Ideias na Mesa - Blog


Posts Relacionados com a(tag):Compostagem

postado por Rafael Rioja Arantes em Segunda-feira, 18 de Julho de 2016

A procura por alimentos orgânicos e agroecológicos assim como a conscientização sobre os benefícios de seu consumo vem crescendo no Brasil e no mundo. Dentre as principais motivações estão a procura por uma alimentação mais saudável, a valorização dos agricultores familiares e a preocupação com os agravos ambientais provocados pelo uso de agrotóxicos e sementes transgênicas.

Canais de comercialização alternativos como Centrais de Abastecimento, feiras de cooperativas e modalidades de compras como as Comunidades que Sustentam a Agricultura (CSA) se apresentam como os principais locais de escoamento de alimentos orgânicos. Esses canais permitem uma maior interação entre agricultores e consumidores, o que desperta a curiosidade do público além de permitir a troca de conhecimentos. Nesse sentido, muitas pessoas têm procurado não apenas comprar, mas também plantar os próprios alimentos ecológicos, seja na janela do apartamento ou no quintal de casa.  

No Mais que Ideias de hoje compartilhamos uma série com dez vídeo aulas elaboradas pela Borellistudio ensinando a como desenvolver sua própria horta. Os episódios duram entre 25-30 minutos e estão estruturados de maneira didática. A primeira aula, por exemplo, introduz alguns conceitos de hortas orgânicas e fala inclusive sobre Segurança Alimentar. Os vídeos subsequentes abordam etapas como, preparação do solo, compostagem, hortas em vasos, plantio, controle de pragas e colheita.

O curso é ministrado em espanhol, mas no canto inferior direito é possível selecionar a opção de legendas em português. Confira as três primeiras etapas:

 

Para conferir as outras aulas e começar a plantar os próprios alimentos acesse o link do canal.


 



postado por Ramon da Silva Rodrigues Almeida em Segunda-feira, 24 de Agosto de 2015

Hoje no [Você no Ideias] traremos o projeto Transforma a Terra, uma ação voluntária que atua em instituições de ensino e atendimento à criança do estado de São Paulo.

As ações do projeto visam trabalhar temas relacionados à alimentação e o meio ambiente, como reciclagem de resíduos orgânicos no ambiente escolar, a produção de adubo e seu uso em hortas para a produção de alimentos nas hortas das próprias instituições.

 

As atividades são feitas por meio de rodas de conversa, na experimentação de práticas para criar elementos de ensino e conscientização nas crianças quanto ao sistema alimentar e ao direito a uma alimentação adequada, auxiliando na formação destas como cidadãos.

Hoje o projeto já é adotado em algumas escolas da rede estadual e auxilia nas práticas educacionais, na construção de hortas e de um modelo de compostagem, entre outras ações, a fim de tornar as escolas em modelos de sustentabilidade.

Confira o relato completo dessa experiência aqui: http://goo.gl/3GCU62


 

Você no Ideias na Mesa!      

Em 2015 queremos valorizar ainda mais as experiências de Educação Alimentar e Nutricional cadastradas na rede. Assim como o Edson Silva, você pode ter a oportunidade de ter sua experiência divulgada aqui no Blog. Cadastre suas experiências de EAN e compartilhe com outros usuários suas vivências, ideias e desafios. Vamos fortalecer e qualificar nossas ações pelo Brasil!



postado por Ramon da Silva Rodrigues Almeida em Terça-feira, 30 de Junho de 2015

O [Pensando EAN] de hoje traz o TEDxLaçador da jornalista Fernanda Danelon, que propõe uma revolução no Brasil, que já vem acontecendo de forma silenciosa em diversas cidades ao redor do mundo todo, conhecida como “do prato ao prato”.

Essa revolução começa na transformação do próprio lixo em comida através da compostagem dos resíduos orgânicos produzidos em nossas casas, promovendo ações e iniciativas diretas e indiretas de educação ambiental em conjunto com a educação alimentar e nutricional, como por exemplo as hortas urbanas.

