Ideias na Mesa - Blog


postado por Marina Morais Santos em Quinta-feira, 02 de Fevereiro de 2017

Se pensarmos apenas no preço, os alimentos orgânicos quase sempre ficam em desvantagem em relação ao alimentos convencionais. Quando, no entanto, outros elementos entram na conta, concluímos que o custo de alimentos convencionais é, na verdade, bem maior daquele que está na etiqueta. Este aparente menor valor não reflete os custos ambientais e sociais da produção desses alimentos. Comprar e consumir alimentos orgânicos é investir na sua saúde e contribuir para um sistema de produção de alimentos mais justo, na perspectiva do desenvolvimento local, e com menores impactos ambientais.  

Se você prestar atenção verá que há variedades em relação ao que comumente chamamos de “orgânicos”, como por exemplo os agroecológicos, os oriundos da agricultura familiar, do comércio justo, da biodiversidade. Procure escolher estes produtos e conhecer a diferença entre eles.

Ao adquirí-los você pode contribuir com agricultores familiares ou pequenas cooperativas e, com o desenvolvimento de sistemas agroecológicos, onde a produção é diversificada, harmonizada com o bioma e que logicamente não utiliza agrotóxicos e sementes transgênicas.

Pensando assim, é  uma pechincha, não é?

Elaboramos algumas dicas para que você melhore seus hábitos alimentares e faça caber no seu orçamento produtos orgânicos e agroecológicos!

1)   Coma o que está na estação

Frutas e hortaliças da estação tendem a ser mais saborosas, nutritivas  e baratas, isso porque elas são colhidas quando maduras e em grande quantidade. É um caso clássico de oferta e procura!

Quando o alimento está fora da estação, a sua escassez faz com que o preço aumente.

Você pode descobrir quais são as frutas e hortaliças de cada estação por meio da Tabela de Sazonalidade, disponível no Portal Orgânico

1

2)   Vá a feira

Se você não freqüenta feiras semanais de produtores locais, está perdendo um dos melhores eventos da cidade! As feiras de produtores locais são festivas e divertidas para adultos e crianças. Quando visitar a feira, compare os preços entre as bancas e experimente os produtos vendidos para levar para casa alimentos frescos, deliciosos e com bom preço. Procure por produtos com o Selo de Produtos Orgânicos e bancas que possuam o Certificado de Produtor Orgânico ou que sejam cadastradas em um uma Organização de Controle Social, assim você terá certeza de que o produto que está comprando é realmente orgânico.2

3)   Compre grandes quantidades

Comprar produtos orgânicos em grandes quantidades pode ser bastante econômico. Organize grupos de compras com vizinhos e amigos tanto para alimentos que podem ser estocados por mais tempo quanto para a compra de frutas e hortaliças.

3

4)   Aproveite o máximo de cada alimento

O desperdício de alimentos na sua casa pode ter um grande impacto no seu orçamento, assim como o aproveitamento integral deles pode trazer grande economia! Escolha receitas que aproveitem as partes do alimento que você normalmente jogaria fora, mas que tem grande valor nutricional e potencial gastronômico: bolos que utilizam cascas de frutas, saladas que aproveitam os talos de hortaliças e caldos caseiros à base de carcaças e ossos de galinha, por exemplo. Você encontra muitas receitas deliciosas e contra o desperdício no site do Banco de Alimentos.

4 

5)   Compre alimentos da estação em grande quantidade e conserve para o ano todo

Frutas e hortaliças ficam mais baratas e saborosas na estação, por isso vale a pena comprar em grandes quantidades e preservá-las por vários meses! Nossas avós faziam compotasdocesconservas e geléias com as frutas e legumes da estação; em nosso tempo, podemos fazer ainda mais: molhos, sopas, frutas e hortaliças limpas, descascadas e picadas podem ser conservadas por vários meses no congelador.

 Isso tudo parece um sonho nostálgico? Por que não experimentar? Clique nos links em laranja acima para receitas e dicas de congelamento!

5

6)   Ao invés de comer fora, prepare um refeição coletiva orgânica em casa

Comer fora é muito prazeroso, mas não deve ser um hábito, uma vez que é mais caro e, muitas vezes, menos saudável do que comer em casa. Juntar panelas com amigos e família pode ser um jeito de reduzir gastos e ainda ter um momento de confraternização delicioso: cada um traz um prato e ninguém tem que dividir a conta no final! Além disso, cozinhar com amigos e família incentiva a todos a cozinhar e comer de maneira mais saudável também!

6

7)   Cultive sua comida

Como diz o ditado: “Cultivar seu próprio alimento é como imprimir seu próprio dinheiro”. Ter uma horta em casa é um jeito muito divertido de economizar dinheiro e garantir sempre frutas e hortaliças orgânicas na sua mesa. Você pode se inspirar em redes sociais como no Pinterest e aprender a fazer sua própria horta com esse guia do Portal Orgânico. Se você tem pouco espaço em sua casa comece com temperos e chás. Você pode também organizar um pequeno grupo de vizinhos para aproveitar uma área pública e deixar a cidade mais bonita, criar laços de amizade e companheirismo! Veja a experiência das Horta das Corujas, da Revolução dos Baldinhos e dos Hortelões Urbanos para se inpirar.

7

8)   Planeje o seu cardápio

Planejar um cardápio semanal das refeições que serão preparadas em casa ajuda no planejamento das compras. Isso facilita muito a sua vida além de ser mais econômico.  Dessa maneira, você garante que tudo o que for comprado será utilizado durante aquela semana em refeições e pratos diferentes: sem desperdício de comida ou de dinheiro!

m

9)   Deixe de comprar industrializados

Para economizar nas compras de alimentos, adquira apenas o essencial e deixe de comprar industrializados como salgadinhos, refrigerantes, macarrão instantâneo e comida pronta congelada que não são nada saudáveis e são bem menos saborosos do que comida feita em casa.

Com esse corte, sobrará espaço mais do que suficiente no seu orçamento para comprar produtos frescos e saudáveis!

9

10) Dicas Extras: No curso online e gratuito Comida de Verdade, uma parceria do site Panelinha com o professor Carlos Monteiro, coordenador do Guia Alimentar para a População Brasileira, a Rita e o professor Carlos falam sobre como fazer a Comida de Verdade caber no seu orçamento! Dá uma olhada nas dicas:



Observatório Opsan UNB
facebook
twitter
Layout e programação do site Identidade visual
Faça o ligin para continuar!

clique aqui