Ideias na Mesa - Blog


postado por Isadora Dias Nunes de Sena em Quarta-feira, 08 de Junho de 2016

Você conhece as mulheres camponesas do interior paulista atingidas por barragens que passam por dificuldades na produção e comercialização de seus produtos?

E as mulheres indígenas e quilombolas que lutam por mudanças no cardápio das escolas?

O [Biblioteca do Ideias] de hoje apresenta o caderno "Mulheres do campo construindo autonomia - experiências de comercialização" que traz essas e outras histórias de grupos de mulheres que enfrentam dificuldades para se inserir em mercados formais de distribuição de alimentos. 

As mulheres no Brasil têm papel fundamental na agricultura familiar, sendo responsáveis por boa parte dos alimentos consumidos pela população brasileira, como 87% da mandioca e 70% do feijão. Elas também promovem a agroecologia, produzindo alimentos saudáveis e diversificados, sem utilizar agrotóxicos, conservando as sementes, cultivando plantas medicinais e contribuindo para o fortalecimento da biodiversidade. Mas, apesar da representatividade e dos benefícios da presença feminina na produção de alimentos, elas ainda encontram dificuldades para se inserir no mercado, como protagonistas de sua própria produção.

Essas foram alguma reflexões que motivaram o seminário “Gênero e Mercados Inclusivos” promovido pela agência ecumênica de cooperação britânico-irlandesa Chirstian Aid e seus parceiros: Sempreviva Organização Feminista (SOF), Comissão Pró-Índio de São Paulo (CPI-SP), Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) e Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB).

Realizado em 2015, na cidade de São Paulo, reuniu cerca de 25 mulheres entre agricultoras familiares, indígenas, trabalhadoras assentadas, atingidas por barragens e representantes dessas entidades e movimentos. Por dois dias, foram discutidas estratégias e desafios para a auto-organização, produção e comercialização, dando visibilidade à contribuição econômica das mulheres e fortalecendo-as nesse processo.

O caderno "Mulheres do campo construindo autonomia - experiências de comercialização" é resultado desse encontro e traz reflexões sobre o tema, a partir de diferentes experiências de grupos de mulheres rurais de todo Brasil.

O ponto inicial de reflexão é que para compreender as desigualdades entre homens e mulheres no acesso aos mercados institucionais, é necessário, em primeiro lugar, reconhecer a importância econômica do autoconsumo, da doação e da troca, além da essencial contribuição feminina com todo o trabalho de cuidado da casa, das pessoas e da natureza. Nesses debates, ficam claras as inter-relações entre a autonomia econômica, política e pessoal das mulheres, como processos simultâneos, um sustentando o outro.

Assim, compõem o caderno assuntos como a agricultura familiar, agroecologia, autoconsumo, cooperativas, economia solidária, entre outras práticas de grande relevância para as mulheres, abordando seus desafios e potencialidades.

Leia o caderno na íntegra aqui.



Observatório Opsan UNB
facebook
twitter
Layout e programação do site Identidade visual
Faça o ligin para continuar!

clique aqui