Ideias na Mesa - Blog


Posts Relacionados com a(tag):Vídeo

postado por Ideias na Mesa em Quinta-feira, 13 de Outubro de 2016

                                     Imagem: Na Calçada 

No dia 27 de setembro a Rede Ideias na Mesa, em parceria com a webtv Na Calçada, realizou na Universidade de Brasília uma intervenção intitulada "Tenda da Felicidade".

O objetivo dessa ação foi sensibilizar as pessoas sobre alimentação saudável e a influência da publicidade nas escolhas alimentares. A medida que a tenda foi sendo montada alguns passantes observavam com curiosidade, e ao longo de três horas, a ideia foi surpreendê-los com a pergunta: "Você conhece a receita da felicidade?", convidando-os a viver uma experiência cheia de conteúdo, ironia e bom humor.

Surpresa e perplexidade foram algumas das reações daqueles que passaram pela tenda. As reações espontâneas e comentários surgiam a medida que as 9 colheres de chá de açúcar (37 gramas mais precisamente) eram adicionadas, representando a quantidade presente em uma única lata de refrigerante. A quantidade excede o limite máximo para consumo de açúcar durante um dia inteiro, que é de 25 gramas segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Apesar da representação ter sido feita com base em uma lata de refrigerante, a reflexão retratou o consumo de bebidas açucaradas, que incluem refrigerantes, sucos e chás gelados industrializados, de uma forma geral.

Para além dos comprovados malefícios à saúde, o enfoque da atividade procurou mostrar como a indústria de bebidas açucaradas investe anualmente quantidades astronômicas de dinheiro em campanhas publicitárias apelando para o lado afetivo e emocional para legitimar e comercializar seus produtos. Ao final de cada intervenção, além da interação com os espectadores, os organizadores da tenda também distribuíram panfletos com informações adicionais. Dentre elas, a taxação de bebidas açucaradas como uma forma de diminuir o seu consumo. Esse caminho tem sido proposto pela OMS que publicou estudo nessa terça feira (11/10) com a seguinte indicação: “políticas fiscais que levem a pelo menos um aumento de 20% nos preços de varejo de bebidas açucaradas poderiam resultar em reduções proporcionais no consumo de tais produtos”.                  

Confira o vídeo da Tenda da Felicidade!

A ação do Ideias foi inspirada em ação semelhante realizada pelo Centro para Ciência no Interesse Público (CSPI) de mesmo nome, "The Happiness stand". Acesse o link para assistir ao vídeo.

Entenda melhor o tema

Com o intuito de reunir conhecimentos sobre essa temática, a última revista lançada pelo Ideias , que pode ser gratuitamente acessada no link a seguir, aprofundou a discussão sobre regulação de alimentos, mostrando iniciativas que tem sido adotadas em outros países no sentido da taxação de bebidas açucaradas. Na contramão, dossiês elaborados pelo jornalismo investigativo tem evidenciado como a indústria de bebidas açucaradas tenta esconder seu vínculo com a obesidade, ou pior ainda, judicializar o trabalho de organizações que tentam preservar a saúde da população.

Inúmeros exemplos também denunciam como o seguimento de produtos não saudáveis tenta comprar a produção de conhecimento com propósitos de marketing através do financiamento de pesquisas de forma conflituosa. Recentemente  um caso brasileiro de estudo financiado por uma grande rede de fast-food evidenciou tal prática.


                   



postado por Isadora Dias Nunes de Sena em Quinta-feira, 23 de Junho de 2016

Você conhece as principais recomendações do Guia Alimentar para a População Brasileira?

Na atualidade, a dinâmica de acesso à informação mais usada e que pode ser uma boa ferramenta didática, são os recursos audiovisuais compartilhados na rede. Pensando nisso, o [Mais que Ideias] de hoje juntou alguns vídeos explicativos e divertidos sobre os principais pontos do Guia.

