Ideias na Mesa - Blog


Posts Relacionados com a(tag):cozinhar

postado por Luana Mello em Terça-feira, 03 de Fevereiro de 2015

Na vida moderna e corrida, cozinhar se tornou para muitos um ato cada vez menos necessário, já que qualquer pessoa pode comprar uma comida pronta no mercado. Mas a reflexão do blogueiro e cozinheiro Francisco trazida hoje é justamente sobre o que envolve o ato de cozinhar, além de nutrir o corpo e matar a fome. 

 

 “Cresci ouvindo meu pai, Francisco também, dizendo a minha mãe que para se cozinhar era necessário tempo, calma, prazer e amor. Para ele, cozinhar não era simplesmente o ato de "sapecar" qualquer coisa no fogão visando, simplesmente, "matar a fome". Era necessário pensar, planejar, "significar" o alimento e colocar um pouco de si nas receitas, quaisquer que fossem. Não importava se fosse um feijão com arroz ou algo mais elaborado, mas o fato é que, para ele, cozinhar não poderia ser algo mecânico mas deveria ser, também, fonte de prazer, tanto para quem elaborasse quanto para quem saboreasse o feito.”

[...] 

“Para ele [cozinhar] significava possibilidade e oportunidade de reunir pessoas queridas em torno do fogão, celebrar a vida, amizades, amores, tristeza (por que não?), traçar "grandes pequenas metas", travar conversas intermináveis sobre política, cultura, amizades, famílias, futebol, coisas do cotidiano de qualquer mortal e teorias ... muitas teorias.”

Leia o texto completo no blog dele

E ai, vamos reunir a família e os amigos e cozinhar? Que tal começar usando algumas receitas que fizeram a diferença na vida de algumas pessoas, do livro "Mais que Receitas"? Você pode dar o seu toque especial pra receita, deixá-la com a sua cara e torná-la especial para você também.  

Pensando EAN

Pensando EAN é um espaço para reflexões e citações sobre diversos temas relacionados à Comida, Cultura e Educação Alimentar e Nutricional. O texto desta semana é um trecho de uma reflexão escrita por Francisco, publicada no blog Reflexões de um Cozinheiro. Francisco é cozinheiro e blogueiro, morador de Juiz de Fora - MG



postado por Luana Mello em Quinta-feira, 29 de Janeiro de 2015

Já pensou que bom seria se ao invés dos pais fazerem almoço para seus filhos isso se invertesse?

Parece uma coisa que só aconteceria em um mundo distante, mas não é tão complicado assim.

No mundo em que a obesidade está cada dia mais presente nas famílias do mundo inteiro, inclusive no público infantil, é possível perceber que cada vez menos as pessoas estão comendo em casa, sempre optando por alimentos industrializados com altos teores de sódio, açúcar e gorduras. Por conta disso, é essencial ensinar às crianças como se alimentar de maneira saudável, já que elas estão em período de consolidação de hábitos que vão levar para toda a vida.

Já se sabe que as crianças aprendem muito mais sobre algum assunto quando estão envolvidas no processo, então, porque não ensiná-las sobre uma alimentação saudável e feita em casa colocando as mãozinhas delas na massa?

Oficinas culinárias com crianças são muito utilizadas para esses fins, com crianças a partir de 2 anos, desde que seja com supervisão constante. Com crianças a partir de 10 anos, já é possível dar maior autonomia para cozinhar sozinho uma refeição inteira.

Quer começar a ensinar seus filhos a cozinhar? O site The Globe And Mail mostra um plano de 5 semanas para que eles estejam preparando refeições:

Semana 1: Nessa semana, você deve ensinar o básico, como as maneiras corretas de pegar e

manusear uma faca. Comece com facas pequenas, de serra e sem ponta, por exemplo. É a hora também de ensinar que o que sai do fogão e do forno está quente, que o cabo pode queimar e o vapor de água que sai da panela também. Ensine-os a usar copos de medidas e a como ler e entender uma receita. É importante também ensiná-los a limpar toda a bagunça quando terminar.

Semana 2: A partir daqui, você já pode permitir que eles cozinhem as pequenas refeições sozinhos, com a sua ajuda. Se programe para estar por perto nos primeiros dias, além de ter em sua casa tudo o que for necessário para fazer a receita que eles quiserem. Já é possível fazer um pão para lanchar!

