Ideias na Mesa - Blog


postado por Isadora Dias Nunes de Sena em Sexta-feira, 24 de Junho de 2016

“A palavra ‘paraíso’ vem do persa ‘paradiso’, que quer dizer ‘jardim’. Se transformarmos nosso modelo agrícola em jardim, o planeta tem tudo pra se transformar em paraíso”. Com essa fala começa o filme do [Comida na Tela] de hoje: "Por que não o paraíso?". Produzido pelo Projeto Céu e Terra, traz um olhar sobre a experiência de Marsha Hanzi, precursora da Permacultura no Brasil, e de sua equipe. Eles criaram o Epicentro Marizá, sítio agroecológico no sertão da Bahia com o intuito de apontar possíveis caminhos de transformação para a humanidade e o planeta.

"O pessoal da permacultura diz que todos os grandes problemas do planeta se resolvem num jardim, transformando esse planeta em jardim a gente ta transformando esse planeta em paraíso, e esse planeta tem tudo pra se transformar em paraíso. Se a gente transforma nosso modelo agrícola em jardim, em jardinagem em larga escala, que é o que a agroecologia e a permacultura propõem, ele virará um paraíso" É nisso que acredita Marsha, fundadora do Instituto de Permacultura da Bahia em 1992, e que em 2003 saiu da cidade grande rumo ao povoado de Marizá no município de Tucano, sertão da Bahia, para começar o projeto “Marizá Epicentro de Cultura e Agroecologia”.

O trabalho feito no Projeto segue quatro princípios que norteiam há onze anos ela e sua equipe. A transformação de 19 hectares de areia seca num belo jardim produtivo, cheio de árvores, flores silvestres, cantos de mais de 60 tipos de passarinhos e uma importante proposta com as PANCS do sertão: a boa vizinhança e contribuição para a comunidade; a produção semissilvestre de alimentos saborosos; a cura – de pessoas, do lugar, e do planeta - a vida multidimensional, onde a magia interpenetra o quotidiano.

Na página do Epicentro eles afirmam: "Já temos todos os conhecimentos necessários para transformar este planeta num belo paraíso. Todas as técnicas e estratégias foram testadas e estão prontas para a implantação: a agroecologia, construções biológicas, energias alternativas, moedas locais, estruturas sociais de cooperação e de ajuda mútua.". Fica então a questão, por que não o paraíso?

Assista e inspire-se:



Observatório Opsan UNB
facebook
twitter
Layout e programação do site Identidade visual
Faça o ligin para continuar!

clique aqui