um espaço em sala de aula que possibilite o crescimento não só do nosso aluno mas também do educador. E, segundo  o sociólogo Edgar Morin, “a revolução do sistema educacional vai passar pela reforma na formação dos educadores. É preciso educar os educadores. Os professores precisam sair de suas disciplinas para dialogar com outros campos de conhecimento. E essa evolução ainda não aconteceu. O professor possui uma missão social, e tanto a opinião pública como o cidadão precisam ter a consciência dessa missão”. [Leia a entrevista aqui]

 

Carla  Tavares de Moraes Sarmento pela equipe Ideias na Mesa

Brasília 14 de julho de 2016

 

 

Referências: 

DELORS, Jacques (org.). Educação um tesouro a descobrir – Relatório para a Unesco da Comissão Internacional sobre Educação para o Século XXI. Editora Cortez, 7ª edição, 2012. Disponível em:

http://unesdoc.unesco.org/images/0010/001095/109590por.pdf

LEVY, Pierre. Cibercultura. Tradução por Carlos Irineu da Costa. 2.ed. São Paulo: Editora 34, 2000. 264 p.

MANDELLI, Mariana. Censo escolar 2011: raio x da educação básica no país. Publicado no site Todos pela Educação em 26/04/2012. Disponível em:  http://www.todospelaeducacao.org.br/comunicacao-e-midia/noticias/22473/censo-escolar-2011-raio-x-da-educacao-basica-no-pais/


 

 



Observatório Opsan UNB
facebook
twitter
Layout e programação do site Identidade visual
Faça o ligin para continuar!

clique aqui