Ideias na Mesa - Blog


Posts Relacionados com a(tag):mais que ideias

postado por Luana Mello em Quinta-feira, 29 de Janeiro de 2015

Já pensou que bom seria se ao invés dos pais fazerem almoço para seus filhos isso se invertesse?

Parece uma coisa que só aconteceria em um mundo distante, mas não é tão complicado assim.

No mundo em que a obesidade está cada dia mais presente nas famílias do mundo inteiro, inclusive no público infantil, é possível perceber que cada vez menos as pessoas estão comendo em casa, sempre optando por alimentos industrializados com altos teores de sódio, açúcar e gorduras. Por conta disso, é essencial ensinar às crianças como se alimentar de maneira saudável, já que elas estão em período de consolidação de hábitos que vão levar para toda a vida.

Já se sabe que as crianças aprendem muito mais sobre algum assunto quando estão envolvidas no processo, então, porque não ensiná-las sobre uma alimentação saudável e feita em casa colocando as mãozinhas delas na massa?

Oficinas culinárias com crianças são muito utilizadas para esses fins, com crianças a partir de 2 anos, desde que seja com supervisão constante. Com crianças a partir de 10 anos, já é possível dar maior autonomia para cozinhar sozinho uma refeição inteira.

Quer começar a ensinar seus filhos a cozinhar? O site The Globe And Mail mostra um plano de 5 semanas para que eles estejam preparando refeições:

Semana 1: Nessa semana, você deve ensinar o básico, como as maneiras corretas de pegar e

manusear uma faca. Comece com facas pequenas, de serra e sem ponta, por exemplo. É a hora também de ensinar que o que sai do fogão e do forno está quente, que o cabo pode queimar e o vapor de água que sai da panela também. Ensine-os a usar copos de medidas e a como ler e entender uma receita. É importante também ensiná-los a limpar toda a bagunça quando terminar.

Semana 2: A partir daqui, você já pode permitir que eles cozinhem as pequenas refeições sozinhos, com a sua ajuda. Se programe para estar por perto nos primeiros dias, além de ter em sua casa tudo o que for necessário para fazer a receita que eles quiserem. Já é possível fazer um pão para lanchar!

Semana 3: Nessa semana já é possível permitir que eles façam preparações de jantar, por exemplo, contanto que seja fácil e com baixa margem de erros. Uma boa pedida é sopa. Deixe que as crianças piquem os vegetais que forem ser utilizados!


Semana 4: Nessa fase é possível ensiná-los a fazer molhos (molho de tomate caseiro, por exemplo) e deixar que ele lidere a cozinha, com você somente o auxiliando.

Semana 5: Na última semana, se tudo for feito com muito carinho e dedicação, as crianças já vão estar aptas a cozinhar uma refeição simples sozinhos.

 

Tenha em mente que eles podem errar, e devem aprender com seus erros. Dê preferência para alimentos que sejam da sua cultura, de forma a familiarizá-los com esses alimentos, além de reduzir custos.

Se quiser receitas fáceis de preparar com seus filhos, o site Nutrition Action (em inglês) vende um livro de receitas saudáveis para cozinhar com crianças, que pode te inspirar a fazer muito mais! 

Que tal cumprir a nossa nova missão do Missiorama com a criançada e ainda se deliciar com as receitas do nosso livro "Mais que receitas"?

Mãos à massa!


 



postado por Lucas Ferreira em Quinta-feira, 27 de Novembro de 2014

As férias estão chegando e com elas novas oportunidades de sair de casa, fugir da rotina do trabalho e da escola e conhecer novos lugares. Além de visitar parques, sair em viagem com a família, passear por trilhas em florestas, e descobrir novos restaurantes, muitas pessoas usam as férias para fazer visitas culturais em galerias, bibliotecas e museus. Mas ao invés de fazer um programa por dia, que tal juntar duas ideias e conhecer um museu-restaurante?

No Brasil, já existem alguns museus e exposições dedicados à alimentação. Com conceitos que vão de gastronomia e design até casas-grandes de fazendas antigas, todos os gostos são agradados com essa variedade. O Ideias na Mesa selecionou alguns para você conhecer. Dá só uma olhada:

Museu da Gastronomia Baiana

gastro baiana

Para apresentar ao mundo essa culinária tão peculiar, em agosto de 2006, o SENAC inaugurou o Museu da Gastronomia Baiana, o primeiro do gênero na América Latina. O museu faz parte do complexo SENAC Pelourinho, que possui em sua estrutura um teatro, uma arena, uma loja de souvenir e um restaurante.

gastro baiana2

A própria arquitetura do museu já impressiona, mas além de prateleiras fixas para esposição, o museu ainda apresenta exposições rotativas sobre produtos como acarajé e sobre personalidades que influenciaram diretamente no desenvolvimento desta cultura. Vale a pena entrar no site do museu, hein? 