Semana 3: Nessa semana já é possível permitir que eles façam preparações de jantar, por exemplo, contanto que seja fácil e com baixa margem de erros. Uma boa pedida é sopa. Deixe que as crianças piquem os vegetais que forem ser utilizados!


Semana 4: Nessa fase é possível ensiná-los a fazer molhos (molho de tomate caseiro, por exemplo) e deixar que ele lidere a cozinha, com você somente o auxiliando.

Semana 5: Na última semana, se tudo for feito com muito carinho e dedicação, as crianças já vão estar aptas a cozinhar uma refeição simples sozinhos.

 

Tenha em mente que eles podem errar, e devem aprender com seus erros. Dê preferência para alimentos que sejam da sua cultura, de forma a familiarizá-los com esses alimentos, além de reduzir custos.

Se quiser receitas fáceis de preparar com seus filhos, o site Nutrition Action (em inglês) vende um livro de receitas saudáveis para cozinhar com crianças, que pode te inspirar a fazer muito mais! 

Que tal cumprir a nossa nova missão do Missiorama com a criançada e ainda se deliciar com as receitas do nosso livro "Mais que receitas"?

Mãos à massa!


 



postado por Lucas Ferreira em Quinta-feira, 09 de Outubro de 2014

Prorrogado Mais que receitas

A data limite para o envio das receitas do nosso projeto foi prorrogada para 27 de outubro! Desta forma, você pode enviar suas receitas sem problema, e divulgar o projeto pra família inteira. Mas não deixe pra última hora, já estamos selecionando as receitas recebidas! 



postado por Lucas Ferreira em Terça-feira, 30 de Setembro de 2014

divulgação 1

O projeto Mais que Receitas já está recebendo pratos maravilhosos! Participe com o seu aqui.

Recebemos nossa primeira receita semana passada e ela já foi selecionada para fazer parte do nosso livro! Que tal testar esse Bolo de Maçã para um lanche da tarde? A autora da receita é Fernanda Trigo Costa, que além desse delicioso prato também compartilhou uma linda história:

"Minha mãe sempre fez bolos deliciosos, desde os mais simples, para tomar com um cafezinho preto bem fresco, até os recheados e confeitados, que marcavam nossos aniversários.

Há quatro anos ela se foi, mas me deixou de herança três livros de receitas, caderninhos azuis de capa dura, com a letra bem caprichada e instruções detalhadas de como criar uma família capaz de estabelecer uma relação deliciosa com os alimentos. Lá estão todas as receitas que nos trazem as mais saborosas lembranças de momentos marcantes. Ela sempre preferiu os doces, por isso, são dois cadernos recheados de receitas de bolos, pudins, sobremesas, biscoitos e demais doçuras.

Casei no mesmo ano em que ela se foi e, apesar de já fazer bolos quando era solteira, foi na minha própria cozinha que descobri que, além dos cadernos, também tinha herdado o talento de fazer bolos. Aos poucos fui testando várias receitas e conquistando o paladar de todos que experimentavam os bolos quando estavam em nossa casa, principalmente de meu marido, fanático por este bolo.

Divina e graciosamente, eu também terei a quem deixar esses livros, que estão ficando mais volumosos, num processo de construção coletiva. Em 2012, uma bela estrelinha veio iluminar nossas vidas, a pequena Elis, que adora fazer bolos comigo e curte muito quando é o dia de ela levar o bolo do lanche da escola e dividir com seus amigos.

Essa receita é de um dos livros de minha mãe e, desde a primeira vez que fiz, fico maravilhada com o resultado, a combinação de sabores e texturas e a possibilidade de aproveitar os alimentos e transformá-los em delícias!"

