EAN como estratégia para a prevenção de doenças diarreicas no Município de Santa Cruz/RN
Postado 10/08/2018

 
Postado por
Lana Laysa da Costa Dantas Pinheiro

Santa Cruz - RN

Organização/Instituição Promotora da Experiência : Vigilância Sanitária de Santa Cruz/RN
Área da Experiência: Saúde
Niveis Atuacao: Municipal/Local
Setor da Organização/Instituição: Público
Sujeito Idade: De 0 a 10 anos,
Número Aproximado de Participantes da Experiência : 101-500
Sujeito Caracteristica : Estudantes, Profissionais da saúde
Tipo Local: Escola / Creche
Tipo Experiência: Atividade Lúdica e Artística, Dinâmica em Grupo, Painel, Roda de Conversa
Temática: Alimentação do escolar, Direito Humano à Alimentação Adequada e Segurança Alimentar e Nutricional , Higiene / conservação dos alimentos, Promoção da Alimentação Adequada e Saudável


Sobre A Iniciativa:

O projeto intitulado “Educação Alimentar e Nutricional como estratégia para prevenção de doenças diarreicas em escolares no município de Santa Cruz” foi planejado a partir da análise de dados referentes aos casos de diarreia ocorridos na população, onde, após análise dos dados epidemiológicos, foi constatado que o bairro que ocorreu o maior número de casos de doenças diarreicas foi o bairro Paraíso, maior bairro populacional da Cidade.  Vale ressaltar que do total de 2.245 casos de Doenças Diarreicas notificados em 2017, 31 % vieram do Bairro Paraíso.

 Dessa forma, a intervenção foi realizada na escola deste bairro, com o objetivo de orientar os alunos sobre a importância de consumir frutas e vegetais ao longo do dia, sobre a higienização das mãos e dos alimentos antes de seu consumo, afim de reduzir a incidência de doenças diarreicas em crianças de 5 a 10 anos.   



Passo A Passo:

A experiência foi realizada em 4 encontros semanais, com os alunos da Escola Municipal Aluízio Bezerra, sendo 2 turmas de 4° ano (manhã e tarde) e 2 turmas de 5° ano (manhã e tarde), totalizando aproximadamente 160 alunos. Foi apresentada a importância da higienização das mãos da forma correta, assim como a demonstração de como realizá-la.

Para ilustrar a dinâmica, foi apresentado um painel interativo da oficina “Mãos limpas: corpo seguro”, confeccionado em um isopor, constando o passo-a-passo da higienização. Para apresentar o passo-a-passo foi utilizado a recomendação da ANVISA.  Na oficina, a mediadora ensinava todos os passos para a higienização correta das mãos e todos iam seguindo os passos, a partir do comando e demonstração da mediadora.

Para verificar se os alunos aprenderam a higienização de forma correta, foi solicitado um voluntário (a) entre eles para demostrar como ele aprendeu a higienização das mãos. Na dinâmica foi utilizada uma metodologia lúdica da seguinte forma: com a criança de olhos vendados, a mediadora colocava um pouco de tinta guache nas mãos da criança, e explicava que ele deveria imaginar que estivesse lavando as mãos em uma pia. 

Ao final, com os olhos já abertos, era explicado que os locais onde a tinta gauche não foi aplicada, significava que foi onde o sabonete líquido não atuou, e dessa forma esses locais deveriam ser higienizados

 A segunda oficina “Conservando os alimentos: criando hábitos para futuro”, consistiu em explicar para a turma a importância do consumo de frutas e vegetais ao longo do dia, sendo a recomendação para esse público a de consumir 5 porções ao dia, de acordo com o Programa 5 ao dia. Uma forma dinâmica para que os alunos fixassem bem a dinâmica, foi apresentado com um fantoche contendo 1 fruta/vegetal em cada dedo da mão.

O terceiro momento foi a parte da higienização das frutas e vegetais. Para isso foi apresentado um painel também confeccionado com isopor, no qual explicava a importância da correta higienização das frutas e verduras. Na oficina era bastante enfatizado que apenas a água não fazia a correta higiene e que a adição de hipoclorito de sódio era necessária para que frutas e verduras fossem higienizadas. Para ilustrar de forma lúdica, foi utilizado uma jarra com água contendo iodo (o que deixou a água escura) e adicionado um pouco de água sanitária, resultando em uma água limpa.

Como forma de atividade prática, em seguida foi solicitado que alguns alunos fizessem a higienização da alface e da tomate com a adição de hipoclorito, da mesma forma como foi explicado na oficina, com o auxílio da mediadora.

Ao final, os próprios alunos montaram um sanduiche natural, feito com a fruta e a verdura que eles tinham previamente higienizado, propiciando tanto a fixação do conteúdo abordado na oficina, quanto ao consumo adequado de alimentos saudáveis.



Considerações:

Na execução sempre que eram dadas algumas informações os alunos eram questionados para termos a certeza que tinham aprendido o que foi repassado, e dessa forma obtemos um resultado positivo, pois eles sempre sabiam responder as perguntas. Além disso, observamos que a interação deles com as dinâmicas, principalmente práticas, foram satisfatórias, tanto para aceitação do sanduíche natural, quanto pelas atividades lúdicas que prenderam a atenção deles do início ao fim da atividade.

Durante a execução da intervenção foi possível verificar o quanto algumas crianças estavam atentas às informações repassadas pelos mediadores, porém uma dificuldade encontrada é que algumas crianças não conseguem se concentrar e prestar atenção no que está sendo trabalhado.

Ressalta-se que observa-se que os alunos ficaram mais encantados com as dinâmicas lúdicas, como a adição da água sanitária na água suja (com o iodo), onde puderam realmente entender como o hipoclorito de sódio age na higienização das frutas e verduras.

Em suma, é incontestável o valor da educação nutricional para promoção de saúde, entretanto, acredita-se que essas atividades compõem um pequeno início no aprendizado sobre alimentação saudável e segura, pois ações efetivas e duradouras devem ser realizadas de forma contínua e permanente, desde a primeira infância para criação de hábitos presentes no futuro. 

 

 Autores: Lana Laysa da Costa Dantas (Nutricionista/Fiscal ds VISA);  João Vitor da Silva Gilherme (Estagiário de Nutrição da VISA); Letícia Karin Azevedo Dantas (Estagiária de Nutrição da VISA).







Álbum de Fotos da Experiência



* Nenhum arquivo encontrado!


Experiências Relacionadas







Observatório Opsan UNB
facebook
twitter
Layout e programação do site Identidade visual
Faça o ligin para continuar!

clique aqui