Tendo por pressupostos os direitos à saúde e à alimentação adequada e saudável, o Guia Alimentar para a População Brasileira, publicado em 2014, apresentou diretrizes alimentares oficiais para a nossa população, visando às transformações sociais vivenciadas pela sociedade brasileira, que impactaram sobre suas condições de saúde e nutrição, nos últimos tempos. A edição do guia passou por um processo de consulta pública, que permitiu o seu amplo debate por diversos setores da sociedade e orientou a construção da versão final.

O Guia mostra que a alimentação adequada e saudável é um direito humano básico que envolve a garantia ao acesso permanente e regular, de forma socialmente justa, a uma prática alimentar adequada aos aspectos biológicos e sociais do indivíduo e que deve estar em acordo com as necessidades alimentares especiais; ser referenciada pela cultura alimentar e pelas dimensões de gênero, raça e etnia; acessível do ponto de vista físico e financeiro; harmônica em quantidade e qualidade atendendo aos princípios da variedade, equilíbrio, moderação e prazer; e baseada em práticas produtivas adequadas e sustentáveis.

O documento configura-se também como instrumento de apoio às ações de educação alimentar e nutricional no SUS e também em outros setores, considerando os múltiplos determinantes das práticas alimentares e a complexidade e os desafios que envolvem a conformação dos sistemas alimentares atuais.

Fontes dos Vídeos:

1)Nesse vídeo, produzido pelo jornal digital NEXO, se faz uma análise das práticas alimentares atuais do brasileiro, utilizando um design bem instrutivo e aplicando as categorias de alimentos e princípios de uma alimentação saudável presentes no Guia.

2)O Canal do Campo à Mesa, que produziu esse vídeo explicativo, tem como objetivo tornar visível, clara e compreensível a verdade sobre os alimentos, e usa o Guia como principal referência.

3)Essa animação, produzida pelo Senado Federal, engloba todos os dez principais passos para uma alimentação saudável, como a importância da comensalidade e do ato de cozinhar, o apoio à feiras de produtores locais, o olhar crítico ao marketing alimentício, entre outros.  

4)E por último, uma divertida paródia musical produzida por estudantes de Nutrição da USP, pra aprender sobre o Guia dançando. 

E você, já produziu algum vídeo criativo envolvendo Educação Alimentar e Nutricional ou Direito Humano à Alimentação Adequada? Se sim, compartilhe conosco!



postado por Rafael Rioja Arantes em Sexta-feira, 27 de Novembro de 2015

Você gosta de se aventurar na cozinha ou falta apenas um empurrãozinho para aquecer as panelas? No quadro de hoje você vai encontrar a inspiração que faltava.

Te convidamos a se deliciar com o canal e blog culinário Caramelo Salgado criado pela nutricionista e gastrônoma Karoline Cruvinel. O objetivo principal é o compartilhamento de receitas através de vídeos para que as pessoas possam reproduzi-las em casa. Além de pratos deliciosos, a bela estética das imagens e cenas torna o canal uma experiência sensorial ainda mais completa.

O Ideias na Mesa entrevistou Karoline para saber algumas curiosidades a respeito da concepção e conceitos do canal, confira:

Ideias na Mesa: Como surgiu a ideia de criar o blog/canal "Caramelo Salgado" e como se deu a escolha do nome?

Karoline Cruvinel: A ideia surgiu quando senti a necessidade de compartilhar dicas e receitas para amigos e conhecidos, que sempre me pediam receitas, de várias coisas... acho que mais fácil do que escrever a receita é ver a pessoa fazendo, né? Sempre pesquisei muito na internet e ficava decepcionada quando recriava uma receita e ela dava errado, e por isso adoro ver tudo em vídeo. Também foi uma forma de me manter sempre atualizada, pois como estipulei uma frequência de postagem fixa semanal, estou sempre fazendo receitas diferentes e estudando mais sobre gastronomia, que é minha paixão.

O nome é caramelo salgado por dois motivos: 1. É um dos meus sabores preferidos

2. Apesar da minha preferência pela confeitaria, o blog e canal tem receitas doces (“caramelo”) e salgadas (“salgado”)

IM: Na descrição do blog você conta que o interesse por culinária começou cedo. Existe algum alimento ou preparação que te vem a memória desta época? E que lembranças te trás?

