Ideias na Mesa - Blog


Posts Relacionados com a(tag):Produção sustentável de alimentos

postado por Lucas Ferreira em Terça-feira, 23 de Setembro de 2014

Você provavelmente sabe o que é alimentação sustentável e está ciente das questões em torno da criação de um sistema alimentar sustentável, certo? E você sabe o que você pode fazer diariamente a para promover isso?

A autora e defensora da alimentação sustentável Anna Lappé, explicou que a sustentabilidade é uma questão que tocamos todos os dias "por meio daquilo que escolhemos para comer no café da manhã, almoço e jantar, sendo que em um nível pessoal há muito que podemos fazer." Anna falou sobre "Sete Princípios para uma dieta amiga do clima” no seu livro Dieta para um Planeta Quente.

Diet for a hot

Confira os princípios passados pela autora:

integraisCompre alimentos de verdade, integrais. Isso significa alimentos mais próximos de seu estado natural quanto possível. Os alimentos que não tenham sido submetidos a processos energicamente intensivos e que não contêm aditivos químicos. Como Anna diz: "Pense em morangos frescos, não em barrinhas de cereais sabor morango."

 

 

 

prato vegetal

Mova alimentos de origem vegetal para o centro do seu prato. Use os produtos de origem animal para dar sabor, e não evento principal. A criação intensa de Gado e de outros animais aumenta o desmatamento e desgasta o meio ambiente.

 

 

 

 

organicos para comprar

Pense orgânico. Anna recomenda compras de alimentos que tenham sido produzidos sem produtos químicos industriais e outros insumos de alto custo ambiental. Procure o selo orgânico quando for fazer compras.


 

 

 

local food girl

Loja local. Apoie a sua economia alimentar local. Faça compras em supermercados que transportam alimentos locais, em mercados de agricultores ou participe de uma Feira da comunidade local.




 

waste fridge

Não desperdice. Uma das maiores questões na mudança para um sistema alimentar mais sustentável é algo que muitos conhecem: o desperdício de alimentos. Anna cita a estatística surpreendente que de 30 a 50 por cento de todos os alimentos que podem ser consumidos é desperdiçado. E "Se o desperdício de alimentos fosse um país, seria o terceiro maior emissor de gases de efeito estufa no mundo, depois dos Estados Unidos e da China!” O que você pode fazer? Não compre mais do que você precisa; Use o que você tem - cozinhe os legumes de sua gaveta de geladeira em vez de deixá-los murchar e apodrecer; Faça o almoço para levar para o trabalho; Faça uso de suas sobras; E composte restos de alimentos.



 


sem embalagem

Use menos embalagem: Escolha alimentos com um mínimo de embalagem quando for às compras; traga suas próprias sacolas para o supermercado e para a feira; use recipientes reutilizáveis para as suas sobras.



 
 
 
cozinha familia

Cozinhe. Faça mais de suas refeições! Nós temos muitas ideias e Mais que Receitas: plante um pouco da sua própria comida também. Leia o livro “Dieta para um planeta quente” de Anna Lappé.

 

 

 

 

 

 

Fonte: http://www.marthastewart.com/1076299/what-you-can-do-shop-cook-and-eat-more-sustainably

anna pa

Pensando EAN

Pensando EAN é um espaço para reflexões e citações sobre diversos temas relacionados ao campo da Alimentação e Nutrição em Saúde Coletiva e Educação Alimentar e Nutricional. O texto dessa semana é um artigo sobre princípios discutidos por Anna Lappé, autora e educadora conhecida pelas suas reivindicações na área dos sistemas alimentares sustentáveis. Anna é também fundadora dos projetos Small Planet Institute e Real Food/Food Mythbusters, também na área de alimentação saudável e sustentável.



postado por Ana Maria Thomaz Maya Martins em Terça-feira, 19 de Agosto de 2014

No Pensando EAN de hoje, você vai conhecer a visão da chefe de cozinha e escritora Alice Waters, vice presidente da Slow Food internationalEla acredita que as escolas tem um importante papel na promoção de uma alimentação adequada e saudável, além de se caracterizarem como um ambiente favorável para que o governo passe a subsidiar alimentos locais e sustentáveis.

