Ideias na Mesa - Blog


Posts Relacionados com a(tag):mais que ideias

postado por Marina Morais Santos em Segunda-feira, 17 de Fevereiro de 2014

Por Equipe Ideias na Mesa

Ano novo é sempre tempo de expectativas, desejos e estabelecimento de objetivos para alcançar mais conquistas e melhores resultados individuais e coletivos.

Na área da Alimentação e Nutrição há muito ainda a se fazer diante dos desafios de uma alimentação saudável e adequada para todas e todos.

A Educação Alimentar e Nutricional, integrada a diferentes estratégias e com envolvimento de todos, pode contribuir para a melhoria da nossa qualidade de vida.

Pensando nisso, a equipe da rede Ideias na Mesa propõe 14 resoluções de alimentação para colocar em sua lista de 2014! Vem com a gente promover uma alimentação saudável e sustentável!

1. Conhecer os produtores locais da sua região/cidade

Conhecer os produtores locais da sua região/cidade ajuda a conhecer a origem da sua comida e também cria vínculos entre produtores e consumidores. Feiras, eventos promovidos em sua cidade e até visitas são ótimas oportunidades para iniciar e manter o contato com quem integra as primeiras etapas do sistema alimentar, a produção! Uma sugestão é conhecer redes, cooperativas e associações de produtores locais como as sugeridas pela Cerratinga.

Conhecer produtores locais

2. Consumir alimentos da estação

Nesse ano, compre e consuma alimentos locais e que sejam da estação. Assim você pode comprar alimentos mais baratos, mais saborosos, ajudar a reduzir o impacto ambiental do transporte de alimentos, e ainda apoiar a economia local. Não sabe qual o melhor período para comprar aquela fruta ou hortaliça? Consulte a tabela e conheça a sazonalidade dos alimentos!
 
Alimentos da estação
 
3. Conhecer a cultura alimentar local e das diferentes regiões do Brasil

A alimentação brasileira possui particularidades regionais que expressam nossa história e cultura. A comida como patrimônio cultural revela o valor do alimento como parte de conhecimentos tradicionais e manifestações artísticas. Conhecer é o primeiro passo para valorizar, respeitar, praticar e preservar tal cultura. Busque em sua cidade conhecer os alimentos regionais e de grande valor histórico-cultural. Informações interessantes estão disponíveis no site do Slow Food Brasil e na publicação Alimentos Regionais Brasileiros, que está disponível na nossa biblioteca.

4. Ter as segundas-feiras sem carne

O uso da carne para alimentação tem muitos impactos sobre o meio ambiente, a saúde humana e os animais. Por exemplo, na produção de 1 kg de carne bovina o consumo médio de água é de 15.415 litros e para 1 kg de carne de frango são consumidos em média 4.325 litros.

Reduza sua pegada ecológica diminuindo a quantidade e os tipos de carne que você consome. Conheça a Campanha Segunda sem Carne que incentiva a descoberta de novos sabores todas as segundas-feiras.

Segunda-feira sem carne5. Apoiar a Agricultura Familiar

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) declarou o ano de 2014 como o Ano Internacional da Agricultura Familiar, honrando mais de 400 milhões de agricultores que em família produzem alimentos para todos nós. A produção familiar é diversificada e saudável. Incentivando e apoiando esta produção melhoramos a qualidade do que comemos e também geramos um círculo virtuoso na comunidade local. O Brasil tem muitas boas histórias para contar sobre este tema. Parte da alimentação escolar, por exemplo, vem sendo fornecida pela agricultura familiar. 

Agricultura Familiar

6. Preferir comprar alimentos orgânicos (ou produzi-los)

O Brasil é o primeiro colocado no ranking mundial do consumo de agrotóxicos. Já se sabe que a ingestão dessas fórmulas podem ocasionar diversos agravos à saúde. Por isso, em 2014, consuma alimentos orgânicos produzidos de forma ambientalmente sustentável. Assim nós podemos ajudar a proteger não só nossos corpos, mas também os recursos naturais e os produtores de alimentos. Quer saber onde tem uma feira de orgânicos perto da sua casa? Acesse http://www.idec.org.br/feirasorganicas

Orgânicos7. Promover democratização da inovação

Atualmente, agricultores, cientistas, pesquisadores, ONGs e muitos outros ao redor do mundo estão criando soluções inovadoras e possíveis de serem reproduzidas para vários desafios da agricultura global. O trabalho dessas pessoas tem grande potencial de crescimento e aprofundamento e nós temos que criar oportunidades para que esses projetos ganhem a atenção, os recursos e investimentos que precisam. O site da Fundação Banco do Brasil apresenta muitas propostas locais de tecnologias sociais!