“Cada brasileiro produz 1kg de resíduo orgânico por dia, sendo assim são 200 milhões de kgs gerados por dia em todo o Brasil”

A jornalista instiga-nos a não depender de políticas públicas ou ações governamentais para colocarmos em prática ações de mudanças. Entretanto respalda a importância do projeto “Composta São Paulo”, onde a prefeitura da cidade distribuiu 2000 minhocários para as famílias fazerem suas próprias compostagens.

 

E expõe dados de uma pesquisa que avaliou o projeto e revelou que 78% dos participantes mudaram seus hábitos alimentares e passaram a comer mais frutas e verduras, além de 1/3 destes começarem a construção de uma rede de trocas de experiências e o início de hortas comunitárias.

“Essas hortas acabaram virando espaços de convívio, de reocupação de fato da cidade, começou a haver muita troca”

“Começamos a descobrir plantas comestíveis não convencionais também, aquele matinho que cresce no meio da calçada e você não dá valor. Esse matinho não só pode ser muito rico nutricionalmente, como tem uma infinidade de receitas para fazer com ele”

“Nisso você começa a prestar mais atenção no que está comendo”

Fernanda ainda mostra a sua iniciativa de fundar o Instituto Guandu, que tem por missão compartilhar informação e conhecimento sobre meio ambiente e segurança alimentar através de hortas-escolas e da ecogastronomia, além de trazer soluções ambientais para os resíduos orgânicos gerados pelos restaurantes.

“O que nos une invariavelmente é o prato de comida, somos todos diferentes, mas somos completamente interdependentes”

Ela encerra sua participação de forma bela e inspiradora: “A revolução que a gente tanto quer começa na cozinha e comer pode e deve ser um ato político”.

Confira o vídeo da apresentação da jornalista Fernanda Danelon logo abaixo:



postado por Ramon da Silva Rodrigues Almeida em Segunda-feira, 18 de Maio de 2015

Ontem, dia 17 de maio, foi comemorado o Dia Mundial da Reciclagem.

Pensando nisso a equipe do Ideias na Mesa traz o relato da experiência da Ecopostila, projeto formalizado pelo SEBRAE e desenvolvido no Distrito Federal pela equipe de ambientalistas: Edson Silva, Luciana Ribeiro e com as ilustrações de Juliana Ribeiro.

A Ecopostila propõe a construção de um novo olhar pedagógico na comunidade escolar e incentiva a socialização e a comunicação das crianças com assuntos relacionados à alimentação saudável, como combater a obesidade, hipertensão, sobre os danos provocados pelo consumo de alimentos industrializados, sustentabilidade, entre outros.

Dessa forma, a ecopostila procura ajudar @s professor@s e educador@s na elaboração de atividades lúdicas e artísticas como piqueniques, caminhadas ecológicas, dinâmicas em grupo, além de atividades educativas com hortas, compostagem e reciclagem de resíduos sólidos e orgânicos.

Confira toda a experiência da Ecopostila aqui.

 

 

Fotos: http://bela-ecopedagogia.blogspot.com.br/2014/09/d.html


Você no Ideias na Mesa!

Em 2015 queremos valorizar ainda mais as experiências de Educação Alimentar e Nutricional cadastradas na rede. Assim como a Luciana Ribeiro, você pode ter a oportunidade de ter sua experiência divulgada aqui no Blog. Cadastre suas experiências de EAN e compartilhe com outros usuários suas vivências, ideias e desafios. Vamos fortalecer e qualificar nossas ações pelo Brasil!



postado por Lucas Ferreira em Quinta-feira, 14 de Agosto de 2014

O concurso Raspei o Prato acabou, mas o desperdício ainda não. Muitos alimentos são jogados fora diariamente, gerando toneladas de lixo orgânico que sobrecarregam os aterros sanitários e contaminam a separação de lixo reciclável. O acúmulo é tão sério, que verdadeiras cidades tem sido formadas em torno de montanhas de materiais descartados. Inclusive, o Artigo 9º da Lei 12.305 de Agosto de 2010 determinou o tratamento do lixo como uma das atividades obrigatórias na gestão e gerenciamento de resíduos sólidos, para tentar diminuir a poluição gerada por esses resíduos.