A receita é muito simples e muito bonita, além de ser rica em fibras e minerais! 

bolo maça 1

Ingredientes 

    • 4 maçãs maduras com casca (aquelas que sobraram na fruteira e ninguém mais quer comer!)
    • 3 ovos inteiros
    • 180mL (1 xícara) de óleo de girassol ou de milho
    • 400g (2 xícaras) de açúcar mascavo orgânico
    • 200g (1xícara) de farinha de trigo
    • 200g (1 xícara) de farinha integral
    • 1 colher de sopa de fermento
    • 1 pitada de canela

 Modo de Preparo

    • Descascar as maçãs e colocar as cascas no liquidificador, juntando os ovos, o óleo e o açúcar
    • Picar as maçãs e acrescentar gotas de limão para não escurecer
    • Juntar aos ingredientes batidos as farinhas e o fermento e bater na batedeira
    • Misturar as maçãs picadas na massa
    • Levar ao forno a 180ºC por 40 minutos
Envie sua receita também! Estamos aguardando por mais participações.


postado por Lucas Ferreira em Terça-feira, 23 de Setembro de 2014

Você provavelmente sabe o que é alimentação sustentável e está ciente das questões em torno da criação de um sistema alimentar sustentável, certo? E você sabe o que você pode fazer diariamente a para promover isso?

A autora e defensora da alimentação sustentável Anna Lappé, explicou que a sustentabilidade é uma questão que tocamos todos os dias "por meio daquilo que escolhemos para comer no café da manhã, almoço e jantar, sendo que em um nível pessoal há muito que podemos fazer." Anna falou sobre "Sete Princípios para uma dieta amiga do clima” no seu livro Dieta para um Planeta Quente.

Diet for a hot

Confira os princípios passados pela autora:

integraisCompre alimentos de verdade, integrais. Isso significa alimentos mais próximos de seu estado natural quanto possível. Os alimentos que não tenham sido submetidos a processos energicamente intensivos e que não contêm aditivos químicos. Como Anna diz: "Pense em morangos frescos, não em barrinhas de cereais sabor morango."

 

 

 

prato vegetal

Mova alimentos de origem vegetal para o centro do seu prato. Use os produtos de origem animal para dar sabor, e não evento principal. A criação intensa de Gado e de outros animais aumenta o desmatamento e desgasta o meio ambiente.

 

 

 

 

organicos para comprar

Pense orgânico. Anna recomenda compras de alimentos que tenham sido produzidos sem produtos químicos industriais e outros insumos de alto custo ambiental. Procure o selo orgânico quando for fazer compras.


 

 

 

local food girl

Loja local. Apoie a sua economia alimentar local. Faça compras em supermercados que transportam alimentos locais, em mercados de agricultores ou participe de uma Feira da comunidade local.




 

waste fridge

Não desperdice. Uma das maiores questões na mudança para um sistema alimentar mais sustentável é algo que muitos conhecem: o desperdício de alimentos. Anna cita a estatística surpreendente que de 30 a 50 por cento de todos os alimentos que podem ser consumidos é desperdiçado. E "Se o desperdício de alimentos fosse um país, seria o terceiro maior emissor de gases de efeito estufa no mundo, depois dos Estados Unidos e da China!” O que você pode fazer? Não compre mais do que você precisa; Use o que você tem - cozinhe os legumes de sua gaveta de geladeira em vez de deixá-los murchar e apodrecer; Faça o almoço para levar para o trabalho; Faça uso de suas sobras; E composte restos de alimentos.



 


sem embalagem

Use menos embalagem: Escolha alimentos com um mínimo de embalagem quando for às compras; traga suas próprias sacolas para o supermercado e para a feira; use recipientes reutilizáveis para as suas sobras.



 
 
 
cozinha familia

Cozinhe. Faça mais de suas refeições! Nós temos muitas ideias e Mais que Receitas: plante um pouco da sua própria comida também. Leia o livro “Dieta para um planeta quente” de Anna Lappé.

 

 

 

 

 

 

Fonte: http://www.marthastewart.com/1076299/what-you-can-do-shop-cook-and-eat-more-sustainably

anna pa

Pensando EAN

Pensando EAN é um espaço para reflexões e citações sobre diversos temas relacionados ao campo da Alimentação e Nutrição em Saúde Coletiva e Educação Alimentar e Nutricional. O texto dessa semana é um artigo sobre princípios discutidos por Anna Lappé, autora e educadora conhecida pelas suas reivindicações na área dos sistemas alimentares sustentáveis. Anna é também fundadora dos projetos Small Planet Institute e Real Food/Food Mythbusters, também na área de alimentação saudável e sustentável.



postado por Lucas Ferreira em Sexta-feira, 08 de Agosto de 2014

Uma boa refeição começa com uma boa ideia. E boas ideias não faltam no filme do Comida na Tela de hoje.