8. Cozinhar

Quando você sabe preparar o próprio alimento tem muito mais autonomia para praticar uma alimentação saudável. A prática culinária proporciona uma experiência multissensorial única, gera reflexões sobre os vários significados da alimentação e também possibilita o conhecimento e controle do que, do quanto e como os ingredientes podem ser preparados. Cozinhar também é uma ótima oportunidade de encontros divertidos com familiares e amigos. O Blog As Marinadas (que já participou dos nossos Hangouts) pode te ajudar com várias receitas deliciosas para curtir muito esse momento na cozinha! 

Cozinhar

9. Organizar um almoço ou jantar em casa

Não precisa ser nada extravagante ou muito gourmet, basta juntar as pessoas ao redor de uma mesa e desfrutar desse momento! Conversar sobre comida, aproveitar a refeição preparada e até incentivar a conversa sobre como podemos ter um sistema alimentar melhor. Iniciativas como Meal Sharing, Eat With ou Cookening incentivam a prática da comensalidade com pessoas de todo o mundo – uma oportunidade de conhecer outras culturas e pessoas compartilhando de uma boa “comidinha de casa”. 

Organizar almoço10. Considerar o “Preço Real” da sua comida

Levando em conta apenas o preço, junk food e produtos industrializados baratos geralmente parecem vantajosos em relação aos produtos orgânicos e locais.

Mas a etiqueta do preço não conta a história toda. Pensar no “preço real” do alimento permite que os consumidores, agricultores, políticos e empresários identifiquem o custo e o impacto de todos os “ingredientes” utilizados. Por exemplo, alguns produtos que geralmente permitem o barateamento dos produtos são os antibióticos, pesticidas, fertilizantes artificiais e outros fatores que não aparecem na etiqueta do alimento que comemos e que geram custos sociais, na saúde e no meio ambiente. 

Para entender melhor essa questão assista o documentário Comida S.A. (Food Inc.). Conheça também a proposta do projeto “Por detrás das marcas”

Preço real11. Reduzir o desperdício de alimentos 

Mais de um 1,3 bilhões de toneladas de alimentos são desperdiçados a cada ano no mundo. Você pode contribuir reduzindo este número de diferentes formas: no planejamento das suas compras, no preparo dos alimentos e até no armazenamento. Em 2013, a rede Ideias na Mesa lançou a primeira edição de sua revista vários projetos e dicas para reduzir o desperdício dos alimentos: http://issuu.com/ideiasnamesa/docs/revistaideiasnamesa1

Desperdício12. Incentivar o compartilhamento de conhecimento entre gerações

Os idosos têm desafios, soluções e conhecimentos diferentes sobre como adquirir, produzir, preparar e consumir alimentos. Apoiar e criar oportunidades para que o conhecimento deles seja compartilhado com pessoas mais jovens é preservar a nossa cultura alimentar, promover aprendizado e humanizar nossas relações. Promover este contato também auxilia que as pessoas de maior idade estejam mais bem cuidadas, refaçam ou fortaleçam sua rede de apoio. Projetos como Danny Woo Garden and Children’s Garden, Pigsah e a HelpAge International incentivam esse compartilhamento e auxiliam idosos no mundo.

Idosos

13. Adotar um modo de vida saudável

Várias doenças podem ser prevenidas pela adoção de hábitos  saudáveis. Aumente sua atividade física, organize-se para que sua alimentação melhore Envolva sua família, amigos, vizinhos, colegas de trabalho! Até 6 de maio está aberta a consulta pública sobre o Guia Alimentar para a População Brasileira, conheça a proposta, dê sua opinião.

Modo de vida mais saudável


14. Compartilhar experiências e conhecimento de Educação Alimentar e Nutricional (EAN)

Compartilhar a sua experiência, seus desafios e aprendizados aqui na Rede Ideias na Mesa é uma oportunidade de multiplicar ideias e incentivar a EAN para outros usuários em todo o Brasil! Adicione sua experiência, conheça e comente outras de seu interesse por meio da busca geográfica ou categorizada.

Vamos juntos fortalecer a EAN no país!

mapa


Nota: As resoluções foram baseadas – algumas replicadas – no post publicado no site do projeto Food Tank: http://foodtank.org/news/2013/12/fourteen-food-resolutions-to-bring-in-the-new-year




Go to page:
Observatório Opsan UNB
facebook
twitter
Layout e programação do site Identidade visual
Faça o ligin para continuar!

clique aqui