Museu do Café

cafe museu

O café, além de fazer parte do dia dos brasileiros, foi motor importante das mudanças sociais e desenvolvimento econômico durante o estabecimento do país. A parte educativa do Museu do Café é a ponte de diálogo da instituição com seus visitantes, que leva além das exposições. O principal objetivo é transmitir a rica história do café de uma maneira simples e lúdica para o público, realizar um atendimento de excelência e fazer do Museu um reconhecido lugar de referência na propagação do aprendizado. O museu apresenta vários tipos de visitas guiadas, com orientações, encenações e histórias diferentes. Saiba mais no site do museu.

Penso logo Como

penso logo

Questionar os limites entre gastronomia e design e instigar sentidos são algumas das propostas do Como Penso Como. O Museu/Restaurante tem cardápios oferecidos para mudar o modo como o cliente se relaciona com a comida. Com propostas na linha da gastronomia molecular e temáticas culturais, como as religiões afrobrasileiras e a cultura indígena, as apresentações atraem pessoas dos mais variados locais. Conheça o projeto aqui.

Engenhos de Farinha

engenhos de farinha

Todo mundo conhece a farinha de mandioca, mas essa farinha refinada produzida em Santa Catarina com certeza tem um gostinho especial. Com produção orgânica e familiar, os Engenhos de Farinha são ricos em cultura e saber. Entre no site para saber mais, e conheça também o livro e o filme que foram lançados para divulgar as famílias produtoras e seus desafios diários.

Fazenda Babilônia 

fazenda babilonia

A Fazenda babilônia se destaca, hoje, pelo seu imenso valor histórico, preservado durante séculos. Tombada como Patrimônio Nacional e inscrita no Livro de Belas Artes, nº480, 1965, abriga o extenso casarão, em estilo colonial e diversos muros de pedras, construídos pelos escravos.

O resgate que a Fazenda babilônia oferece não se resume somente ao patrimônio e história uma vez que aos finais de semana e feriados na extensa mesa acompanhada de uma bela vista da fazenda, é servido uma fartíssima refeição composta de mais de 40 itens, o Café Sertanejo da Fazenda Babilônia. Feito com produtos da própria fazenda o café resgata receitas antigas, típicas de um Goiás rural e antigo. Não só alimenta como instrui. Agende sua visita aqui.

 

E aí,gostou da ideia? Conheça os museus e os visite! Aproveite a temporada para se planejar e aproveitar a cultura brasileira de várias maneiras diferentes, e depois nos conte como foi sua experiência. 



postado por Lucas Ferreira em Quinta-feira, 20 de Novembro de 2014

A valorização do alimento como objeto cultural e nutricional é algo que devemos exercitar, uma vez que, como reforçamos sempre aqui no Ideias na Mesa, comida é mais que um conjunto de nutrientes. 

Além de aspectos emocionais, há algo a mais que se deve apreciar nos alimentos. Primeiro, confira essa fotografia:cauboi comida 

Parece uma simples imagem do velho oeste, certo? Mas com um olhar mais demorado, você pode perceber que toda a paisagem é feita de comida! Pães, macarrão, arroz e até mesmo presunto. Tudo comida de verdade, moldada e registrada pelo fotógrafo Carl Warner.

pãoford

O artista é responsável pelo Foodscapes, uma exposição de fotos com paisagens surreais! Cada imagem conta com vários tipos de alimentos, responsáveis por dar um brilho especial a cada montagem. O fotógrafo iniciou seu projeto ao reparar em alguns cogumelos estranhos no mercado, ainda nos anos 90. 

bananabaloon

Suas primeiras obras foram além da imaginação, e contribuíram para torná-lo conhecido. Hoje, muitas marcas utilizam os trabalhos de Carl para divulgar seus produtos, e não é pra menos, certo? Confira mais algumas fotos do "Foodscapes"!

brocoliforest

Floresta de Brócolis

cucumberforest

Floresta de Pepinos

feno de coco

Pilha de Cocos



postado por Lucas Ferreira em Quinta-feira, 23 de Outubro de 2014

A nova campanha do Ideias na Mesa está trazendo muitas oportunidades de participação e transformação do Sistema Alimentar. Por isso hoje vamos falar das Missões, Desafios e do projeto Missiorama!

nada acontece

Há 3 semanas começamos a criar Missões na plataforma do Missiorama, cada uma com uma abordagem e um desafio diferentes. Nossa proposta é que por meio da realização dessas missões, você se torne protagonista nas diferentes etapas do sistema alimentar e contribua com práticas mais saudáveis e sustentáveis: desde a produção e origem do alimento até o descarte de resíduos.

