Ideias na Mesa - Blog


postado por Nathália Bandeira Vilhalva Gheventer em Quarta-feira, 22 de Junho de 2016

 

O Brasil, de acordo com suas raízes históricas, culturais e econômicas, usufrui majoritariamente de um modelo de agricultura pautado no agronegócio. Este sistema econômico dá origem a inúmeras consequências sociais, conflitos de terras, apropriação de bens de comunidades tradicionais, indígenas e quilombolas, intoxicação humana pelo manejo de pesticidas, além do próprio impacto nos recuros naturais 

O Mato Grosso, inclusive, é um estado brasileiro que possui uma conformação econômica voltada aos latifúndios de exportação de commodities. Detentor da maior produção de soja, milho, gado e algodão do país, ocupa também o lugar de maior consumidor de fertilizantes químicos e agrotóxicos.

O [Biblioteca do Ideias] de hoje traz à tona um documento divulgado recentemente pelo IPES – Food (Painel Internacional de Especialistas em Sistemas Alimentares Sustentáveis), uma organização não governamental, que reúne diversos especialistas na construção de debates, materiais e análises de temas como desnutrição, obesidade, insegurança alimentar e degradação ambiental no olhar do sistema alimentar.

 

 

O documento em questão se chama “Da Uniformidade à Diversidade: Uma mudança de paradigma da agricultura industrial para sistemas agroecológicos diversificados ", que analisa os mais recentes dados sobre os resultados dos diferentes modelos de produção, e identifica oito principais razões do porquê a agricultura industrial ocupa o seu lugar de status, apesar de seus resultados negativos. Ele também traça uma série de passos para quebrar esses ciclos.

 

 

O estudo reforça ainda que apesar das inúmeras evidências científicas a respeito da viabilidade econômica e social da agroecologia, o agronegócio ainda predomina no cenário atual pelo seu maior potencial de geração de lucros, mesmo que insustentáveis, às empresas.

Apesar deste material estar em inglês, vale a pena dar uma conferida! O documento encontra-se em nossa biblioteca.

Para saber mais sobre o IPES- Food, acesse aqui. 



Observatório Opsan UNB
facebook
twitter
Layout e programação do site Identidade visual
Faça o ligin para continuar!

clique aqui