“Durante metade do século passado, a indústria de fast-food, ajudada por subsídios do governo, passou a dominar o mercado de alimentos. Esse desenvolvimento nos levou a uma epidemia de obesidade e ao crescimento das chamadas fazendas industriais que tem contribuído para a degradação do meio ambiente.”

Em uma perspectiva futura Alice acredita que os movimentos que promovem uma alimentação saudável tendem a crescer e ganhar espaço. Ela também acredita que tende a crescer o número de chefs, agricultores e ativistas liderando a população frente a movimentos que buscam um futuro sustentável no âmbito da alimentação.

A seguir ela faz uma descrição sobre como ela acredita que será o futuro.

foto fruta criança

Mercado de agricultores


“O número de pequenos agricultores e de jovens que começam a entrar nesse mercado, vai aumentar geometricamente.

Ao mesmo tempo, pequenos restaurantes de família irão desfrutar de um ressurgimento. Estes proprietários - com pouco entusiasmo por franquias- estarão interessados principalmente na qualidade de vida e na construção de uma comunidade em torno de seus negócios. Estes restaurantes vão construir relacionamentos diretos com o campo e vão querer aumentar a qualidade e variedade de seus produtos. Como resultado, espero ver uma maior variedade de frutas e hortaliças se tornando disponíveis no mercado.

A crescente demanda, assim como a mudança climática, tendem a empurrar os agricultores a serem inovadores.

Este movimento representa uma ameaça para as empresas de fast-food e empresas de alimentos industrializados, os quais eu prevejo que vão continuar mudando sua forma de se comunicar com o consumidor, se apropriando de novos valores e visando sempre o lucro. Enquanto seus produtos continuarem a ser apoiados por subsídios do governo, eles serão bem sucedidos.

A realidade é que o alcance do movimento de comida sustentável vai crescer até um ponto e, finalmente, será limitado àqueles que possuem acesso, meios de aquisição e educação, a menos que os legisladores mudem radicalmente a política agrícola e alimentar.

Acho que os governantes vão voltar a sua razão nos próximos anos e começar a subsidiar agricultores em vez de fábricas. Como o acesso à comida de verdade se torna cada vez mais dividida entre os que têm e os que não têm, a segurança alimentar vai se destacar ainda mais como uma questão de justiça social.”

De volta à escola

“Estou confiante de que veremos um consenso crescente sobre a forma mais eficaz para transformar alimentos nos Estados Unidos da América: a construção de um programa real, sustentável e gratuito de merenda escolar. Os governantes e administradoes de instituições públicas vão concordar que o lugar mais sensato para alcançar cada criança e ter o impacto mais duradouro é com um programa de educação alimentar e nutricional. Tendo trabalhado nessa área há mais de 20 anos, através do Projeto “Edible Schoolyard”, eu sei o que é possível: proporcionar às crianças deliciosos pratos feitos com ingredientes orgânicos transforma suas atitudes e comportamentos em relação ao alimento para toda a vida.

Além do resultado nutricional individual de cada criança, um programa de alimentação institucional com critérios de compra que priorizem alimentos orgânicos e de origem local, torna-se um sistema de subsídios para a “comida de verdade”, ou seja, um sistema que vê as escolas como promotoras da sustentabilidade.

Eu sei que as pessoas em ambos os lados do corredor político finalmente percebem que na comida encontramos a raiz do problema de muitos dos males da nossa nação. Mas ainda não tenho certeza que eles também percebem a comida como solução.”

Para ler a matéria original: http://online.wsj.com/articles/alice-waters-says-the-future-of-food-is-sustainable-and-locally-sourced-1404763421

 

Pensando EAN

Pensando EAN é um espaço para reflexões e citações sobre diversos temas relacionados ao campo da Alimentação e Nutrição em Saúde Coletiva e Educação Alimentar e Nutricional. O texto dessa semana é um artigo publicado no The Wall Street Journal por Alice Waters - chef de cozinha e fundadora do projeto Edible Schoolyard Project.



Observatório Opsan UNB
facebook
twitter
Layout e programação do site Identidade visual
Faça o ligin para continuar!

clique aqui