Até agora, essas foram as missões criadas:

Conheça seu Agricultor

seja seu pro

Conhecer os produtores locais da sua região/cidade ajuda a conhecer a origem da sua comida e também cria vínculos entre produtores e consumidores. Feiras, eventos promovidos em sua cidade e até visitas em fazendas são ótimas oportunidades para iniciar e manter o contato com quem integra a primeira etapa do sistema alimentar, a produção! Uma sugestão é conhecer redes, cooperativas e associações de produtores locais como as sugeridas pela Cerratinga. (http://www.cerratinga.org.br/grupos-produtores/). Clique aqui e acesse esta missão!


 

Plante sua Comida

horta casa

Nesta missão, desafiamos você a fazer uma mini horta em sua casa ou apartamento.

Assim, além de cultivar sua comida, você se reconecta com a natureza, oferece para sua família uma alimentação limpa, livre de agrotóxicos, fresquinha e ainda contribui com sua saúde e a do meio-ambiente. ;)

Gostaríamos de frisar que ter uma hortinha não é privilégio de quem mora no campo ou em uma casa espaçosa. Se você mora em um apartamento pequeno, é possível cultivar temperos básicos. Então, sugerimos que comece com eles. Clique aqui e acesse esta missão!


Tá na Época? Tá na Mesa!

pitanga certo

Alimentos da época são mais nutritivos, saborosos, sustentáveis e mais acessíveis, tanto física como financeiramente.

E como moramos neste país gigante e bonito por natureza, nada mais saudável do que comer as frutas e vegetais que crescem da nossa terra, não é? Então o que acha de comer uma fruta da época?

A nossa proposta é que você compre uma bandeja de jabuticabas bem graúdas, escolha um abacaxi suculento na feira de produtores locais, ou suba naquele pé de tangerina que tem no seu quintal e tire uma foto de como você escolheu consumir a sua fruta de época! Qualquer comida que nasce naturalmente neste período do ano está valendo! Clique aqui e acesse esta missão!


 
 
Mas não é só o Ideias que cria Missões! O Missiorama é um projeto sem fins lucrativos que desafia você a sair da rotina. Cumpra as missões pelo site ou pelo app para Android e torne seus dias mais memoráveis! No site, parceiros do projeto podem criar missões e divulgá-las para trazer mais pessoas ao movimento. Dentre os parceiros, estão o Imagina na Copa e o Gastromotiva. Confira alguns exemplos de missões e participe! 
 
pera e banana

Quando chegar aquele momento do dia em que bate uma fome, dê uma fruta pra alguém. Aproveite pra pausar e se desligar um pouco dos afazeres - conversando. Depois, tire uma foto com a pessoa pra quem você deu a fruta e mostre pra gente! Clique aqui e acesse esta missão!



 

Adote um sedentário

adote um sedent

O convite de hoje é para você se movimentar. Mas mais que isso, fazer aquele seu amigo, super sedentário, sair da cadeira. Você vai adotar ele por um período e “forcá-lo” – amigavelmente, claro – a fazer uma atividade com você. Vai ser divertido, vai! Clique aqui e acesse esta missão!




Experimentar um novo prato

experimenter

Por que não experimentar um novo prato? A vida é muito curta pra ficar só no arroz com feijão. Se adotarmos a regra do “pelo menos uma mordida”, podemos, de repente, encontrar o prato preferido da vida! Só saberemos tentando... Clique aqui e acesse esta missão!

 

 

 

Não é todo dia que temos ideias tão criativas e úteis para mudar o modo de agir da sociedade. Acesse o Missiorama, clicando aqui e transforme seus hábitos também!


 



postado por Luiza Lima Torquato em Quinta-feira, 09 de Outubro de 2014

Que tal chamar a criançada para colocar a mão na massa e aprender hábitos alimentares saudáveis?

Essa é a proposta do programa de TV Cozinhadinho!

Iniciativa do SESI, o programa é uma ferramenta de ensino para educadores, um estímulo à mudança dos hábitos para crianças, uma forma de promoção da alimentação saudável para os pais e diversão garantida para todos!

