Ideias na Mesa - Blog


postado por Isadora Dias Nunes de Sena em Quarta-feira, 27 de Julho de 2016

 

Desde a última década o Brasil é campeão mundial no uso de agrotóxicos e possui um problema antigo de subnotificação de intoxicação por esses produtos. Pensando nisso o [Biblioteca do Ideias] de hoje traz o "Pequeno Ensaio Cartográfico Sobre o Uso de Agrotóxicos no Brasil", lançado esse ano pela geógrafa Larissa Mies Bombardi que a cinco anos tem se dedicado a estudar o impacto do uso dos agrotóxicos no país, em especial a partir do mapeamento dos casos de intoxicação.

Larissa, Coordenadora do Laboratório de Geografia Agrária da Faculdade de Filosofia Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP, buscou com esse material facilitar a busca por mapeamentos que subsidiem o debate sobre a agricultura brasileira e, particularmente, naquilo que se refere ao uso de agrotóxicos. Calcula-se que a cada brasileiro cabe uma média de 5,2 litros de venenos por ano, o equivalente a duas garrafas e meia de refrigerante, ou a 14 latas de cerveja, e, segundo a professora, de 2007 a 2014 foram notificados 1186 casos de morte por intoxicação com agrotóxicos.

A pesquisadora reuniu os dados sobre os venenos agrícolas em uma sequência cartográfica que dá dimensão complexa a um problema pouco debatido no país. Os mapas presentes no material são chocantes, pois mostram a realidade: mortes por intoxicação, mortes por suicídio, entre outras.

Mas como a pesquisadora coloca na apresentação do artigo: “Esses dados mostram apenas a ponta do iceberg”, pois apesar de levar em conta os registros do Ministério da Saúde para enfermidades agudas (aquelas direta e imediatamente conectadas aos agrotóxicos) ficam de fora dos cálculos às doenças crônicas, aquelas provocadas por anos e anos de exposição aos venenos, entre as quais o câncer. Nesse contexto muitas pessoas não chegam a procurar o Sistema Único de Saúde (SUS) e muitos profissionais ignoram os sintomas provocados pelos venenos, que muitas vezes se confundem com doenças corriqueiras.

Além disso, ela ressalta que os dados apresentados referem-se àqueles que vieram a ser notificados e calcula-se, que no Brasil, para cada caso de intoxicação por agrotóxico notificado, tenhamos cinquenta outros não notificados. Isto significa que temos uma subnotificação da ordem de 1 para 50. Assim, se tivemos 25 mil pessoas atingidas entre 2007 e 2014, multiplica-se o número por 50 e chega-se mais próximo da realidade: 1,25 milhão de casos em sete anos.

Esse material é um ensaio para uma publicação maior que abrangerá todo material reunido por Larissa, o "Atlas do Uso de Agrotóxicos no Brasil", com previsão para lançamento no segundo semestre e que trará um mapeamento bastante abrangente e com dados recentes.

Veja aqui o material completo na nossa biblioteca.

E aqui uma entrevista com a geógrafa Larissa Mies Bombardi falando sobre o tema.



Observatório Opsan UNB
facebook
twitter
Layout e programação do site Identidade visual
Faça o ligin para continuar!

clique aqui