KC: Nossa, muitas! Um clássico é o tradicional bolo de cenoura com casquinha de chocolate, que comia quentinho. Outro que me vem a cabeça é um prato que minha mãe sempre fez no natal, um frango recheado, e que sempre, sempre, até hoje, tem o mesmo gosto de infância. As memórias são maravilhosas, da época que eu era pequena e sempre ficava atrás da minha mãe quando fazia creme de confeiteiro, pra lamber a panela. Ou de quando fiz minha primeira receita sozinha, foi uma torta de frango que demorei umas 4 horas pra fazer rs. Eu me inscrevi no vestibular para Nutrição depois de ver que podia ser uma nutricionista que modificava receitas (logo depois de uma matéria no globo repórter que mostrava nutris que trabalhavam com técnica dietética). Essas lembranças me trazem muita alegria, eu realmente amava e ainda amo muito ficar na cozinha.

IM: De que forma você acredita que as práticas culinárias podem contribuir para uma vida mais saudável?

KC: Principalmente pela capacidade que temos de usar as práticas culinárias para fazer COMIDA DE VERDADE, de fugir da indústria e das comidas prontas. Se você ensina uma pessoa a fazer o próprio molho de tomate em casa, você ensina essa pessoa a não comprar molhos prontos, a ter mais saúde no prato, a usar os tomates que estavam esquecidos na geladeira e consequentemente diminuir o desperdício. É um ciclo do bem. Uma vida saudável, no meu ponto de vista, engloba o lado emocional dos alimentos, e a cozinha caseira, sem porcarias prontas, preparada com carinho em casa, faz parte dessa saúde.

Não sou a favor do terrorismo nutricional, da guerra contra o glúten e a lactose. Vejo muitas pessoas que decidem não comer glúten por modismo e começam a se entupir de biscoitos e barrinhas industrializadas, e que condenam a ideia de fazer um pãozinho caseiro na própria cozinha. Acredito que tudo deve ser colocado na balança e sempre deve prevalecer o mais perto de uma comida de verdade.  


Para acompanhar as publicações e dicas de Caramelo Salgado inscreva-se no canal.      

 



postado por Débora Castilho em Quinta-feira, 11 de Junho de 2015

Na última terça-feira (09/06) o Sala de Convidados, programa do Canal Saúde da Fiocruz, discutiu a questão dos alimentos transgênicos em oposição aos orgânicos. O programa trouxe o tema que está em debate na sociedade e contrapôs os pontos positivos e negativos desses dois tipos de alimentos.

Para discutir o assunto, foram convidados: o Engenheiro Agrônomo e assessor técnico da AS-PTA Assessoria e Serviços a Projetos em Agricultura Alternativa, Gabriel Bioconi Fernandez; a Doutora em Biologia e Diretora-executiva do Conselho de Informações sobre Biotecnologia, Adriana Brondani; o integrante do Comitê do Rio de Janeiro da Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e pela vida e Professor e Pesquisador da Escola Politécnica em Saúde Joaquim Venâncio da Fiocruz, André Búrigo; e o pesquisador da UFRJ, Paulo Cavalcante Ferreira.

Os transgênicos são vegetais geneticamente modificados para aumentar a produtividade, a resistência a pragas ou ao uso de pesticidas. Os efeitos dessas modificações para a saúde e para o meio ambiente ainda não são inteiramente conhecidos. Já os orgânicos são os alimentos sem modificações, cultivados de forma natural, sem o uso de fertilizantes ou agrotóxicos.

Recentemente, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), juntamente com outras organizações da sociedade civil, como a Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco), o Greenpeace e o Instituto de Defesa do Consumidor (Idec), lançaram uma carta se posicionando contra o Projeto de Lei 4.148/2008, que prevê acabar com a rotulagem dos transgênicos, que retira do consumidor o direito de saber se um alimento contém ou não ingredientes transgênicos. Entre os possíveis males relacionados ao consumo de alimentos geneticamente modificados está a correlação identificada no Dossiê Abrasco sobre o Uso de Agrotóxicos entre o aumento do cultivo de transgênicos e o de uso de agrotóxicos nessas plantações.

