Evolução dos Estágios de Mudança e do Estado Nutricional de Mulheres mediante Intervenção Nutricional Pautada no Modelo Transteórico para Consumo de Óleos e Gorduras

Introdução: Pesquisas apontam para o aumento do teor de gorduras totais e saturadas na dieta, suscitando a necessidade de intervenções nutricionais efetivas que facilitem mudanças de comportamentos, como aquelas pautadas no Modelo Tranteórico (MT) para consumo de óleos e gorduras. Entretanto, não há relatos de iniciativas nesse sentido no Brasil.

Objetivo: Analisar a evolução dos estágios de mudança (EM) e do estado nutricional mediante intervenção baseada no MT para consumo de óleos e gorduras em mulheres de Serviço Público de Promoção da Saúde de Belo Horizonte-MG.

Métodos: Realizou-se ensaio controlado e randomizado, sendo o grupo controle (GC, n=38) indivíduos que participaram de intervenções rotineiras do local do estudo, incluindo prática de exercícios físicos e educação alimentar e nutricional em grupo e/ou individual. Já o grupo intervenção (GI, n=59), além dessas intervenções, participaram de 10 oficinas específicas, segundo a classificação dos EM para consumo de óleos e gorduras alocados nos grupos pré-ação e ação. Realizaram-se os testes estatísticos: Qui-quadrado, Exato de Fisher, t de Student simples e Mann-Whitney para comparações intergrupos; e McNemar, t de Student pareado, Wilcoxon para as intragrupos (p < 0,05). Ademais, realizou-se regressão linear múltipla visando verificar os fatores relacionados à redução de peso.

Resultados: Dos 97 indivíduos que iniciaram o estudo, 77 (79,4%) completaram, sendo excluídos os homens (n=6) visando a homogeneidade da amostra, totalizando  71 indivíduos (GI=40, CG=31). Comparado aos que se mantiveram, aqueles que abandonaram o estudo eram mais jovens e relataram maior prevalência de tratamento psiquiátrico. Na linha de base, o GC e o GI apresentaram características semelhantes, diferenciando-se apenas para o consumo de colesterol. Em relação aos EM para consumo de óleos e gorduras, a maior parte das mulheres foi alocada no grupo ação (GC: 54,8%; GI: 50,0%). Após a intervenção, participantes do GI apresentaram melhora na percepção corporal, redução de peso e Índice de Massa Corporal (IMC), e diminuição do consumo de calorias e de alimentos ricos em gorduras. Quando as participantes foram avaliadas segundo a reclassificação em pseudomanutenção (PM) e ação não-refletiva, verificou-se apenas elevada prevalência de PM (46,5%). Após a intervenção, mulheres em PM, em comparação às demais integrantes do GI, apresentaram progressão dos EM, redução do consumo de calorias, peso e IMC. Foram associados à redução de peso, verificada no GI: renda familiar per capita (β1=0,349, p=0,021), consumo de proteínas (β2=-0,443, p=0,004), ingestão adequada de lipídeos (β3=0,317, p=0,024) e hábito de retirar a gordura aparente das carnes e pele do frango (β4=0,298, p=0,038).

Conclusão: A participação em intervenção nutricional pautada no MT promoveu redução do consumo de calorias e alimentos ricos em gorduras, de peso e IMC, bem como a melhora da percepção corporal. Dentre as participantes do GI, aquelas em PM apresentaram mudanças mais positivas, com destaque para a progressão nos EM. Esses resultados denotam a importância deste estudo pioneiro no Brasil, ratificando a necessidade de se realizar intervenções nutricionais voltadas para a promoção de hábitos alimentares mais saudáveis, com enfoque na redução da ingestão de óleos e gorduras. 

 

        mesafrutasintervenção

Autor: Mariana Carvalho de Menezes

Email: marysnut@gmail.com

Orientador: Aline Cristine Souza Lopes

Email: alinelopesenf@gmail.com

Data de Publicação: 2012-09-17

Instituição: Universidade Federal de Minas Gerais

Estado: MG

Cidade: Avaliação de ações de EAN

Tipo de Trabalho: Dissertação

Observatório Opsan UNB
facebook
twitter
Layout e programação do site Identidade visual
Faça o ligin para continuar!

clique aqui