Ideias na Mesa - Blog


postado por Rafael Rioja Arantes em Sexta-feira, 21 de Agosto de 2015

O fim de semana está chegando e por que não uma boa comédia para descontrair? Aqui vai a nossa indicação “Casamento Grego”.

O enredo traz a história da personagem Toula Portokalos (Nia Vardalos) - filha de uma família grega bastante tradicional que reside nos Estados Unidos - uma garçonete de 30 anos que trabalha no restaurante da família. Seu pai tem uma personalidade extremamente patriotista e a história se desenrola a partir de sua insatisfação com que sua filha se case com um não grego.  

Além de divertida, a trama apresenta é claro alguns componentes relacionados à cultura alimentar que merecem os créditos.

A alimentação grega, umas das classificadas como mediterrânea, é conhecida mundialmente como sinônimo de saúde por ser baseada em um consumo significativo de frutos do mar, óleos vegetais e produtos integrais. Além do aspecto nutricional, ela é também sinônimo de abundância, festividade e encontros familiares.

O filme evidencia bastante o aspecto cultural-familiar que o ato de comer propicia. Na primeira cena do filme Toula ouve a seguinte frase do pai: “Você deve casar com um homem grego, fazer filhos gregos e alimentar todo eles”. Apesar de certa carga machista, que vai se desarmando ao longo do filme quando Toula, as tias e a mãe assumem o protagonismo, já fica clara a afinidade entre a cultura grega e a comida.

Assistindo ao filme com um olhar voltado para o ato de comer, é perceptível que as decisões mais importantes são na grande maioria das vezes conversadas em torno da mesa. É tomando um café no restaurante da família que os pais e a tia de Toula decidem que ela deve ir para Grécia arranjar um marido. 

Trabalhando na empresa da tia Toula se apaixona pelo britânico Ian, o que deixa seu pai extremamente contrariado. Na tentativa desesperada de arrumar um pretendente grego para sua filha o patriarca marca seguidos jantares (mais uma vez girando em torno da comida) em sua casa, mas sem sucesso.

Depois de muitos dramas a família grega resolve aceitar Ian, e é marcado um banquete com a família inteira para conhecer o rapaz. Durante a festa acontece outro fato curioso quando uma das tias diz que está muito feliz em conhecê-lo e que gostaria de cozinhar para ele. Toula constrangida diz que ele é vegetariano e por isso não come carne. A tia chocada pergunta “como é possível ele não comer carne?”, a festa inteira o encara até que a tia traz a solução: “pois bem, eu faço carneiro então”.

Fica bastante evidente o aspecto cultural da alimentação ao longo do filme durante todos estes momentos. Programe o seu olhar “culinário” ao longo do filme e Aproveite para dar boas risadas no fim de semana!


 

 

 



Observatório Opsan UNB
facebook
twitter
Layout e programação do site Identidade visual
Faça o ligin para continuar!

clique aqui