Tudo bem, tudo bem, tem muito lixo no mundo, e daí? E daí que nem tudo que não volta pra cozinha tem que ir pro lixão. Quando se faz a separação de lixo orgânico e lixo reciclável, é possível usar os restos de alimentos, papeis e tecidos para produzir seu próprio adubo natural! Sem agrotóxicos, sem aditivos químicos, sem custo. Você já pensou em fazer compostagem na sua própria casa? 

composte!

A ideia é tão simples que nem dá pra acreditar que funciona. Nessa apresentação elaborada pelo Instituto de Biociências da USP, o Projeto de Coleta Seletiva mostrou como é possível fazer a compostagem a céu aberto. Esta é uma das maneiras de produzir adubo usando restos orgânicos, mas não é a única.

Você pode usar papel, restos de alimentos, serragem e cinzas. Algumas composteiras são fechadas, podendo ser usadas em lotes pequenos ou até em apartamentos. A quantidade de adubo depende do lixo produzido, e você pode começar a usar a partir de 2 meses da primeira adição. Essa imagem pode esclarecer mais sobre o processo de decomposição:

compostagem minhocas

Composta São Paulo, projeto desenvolvido pelo Plano Municipal de Resíduos Sólidos de São Paulo, distribuiu para a população composteiras duradouras, feitas de caixas de plástico, que decompõem resíduos de alimentos e geram adubo sólido (matéria marrom) e adubo líquido, que é o excesso drenado dos alimentos pela terra. 

Neste projeto, a compostagem é acelerada com o uso de minhocas, que digerem a matérias orgânica com maior facilidade, gerando um adubo de ainda maior qualidade. As inscrições para o Composta São Paulo já acabaram, mas o projeto rendeu muita discussão e novas ideias sobre o reaproveitamento de lixo orgânico.

Quando feito da forma correta, o processo não produz cheiro ruim e não atrai insetos. Quem realiza o processo não gasta mais de 30 minutos por semana após a montagem do equipamento e tem um aprendizado ainda maior quando passa a cuidar de sua própria horta, produzindo alimentos orgânicos e extremamente nutritivos.

Se ficou alguma dúvida sobre o processo, temos alguns sites que você pode consultar:

O Compostagem Urbana é um site que explica o processo de compostagem, com exemplos de materiais orgânicos e até mesmo os benefícios e vantagens do processo.

O Morada da Floresta, parceira do Composta São Paulo tem o foco no cuidado com o meio ambiente e a vegetação, aplicando princípios de Agroecologia e sustentabilidade em projetos educacionais. Com vídeos e uma loja virtual, a equipe detalha os processos de compostagem e fornece equipamentos para o processo.

O eCycle tem uma descrição dos processos químicos e dos resultados da compostagem, com exemplos de composteiras diferentes, que podem ser usadas em casa ou em chácaras.

Comece a compostar também! O planeta e sua horta agradecem!




postado por Stefany Correa Lima em Segunda-feira, 05 de Agosto de 2013

Dois estudantes de designer de Nova York, criaram uma solução criativa e eficaz que estimula a compostagem. A ideia surgiu ao observarem pessoas jogando lixo pela janela, independente da falta de educação, o que eles viram ali foi desperdício de material biodegradável.Os dois criaram então o Hello Compost, com o objetivo de mudar hábitos e de beneficiar a comunidade.

Como? As famílias guardam seus resíduos em sacos com isolamento de odor, que podem colocar no freezer. Os sacos ainda possuem um design bonito e colorido, deixando a ideia de lixo e saco preto. Depois esses sacos vão para o Project EATS, uma instituição de agricultura orgânica urbana sem fins lucrativos, que os pesa e gera créditos para as famílias. Os créditos são depois trocados por alimentos frescos, produzidos localmente.

Então temos: pessoas aproveitando seus resíduos orgânicos (só em Nova York isso representa 35% do lixo produzido), que pode ser usado como adubo; famílias se alimentando melhor e poupando dinheiro; agricultores locais ganhando também com o processo.

Vale a pena conferir essa ideia! Acesse: http://www.hypeness.com.br/2013/07/iniciativa-inteligente-transforma-lixo-de-familias-em-produtos-frescos/

*Fonte: Adaptado de Hypeness- por Jaque Barbosa



Observatório Opsan UNB
facebook
twitter
Layout e programação do site Identidade visual
Faça o ligin para continuar!

clique aqui