Os orgânicos apresentam vantagens comprovadas para a saúde como o fato de conterem cinco vezes menos resíduos químicos e estarem 33% menos expostos a bactérias resistentes a antibióticos. Os especialistas analisaram e debateram esses e outros dados a respeito do assunto.

E você, qual a sua opinião sobre o assunto? Clique na imagem abaixo e assista ao vídeo!

 



postado por Lourdes da Conceição Dias Rocha em Quinta-feira, 28 de Maio de 2015

No vídeo, o Programa Água Brasil explica o ciclo de vida dos produtos que consumimos e descartamos, os chamados resíduos sólidos, e ensina como cada pessoa pode reduzir seu impacto ambiental por meio de ações como a coleta seletiva. Outro objetivo do vídeo é ressaltar e valorizar o trabalho dos catadores de materiais recicláveis, que ainda é pouco reconhecido, e abordar a questão da gestão de resíduos sólidos no meio urbano. O projeto Água Brasil trabalha em quatro cidades com ações de educação ambiental, estruturação da cadeia de reciclagem, planos de gestão de resíduos sólidos e, principalmente, apoiando cooperativas de catadores de materiais recicláveis

 

O vídeo está disponível no canal do Programa Água Brasil no Youtube. Assista:

 


 



postado por Equipe Ideias na Mesa em Segunda-feira, 25 de Maio de 2015

No último vídeo da série de entrevistas sobre experiências de Educação Alimentar e Nutricional no contexto dos serviços socioassistenciais, o Ideias Entrevista Fernanda Cecílio Vale, nutricionista da Subsecretaria de Segurança Alimentar e Nutricional da Secretaria de Desenvolvimento Humano e Social (Subsan/SEDHS) do DF.

Na entrevista, ela fala sobre o Plano de Educação Alimentar e Nutricional da SEDHS e suas ações que buscam fomentar a autonomia de escolhas alimentares saudáveis e sustentáveis para a população atendida pelos equipamentos públicos da rede do Sistema Único de Assistência Social (SUAS).

Fernanda também comenta sobre o Caderno Metodológico de Atividades de Educação Alimentar e Nutricional (EAN) do Distrito Federal - material com diversas sugestões de atividades educativas para serem desenvolvidas com crianças e adolescentes.

Assista ao vídeo:

 

O Ideias Entrevista é mais uma ação para divulgar o curso "Educação Alimentar e Nutricional: Uma estratégia para promover o Direito Humano a Alimentação Adequada nos serviços socioassistenciais" que foi lançado este mês!

Para participar, se cadastre na rede e acesse aqui!



postado por Ideias na Mesa em Quinta-feira, 21 de Maio de 2015

Você já teve a curiosidade de saber os hábitos alimentares de grandes personalidades históricas? Ou já parou pra pensar que de alguma forma os alimentos poderiam trazer alguma característica de suas personalidades ou da época em que viveram?

Pois hoje trazemos uma série de vídeos chamada “Last Supper” criados pelo diretor inglês Gus Filgate, em que ele recria a última refeição de personagens da história, que vão do imperador romano Júlio César a Jimi Hendrix, passando pelo líder político francês Napoleão Bonaparte. 

Para o trabalho, foi feita uma pesquisa minuciosa de cada prato. No vídeo de Hendrix, por exemplo, Gus prepara o sanduíche de atum que Monika Dannemann, namorada do guitarrista, fez para seu amado antes de ele morrer.

No site do projeto, Filgate fala sobre os bastidores e curiosidades das filmagens, o que torna a experiência ainda mais legal.

Júlio César – mexilhões, camarão e cordeiro



Napoleão Bonaparte – vísceras, carnes e ovos



Jimi Hendrix – sanduíche de atum



Para assistir aos vídeos na íntegra acesse este link.

