#soumaisfelizassim
Postado 25/07/2017

 
Postado por
Maria Góes Drumond

Belo Horizonte - MG

Organização/Instituição Promotora da Experiência : Faculdade Ciências da Vida
Área da Experiência: Educação, Saúde
Niveis Atuacao: Municipal/Local
Setor da Organização/Instituição: Privado
Sujeito Idade: De 11 a 19 anos,
Número Aproximado de Participantes da Experiência : 0-50
Sujeito Caracteristica : Comunidade em geral, Profissionais da saúde, Professores
Tipo Local: Espaço público (praça, mercado, centro comunitário, igreja...)
Tipo Experiência: Atividade Lúdica e Artística, Dinâmica em Grupo, Material Impresso, Palestra
Temática: Alimentação do escolar, Alimentos ultraprocessados / alimentos industrializados, Aproveitamento integral dos alimentos, Gastronomia / culinária, Promoção da Alimentação Adequada e Saudável, Rotulagem / informação nutricional, Outros


Sobre A Iniciativa:

Esse projeto foi desenvolvido pelos alunos do 5º período de Nutrição da Faculdade Ciências da Vida (FCV) que cursaram a disciplina Educação Nutricional em 2017/1. Eles realizaram uma intervenção educativa com adolescentes frequentadores de uma igreja na cidade de Sete Lagoas/MG. Essa intervenção teve como objetivo analisar a influência dos meios de comunicação na autoestima e no comportamento alimentar dos adolescentes.



Passo A Passo:

O projeto foi realizado em uma igreja na cidade de Sete Lagoas/MG, nos meses de março a junho de 2017, com a participação de 09 adolescentes, na faixa etária de 13 a 17 anos de idade, sendo 22,23% meninos e 77,77% meninas.

A intervenção contemplou 03 encontros, sendo 01 encontro/mês:

- 1º encontro (abril/17): os adolescentes foram apresentados e iniciaram a participação a partir da dinâmica de interação, onde cada um escreveu no pedaço de papel o alimentos que considerava não nutritivo e depositou dentro do balão. Todos os balões foram misturados, cada participante escolheu um para estourar, ler e explicar porque aquele alimento não é considerado saudável. Depois, discutiu-se sobre as características nutricionais dos alimentos, seus malefícios à saúde e a importânica da alimentação equilibrada. Após a dinâmica, aplicou-se um questionário de percepção de autoimagem e de frequência alimentar (QFA), além da realização da anamnese individual. Ao final, foi oferecido uma salada de frutas para incentivar o consumo de alimentos saudáveis. Os instrumentos utilizados nesse encontro balizaram o planejamento da intervenção nutricional e recursos necessários para os encontros subsequentes.

- 2º encontro (maio/17): nesse encontro os responsáveis pelos adolescentes compareceram por iniciativa própria a fim de buscar informações sobre alimentação saudável. Discutiu-se sobre as principais dúvidas levantadas no encontro anterior, trabalhou-se o tema "Rotulagem de alimentos", aplicou-se um questionário de avaliação intermediária para verificar a adesão dos participantes e encerrou o encontro com um lanche composto por sanduíches naturais e suco de frutas com água gaseificada para incentivar o consumo de bebidas naturais se adição de açúcares.

- 3º encontro (junho/17): partipação de uma psicóloga para abordagem dos seguinte temas: autoestima, a influência da mídia na adolescência, aceitação dos grupos sociais e o preconceito. Após a palestra, foi realizada uma dinâmica sobre autoestima: um espelho foi colocado dentro de uma caixa e os participante sforma chamados um a um para visualizarem a pessoa mais importante e eles viram o seu próprio reflexo. Depois foram distribuídos panfletos sobre alimentação saudável e divulgado o atendimento da Clínica Escola de Nutrição e Plantão Psicológico da FCV. No encerramento, aplicou-se um questionário para avaliar o nível de adesão dos participantes no projeto.



Considerações:
Os adolescentes, com idade média de 14 anos (DP ± 1,8), que foram submetidos à avaliação nutricional, apresentaram os seguintes resultados:
- Escolaridade: 33% Ensino fundamental e 67% Ensino Médio;
- Prática de Atividade Física: 56% praticam alguma atividade física regular;
- IMC (OMS, 2007): meninas: média de 21,66 kg/m² (eutrofia) e meninos média de 18,57 kg/m² (eutrofia);
- Mastigação: rápida: 44%; normal: 22%; lenta: 22%;
- Funcionamento Intestinal: 77% relataram normalidade e 22% relatou constipação intestinal;
- Alimentam-se enquanto assistem TV, usam celulares ou outro dispositivo: 44% responderam que sim;
- Fazem as principais refeições acompanhados: 56% responderam que sim;
- Preferências Alimentares: 33% doces e carne; 22% chocolate, verduras e massas;
- Aversões Alimentares: 78% relataram não gostar de algum tipo de hortaliça;
- Questionário de frequência do consumo semanal dos alimentos (QFA): consumo elevado de produtos industrializados, carboidratos simples e goduras saturadas;
- Frequência das refeições: menos da metade dos adolescentes faziam as refeições colação e ceia.
 
Em relação ao questionário sobre a satisfação da imagem corporal e influência da mídia no comportamente alimentar, os resultados foram:
- Satisfação com a aparência física: 33% satisfeitos e 67% insatisfeitos;
- Já sofreram algum tipo de preconceito em relação à aparência física: 56% sim e 44% não;
- Amigos que influenciam no comportamento alimentar: 33% sim e 67% não;
- O que mudariam no corpo: 22% peso, 22% altura e 22% definir o corpo;
- Converam com os pais sobre as dificuldades: 33% sim, 56% não e 11% raramente;
- Percepção da alimentação: 22% relataram que precisam mudar os hábitos alimentares e 33% que possuem alimentação ruim;
- Já foram a um nutricionista: 44% sim, 56% não e 67% tem interesse em fazer um acompanhamento nutricional;
- Participam de grupos sociais que abordam temas como beleza, receitas de alimentos e hábitos saudáveis: 22% sim e 89% não;
- Como a mídia influencia na alimentação: 78% sim, através de anúncios de alimentos industrializados e de produtos que prometem deixar o corpo perfeito.
 
O questionário aplicado no último encontro revelou os seguintes resultados sobre a avaliação da intervenção:
- Como avaliaram o projeto: 33% disseram que o projeto foi muito bom e 67% ótimo ou excelente;
- As informações foram satisfatórias e esclarecedoras: 100% disseram que sim;
- A opinião mudou a respeito da mídia social: 88% sim, 12% não houve mudança porque não interferia no comportamento alimentar;
- Mudança na percepção da imagem corporal após o projeto: 100% afirmaram que houve mudança positiva de percepção da autoimagem;
 
Os resultados obtidos em todas as etapas de avaliação do projeto evidenciam que a intervenção foi satisfatória e o objetivo foi alcançado. Os adolescentes relataram que as informações foram importantes e deixaram sugestões para futuros trabalhos: aumentar o número de encontros, discutir sobre dietas da moda e incentivo à pratica de atividade físicas.






Álbum de Fotos da Experiência



Biblioteca da Experiência
1 - anamnese
2 - brinde
3 - folder orientações gerais
4 - folder aproveitamento integral
5 - questionário avaliação final
6 - questionário "sou assim"


Experiências Relacionadas







Observatório Opsan UNB
facebook
twitter
Layout e programação do site Identidade visual
Faça o ligin para continuar!

clique aqui