A importância da Educação Alimentar e Nutricional em ações políticas para redução do consumo de sódio

O objetivo do trabalho foi discutir a importância da Educação Alimentar e Nutricional no planejamento de ações políticas nacionais que reforcem a diminuição no teor de sódio pela população brasileira. A metodologia utilizada foi pesquisa bibliográfica e análise de documentos técnicos e publicações referentes à redução do consumo de sódio da população brasileira e internacional, cedidos pela Coordenação Geral de Alimentação Nutrição/DAB/SAS/Ministério da Saúde.

Descreve-se sobre as características do perfil nutricional da população mundial e brasileira em relação ao consumo de alimentos industrializados e ricos em sódio, no qual foi observado que o brasileiro está consumindo 4,5 gramas de sódio por pessoa por dia (g/p/d), apontando que está ocorrendo o dobro do consumo do limite máximo recomendado pela OMS de 2 g/p/d. Foi realizada a avaliação da experiência brasileira e internacional na construção e implementação de estratégias para redução de sódio nos alimentos processados, e foi visto que no Brasil está sendo implementada a estratégia de redução de sódio dos alimentos industrializados, existindo ainda a necessidade de aumentar o número de práticas de ações de EAN; no âmbito internacional foi observado que existem alguns países que conseguiram implementar ações de Educação Alimentar e Nutricional e obtiveram sucesso nos resultados de saúde da população. Identificou-se então o papel da educação alimentar e nutricional (EAN) na promoção de hábitos alimentares saudáveis, no contexto da realização do Direito Humano à Alimentação Adequada (DHAA) e da garantia da Segurança Alimentar e Nutricional (SAN), por meio de ações de EAN para a redução do consumo de sódio.

Conclui-se que, à medida que a Educação Nutricional avance e se estabeleça como parte de uma política pública intersetorial de promoção para a saúde, a alimentação saudável passará a fazer parte da vida dos brasileiros, prevenindo não apenas a hipertensão, mas também, outras doenças crônicas não transmissíveis.

Autor: Débora Tavares de Castilho

Email: debora.castilho22@gmail.com

Orientador: Patricia Martins Fernandez

Email: patmfernandez@gmail.com

Data de Publicação: 2013-12-02

Instituição: Centro Universitário de Brasília - UniCEUB

Estado: DF

Cidade: Brasília

Tipo de Trabalho: TCC

Observatório Opsan UNB
facebook
twitter
Layout e programação do site Identidade visual
Faça o ligin para continuar!

clique aqui