O Direito Humano à Alimentação Adequada e Saudável das Mulheres: expandindo horizontes para a construção da cidadania pela

A cartilha, produzida pela FIAN tem como objetivo contribuir para o monitoramento do  DHAA a partir do enfoque dos Direitos Humanos das Mulheres. Busca também, além da categoria de gênero, fornecer ao leitor uma análise das experiências, lugares e diferentes sistemas (sexo / gênero, raça e classe) relacionados à alimentação, que estão ao redor das mulheres. Nesse sentido, o dcumento se afasta de posições tradicionais para avançar em uma leitura feminista da lei, colocando o patriarcado e o capitalismo como os principais obstáculos para o avanço da cidadania plena, que permite a garantia do DHAA das mulheres, de sua autonomia e soberania alimentar.

A cartilha se dirige a mulheres, líderes de organizações, Universidades e ao público em geral com interesse em acompanhar importante relação entre as mulheres e o DHAA. Ela é composta por quatro partes que tratam de questões como a situação alimentar das mulheres, os regulamentos relacionados a esse direito e como são abordados; e, por fim, sugere um instrumento que visa acompanhar o status do DHAA das mulheres e das políticas ou ações públicas relacionadas às mulheres, permitindo a exigibilidade política e social do DHAA.

O primeiro capítulo apresenta informações quantitativas sobre a situação do DHAA das mulheres. É dividido em duas partes: a primeira sobre a situação alimentar das mulheres no mundo; e uma segunda sobre a situação das mulheres e da comida na Colômbia. 

O segundo capítulo tem como objetivo dar uma palestra sobre as normas internacionais de direitos humanos das mulheres e seus pronunciamentos sobre a DHAA, mostrando os padrões internacionais.

O terceiro capítulo aborda os conceitos básicos sobre a contribuição das mulheres na conceitualização e construção de categorias analíticas para o progresso na transformação de tendências sexistas. Assim, as tensões teóricas e práticas são identificadas, revelando condições institucionais, simbólicas e políticas que cruzam reflexões contemporâneas a partir feminismos em torno alimentação mulheres, soberania e autonomia sobre seus corpos e projetos de vida ea as potencialidades do direito de construir cidadania plena no contexto das participações sociais das mulheres, com vista a consolidar uma democracia com igualdade substantiva.

Finalmente, o documento propõe um instrumento de acompanhamento do DHAA das mulheres. 

Ver todas as Publicações
Observatório Opsan UNB
facebook
twitter
Layout e programação do site Identidade visual
Faça o ligin para continuar!

clique aqui