Com 26 episódios, o Cozinhadinho estimula, de forma criativa, crianças a conhecerem toda a cadeia produtiva da alimentação, identificando sua origem, manuseio e a forma de preparo dos alimentos que, até então, não conheciam ou nunca se interessaram em saber. Com a apresentação da Nutricionista Andrea Santa Rosa Garcia, e dos atores mirins Elis, Giovana, Pedro e Vitor, o Cozinhadinho mostra que comer bem pode ser muito divertido!

Durante as aulas, são realizadas gincanas e receitas, com o objetivo de atrair a atenção de crianças e adolescentes, aumentar a aceitação dos alimentos e prevenir doenças causadas pela má alimentação.

Saiba mais aqui e confira o vídeo promocional:






postado por Ana Maria Thomaz Maya Martins em Terça-feira, 07 de Outubro de 2014

"Cozinhar não é só uma brincadeira gostosa: cozinhar ensina noções de matemática e ciências; aprimora a coordenação motora e visual; desenvolve a confiança, a paciência, o senso de responsabilidade e a auto-estima. E o melhor: em tempos de atividades solitárias como videogames, computadores e tvs ligadas o dia inteiro, cozinhar aproxima pais e filhos. É a hora de ficar junto, contar histórias, dar risada, trocar afeto. A cozinha é o coração da família."

livro

É esse o texto introdutório encontrado na contra capa do livro "Juju na cozinha do Carlota". O livro escrito pela chef Carla Pernambuco e por sua filha Júlia é composto por 29 receitas bem fácinhas, como a receita de guacamole, para a criançada fazer com os pais ou até sozinha, dependendo da idade. Para facilitar, ele é dividido em níveis de dificuldade – fácil, médio e difícil – e tem dicas específicas para o preparo de cada prato e um passo-a-passo que serve de referência para a criança, além de alertas sobre os perigos da cozinha, como o forno. E para quem curte história gastronômica, há curiosidades sobre cada receita, como seu país de origem e sua criação. 

juju

Gostou da ideia da construção de um livro de receitas temático? O Ideias na Mesa também está com um projeto super bacana que é o "Mais que Receitas"!

mais que receitas

O projeto tem como objetivo desenvolver um livro de receitas colaborativo que valorize e divulgue a cultura alimentar brasileira e que esteja em harmonia com práticas saudáveis e sustentáveis. E você pode participar enviando para o nosso e-mail (ideiasnamesa@unb.br) até o dia 10 de outubro de 2014 uma receita de sua região ou família que você saiba preparar com muito carinho. As selecionadas farão parte do nosso livro.

Para saber mais acesse: http://www.ideiasnamesa.unb.br/index.php?r=post/view&id=359

Esse texto foi adaptado da seguinte fonte:http://www.comerparacrescer.com/2014/10/02/receita-de-guacamole/



postado por Lucas Ferreira em Quinta-feira, 02 de Outubro de 2014

Uma das dificuldades mais comuns quanto à ingestão de alimentos orgânicos é o acesso limitado aos produtos no mercado. Além do preço, que algumas vezes assusta até os mais determinados consumidores. Os benefícios de uma alimentação orgânica a gente conhece, mas como é possível tornar isso parte do hábito alimentar da população urbana, que vive longe de fazendas e sítios?

Uma das alternativas é a agricultura urbana.horta u

Por mais que pareça, não é impossível. A agricultura urbana é o meio pelo qual muitos moradores da cidade trazem a alimentação saudável e fresca para dentro de suas vidas. Com pequenas hortas, canteiros e floreiras, aqueles que se dispõem a usar o teto dos prédios e a calçada das ruas como fazenda tem acesso à comida orgânica e de qualidade todos os dias.

Na nossa coluna de hoje temos vários projetos de hortas organizadas na cidade para te inspirar!

Pra começar, um produto que está chegando no Brasil é o GROWBED, que visa a montagem de hortas inteligentes e sustentáveis, com gasto mínimo de água e máxima produtividade. Dá uma olhada nele:

growbed

O projeto conta ainda com o GROWPOCKET, um recipiente que pode ser fixado nas paredes para plantação de ervas e arbustos pequenos. A elaboração desses produtos foi feita pelo NOOCITY, um grupo português de disseminação de práticas sustentáveis e elaboração de hortas comunitárias e escolares. Confira o site do projeto! 

Um outro projeto de agricultura urbana é o Cidades sem Fome, que desenvolve no Brasil práticas sustentáveis de produção de alimentos em pequenas áreas. O projeto tem 4 linhas principais, as Hortas comunitárias, as Hortas escolares, as Estufas agrícolas e os Pequenos agricultores familiares.

rastelo

Visando conscientizar as pessoas sobre a melhoria de saúde, clima e desenvolvimento econômico gerado pela produção de alimentos de pequeno porte, o projeto desenvolve em São Paulo e na Região Sul várias campanhas de ajuda às populações vulneráveis e àqueles interessados em fazer da produção de alimentos parte do dia-a-dia. A descrição completa dos projetos realizados estão na página do grupo!