Guardando semelhança com o projeto de vídeos,  a ideia de fotografar últimas refeições de pessoas não é nova. Em 2013, o fotógrafo de comida Henry Hargreaves criou a série “No Seconds“, que mostra o pedido de presidiários no corredor da morte, antes da execução.


 



postado por Equipe Ideias na Mesa em Segunda-feira, 13 de Abril de 2015

A rede Ideias na Mesa lança este mês uma série de vídeos de entrevistas: É o Ideias Entrevista! A proposta é utilizar o mesmo recurso Google+ Hangout On Air que já utilizávamos para bate-papos com vários convidados, mas agora para entrevistas exclusivas sobre uma experiência ou tema em específico.

Para começar, entrevistamos usuários que terão suas experiências citadas no próximo curso de autoaprendizagem que tem como objetivo estimular o desenvolvimento e a implementação de ações de Educação Alimentar e Nutricional na rede de proteção social básica do SUAS.

Na primeira edição, Ideias entrevista Vanille Pessoa, professora no curso de Nutrição da Universidade Federal de Campina Grande.

Na entrevista, Vanille compartilha sua experiência "Práticas de Educação Alimentar e Nutricional na Promoção da Alimentação Adequada e Saudável”, desenvolvidas pela Universidade Federal de Campina Grande, com mulheres do Programa Bolsa Família no município de Cuité – PB".

Assista:

 

O Ideias Entrevista é mais uma ação para divulgar o curso "Educação Alimentar e Nutricional: Uma estratégia para promover o Direito Humano a Alimentação Adequada nos serviços socioassistenciais" que tem lançamento previsto para este mês.

O que achou?

Aguarde os próximos vídeos! :D



postado por Débora Castilho em Quarta-feira, 08 de Abril de 2015

Guia traz 10 novas regras para uma alimentação saudável

Comer alimentos frescos, cozinhar sua própria comida e fazer suas refeições em companhia de amigos estão entre as dez novas regras para uma alimentação saudável, publicadas no Guia Alimentar para a População Brasileira, editado pelo Ministério da Saúde. O manual foi considerado o melhor do mundo na área de educação alimentar pelo Vox, principal jornal eletrônico dos Estados Unidos. As dicas foram tema do Especial cidadania da última terça-feira (7) do Jornal do Senado. Veja nesta animação as dez regras.



postado por Maína Pereira em Terça-feira, 24 de Março de 2015

Como podemos comer nossas paisagens? Por meio de uma ação coletiva e inclusiva, Pam Warhurst e sua comunidade de Todmorden na Inglaterra, transformaram sua cidade plantando comida em terras não utilizadas.

Essa mobilização tem contribuído na reinvenção da comunidade como um todo, influenciando na educação e comércio local.

No TEDSalon London Spring 2012, Pam apresenta vários exemplos das mudanças que a iniciativa Incredible Edible tem realizado.

Para ela, podemos encontrar “uma língua unificadora, qualquer que seja a idade, a renda e a cultura, e que ajude as pessoas a acharem uma nova forma de viver, a ver espaços ao seu redor de forma diferente, a pensar nos recursos que usam de forma diferente, a interagir de outra maneira” [...] E essa linguagem parece ser a comida”.

Assista a apresentação completa no vídeo abaixo:

 

 


Pensando EAN

Pensando EAN é um espaço para reflexões e citações sobre diversos temas relacionados à Comida, Cultura e Educação Alimentar e Nutricional. O post dessa semana é uma apresentação sobre como a comida pode conectar e transformar pessoas e cidades. Realizada no TEDSalon London Spring 2012 (www.ted.com), a apresentação foi feita pela Pam Warhurst, co-fundadora do Incredible Edible, uma iniciativa em Todmorden, Inglaterra dedicada ao cultivo de alimentos locais com o plantio em terras não utilizadas em toda a comunidade.



Go to page:
Observatório Opsan UNB
facebook
twitter
Layout e programação do site Identidade visual
Faça o ligin para continuar!

clique aqui