Ideias na Mesa - Blog


postado por Rafael Rioja Arantes em Quarta-feira, 23 de Março de 2016

O dia 22 de março é considerado o Dia Mundial da água desde 1992 quando a Organização das Nações Unidas decretou a data para que fossem realizadas discussões sobre este bem tão precioso. A água é um elemento fundamental para vida e é utilizada nas mais diversas atividades, por isto, o seu acesso é um direito universal e também o uso consciente uma responsabilidade de todos.

Cada vez mais questões relacionados a crise hídrica vem se acentuando nas grandes metrópoles mundiais, e no Brasil o cenário não é diferente. Neste sentido, a ONG Proteste, organismo a serviço do consumidor brasileiro, lançou uma cartilha disponível em nossa biblioteca com orientações para o uso racional da água e informações sobre a garantia do acesso. O documento apresenta considerações acerca da importância deste líquido e evidencia como o seu acesso deve ser garantido de acordo com o Código de Defesa do Consumidor além do que deve ser feito caso algum problema ocorra.  

O PROTESTE fala também do papel da sociedade civil na cobrança de uma administração racional dos recursos hídricos, afinal de contas as secas dizem respeito não apenas a fenômenos meteorológicos, mas à gestão adequada destes recursos. A entidade também fornece dicas de como podemos economizar água a nível individual, como por exemplo utilizar cisternas para armazenamento de água da chuva para ser utilizada ao regar plantas, lavar calçadas e carros, monitorar constantemente possíveis vazamentos e fechar torneiras e chuveiros quando utiliza-los.

É importante ressaltar que as ações individuais são fundamentais para proteger a sustentabilidade hídrica, entretanto, é também preciso ter em mente que os principais setores responsáveis - e disparado - pela utilização de água são o agrícola e o industrial. Desta forma, a sociedade civil precisa cobrar assim como as entidades verificarem que eles se comprometam e façam um uso responsável deste bem.

Algumas indústrias são responsáveis por liberar contaminantes químicos que comprometem a qualidade da água e a biodiversidade de rios e mananciais. A agroindústria não é diferente, o uso irresponsável e indiscriminado de agrotóxicos nas lavouras traz além de problemas para saúde humana, grandes prejuízos à aquíferos, solo e o ar que são contaminados com os venenos.

Acesse a cartilha em nossa biblioteca.        




Observatório Opsan UNB
facebook
twitter
Layout e programação do site Identidade visual
Faça o ligin para continuar!

clique aqui