Julia Child foi uma autora de livros de culinária e apresentadora de tv dos Estados Unidos. Ao viajar para França com o marido, a americana se viu confrontada com a cozinha francesa e todas as suas complexidades. Mas com muito entusiasmo e alegria, ela revolucionou as panelas do mundo ao mostrar que nada é impossível se houver disposição para tentar, conforme sua citação “O único verdadeiro obstáculo é o medo do fracasso." Dá uma olhada no vídeo em que ela ensina a virar panquecas, por exemplo (aos 2 minutos ela faz sua gloriosa tentativa):

 

Seria compreensível se depois de tantos anos as receitas ou métodos de Julia se tornassem ultrapassados. Mas para provar a genialidade da cozinheira, a escritora Julie Powell resolveu replicar em um ano as 524 receitas do livro publicado de Julia no seu pequeno apartamento em Nova York. Enfrentando os desafios de cozinhar uma lagosta, fazer creme de confeiteiro e derrubar o macarrão, Julie finalizou seu projeto escrevendo o livro Julie & Julia, que se tornou filme alguns anos depois. Confira o Trailer:

 

“Você não precisa cozinhar obras-primas bonitas e complicadas. Basta preparar boa comida de ingredientes frescos" Julia Child

Não disse que era uma ótima ideia? Desfrute do filme e faça as suas versões das receitas usando ingredientes disponíveis na sua casa! A experiência será ótima pra você e pra quem quer que participe do banquete. Bom final de semana e Bon Appétit!


 



postado por Luiza Lima Torquato em Sexta-feira, 13 de Junho de 2014

Por acreditar que os padrões alimentares que começam na infância afetam a saúde e o bem-estar ao longo da vida, a Universidade de Stanford criou um curso online gratuito que discute a alimentação infantil contemporânea e o papel da família e do cozinhar neste contexto.

O curso JUST COOK FOR KIDS - Child Nutrition and Cooking - ensina como pais e educadores podem inserir, de forma prática e divertida, uma alimentação saudável na rotina de casa.

Ele está disponível no idioma inglês e é dividido em 5 módulos: I - a importância de cozinhar em casa; II - o que constitui uma refeição equilibrada; III - do supermercado para mesa de jantar e para a escola; IV - comer de forma sustentável; V- rotulagem, alergias e sabor dos alimentos.

A professora e tutora do curso, Maya Adam, é a mãe de três meninos, biologa, médica, professora de Stanford desde 2009 e adora passar seu tempo livre brincando com as crianças e cozinhando para a família e amigos.

Confira a apresentação do curso e acesse aqui os módulos e as aulas.

 



postado por Luiza Lima Torquato em Quinta-feira, 16 de Janeiro de 2014

Por meio de uma animação divertida, o escritor e jornalista Michael Pollan explica como comer bem, seguindo uma regra simples, sem a necessidade de dietas da moda ou privações.

Michael Pollan é autor do livro "Cooked: A Natural History of Transformation", "Em Defesa da Comida" e "O Dilema do Onívoro".
 



Créditos:

Voz: Michael Pollan
A Damn Fine Produção de mídia - http://www.damnfinemedia.co.uk
Ilustrações: Kerry Hyndman

Confira fala completa do Michael Pollan sobre o assunto no site do RSA (Royal Society for the encouragement of Arts, Manufactures and Commerce)http://www.thersa.org/events/audio-and-past-events/2013/how-cooking-can-change-your-life

 



postado por Maína Pereira em Terça-feira, 08 de Outubro de 2013

Está no ar o 8º Hangout do Ideias na Mesa!

O tema do bate-papo de hoje é sobre sobre como o comer e o cozinhar podem ser considerados atos políticos e a importância da compreensão da alimentação como uma prática social.

Confira agora:



Go to page:
Observatório Opsan UNB
facebook
twitter
Layout e programação do site Identidade visual
Faça o ligin para continuar!

clique aqui