Ideias na Mesa - Blog


postado por Maína Pereira em Terça-feira, 01 de Abril de 2014

Por Renato S. Maluf para Revista Ideias na Mesa nº1


renato maluf

“A propósito, uma compreensão de senso comum que costuma induzir a erro é a que pretende estabelecer uma relação direta entre redução das Perdas e Desperdício de Alimentos (P&DA) e a redução da fome. Quando se diz que o grande volume de alimentos que se perde ou desperdiça seria mais do que suficiente para alimentar os famintos do mundo, cria-se a falsa expectativa de que se reduzindo as perdas ou o desperdício de uns, equaciona-se a fome de outros. Estes são fenômenos de natureza distinta que não se conectam de forma direta, quando se sabe que a condição de faminto resulta da incapacidade de acesso aos alimentos, e não da falta de bens.

Contudo, há duas relações diretas entre P&DA e fome, mas bem diferentes. Uma delas é o aproveitamento de alimentos em vias de ser desperdiçados para atender a populações carentes como o fazem os bancos de alimentos, atividade com vários e importantes significados, porém, com repercussão socioespacial limitada a sua esfera de abrangência. A segunda conexão com repercussão mais geral e, talvez, mais significativa, é a contribuição da redução das P&DA para o aumento da disponibilidade de bens que, deste modo, atenuaria as pressões de demanda sobre os preços dos alimentos, portanto, favorecendo o acesso da população a eles.

Já quando se adota enfoque abrangente, intersetorial e sistêmico da segurança alimentar e nutricional, outros e mais amplos aspectos entram em cena na abordagem de como a redução das P&DA diminui a insegurança alimentar e nutricional. Além do que já se mencionou desde a ótica da disponibilidade de bens e da promoção de sistemas alimentares sustentáveis, haveria de se acrescentar a perspectiva de que as P&DA podem implicar perdas na qualidade nutricional das dietas alimentares.

Ressalte-se a necessidade de acurada análise dos papéis desempenhados em ambas as direções, da geração e da redução das P&DA, pelos agentes econômicos e diferentes atores sociais, além do que se verifica no âmbito domiciliar, e também da parte dos governos”.

 

Quer saber mais? Leia o artigo completo na Revista Ideias na Mesa:

 

Pensando EAN

O Pensando EAN é um espaço para reflexões e citações sobre diversos temas relacionados à Comida, Cultura e Educação Alimentar e Nutricional. O texto dessa semana é um trecho do artigo publicado na Revista Ideias na Mesa nº1 de autoria do Renato S. Maluf, professor do Centro de Referência em Segurança Alimentar (CERESAN) do CPD/ Universidade Federal Rural do RJ (UFRRJ).



Observatório Opsan UNB
facebook
twitter
Layout e programação do site Identidade visual
Faça o ligin para continuar!

clique aqui