E pra finalizar, nada como um grupo onde você possa tirar dúvidas sobre como plantar um pé de tomate, certo? O grupo dos Hortelões Urbanos, no facebook, é voltado para a comunidade que já aderiu à prática da agricultura urbana e decidiu compartilhar os avanços que conseguem a cada dia! Nele, você pode perguntar para pessoas que já fazem isso à muito tempo, e ajudar outras que acabaram de começar.

canteiro

Não tem mais desculpas pra começar a plantar? Então calce sua botina e mãos obra!



postado por Ana Maria Thomaz Maya Martins em Quinta-feira, 25 de Setembro de 2014

Você já pensou em cozinhar um prato típico do Qatar? E da Hungria?

Em fevereiro de 2010 uma família resolveu começar a cozinhar e comer pratos do mundo inteiro, e até novembro de 2013 eles já tinham feito 196 receitas dos mais diversos lugares do mundo.

global

Os idealizadores tem a seguinte ideia:

“Sabe, nós criamos paz quando aprendemos uns sobre os outros – Quando nos entendemos. Mas o negócio é o seguinte – ninguém consegue criar paz sozinho; Nós temos que organizar uma mesa mundial e chamar todo mundo pra se sentar como uma grande família.” 

Dessa forma, essa família norte americana, te convida para celebrar todos os países do mundo por meio da comida.

Sasha Martin começou estabelecendo o hábito de que toda semana ela e a família visitariam um país diferente por meio da comida. Então, ela montou um cronograma em que cada dia da semana ela desenvolveria uma atividade, para que no final ela conseguisse atingir seu objetivo de cozinhar o prato típico.

Terça da viagem: Aprender um pouco sobre comidas populares, modo de preparo e costumes.

Quarta: Ler as receitas, normalmente ela escolhe 3 ou 4 pratos para preparar. No geral, ela faz o entradas, bebidas, vegetais, prato principal e sobremesa.

Sexta divertida: Fazer receitas, petiscos e pesquisas.

Segunda para revisar a preparação: Publicar receitas, fotos e comentários no site. Isso inclui um vídeo de sua filha experimentando a comida, esse material é editado pelo seu marido, Keith Martin.

A partir desses posts, eles desenvolveram um mapa mundial interativo, no qual basta clicar nos ícones para encontrar uma receita dos mais diversos lugares do mundo.

adventure

Se você quer começar a sua viagem gastronômica basta escolher no mapa um lugar, clicar e conhecer um pouco mais sobre a culinária. Depois é ir pra cozinha e colocar em prática a receita! 

Gostou da ideia e quer tentar? O mapa e as receitas estão disponíveis nesse link: http://globaltableadventure.com/countries-ive-cooked/.

 


postado por Lucas Ferreira em Quinta-feira, 14 de Agosto de 2014

O concurso Raspei o Prato acabou, mas o desperdício ainda não. Muitos alimentos são jogados fora diariamente, gerando toneladas de lixo orgânico que sobrecarregam os aterros sanitários e contaminam a separação de lixo reciclável. O acúmulo é tão sério, que verdadeiras cidades tem sido formadas em torno de montanhas de materiais descartados. Inclusive, o Artigo 9º da Lei 12.305 de Agosto de 2010 determinou o tratamento do lixo como uma das atividades obrigatórias na gestão e gerenciamento de resíduos sólidos, para tentar diminuir a poluição gerada por esses resíduos.

Tudo bem, tudo bem, tem muito lixo no mundo, e daí? E daí que nem tudo que não volta pra cozinha tem que ir pro lixão. Quando se faz a separação de lixo orgânico e lixo reciclável, é possível usar os restos de alimentos, papeis e tecidos para produzir seu próprio adubo natural! Sem agrotóxicos, sem aditivos químicos, sem custo. Você já pensou em fazer compostagem na sua própria casa? 

composte!

A ideia é tão simples que nem dá pra acreditar que funciona. Nessa apresentação elaborada pelo Instituto de Biociências da USP, o Projeto de Coleta Seletiva mostrou como é possível fazer a compostagem a céu aberto. Esta é uma das maneiras de produzir adubo usando restos orgânicos, mas não é a única.

Você pode usar papel, restos de alimentos, serragem e cinzas. Algumas composteiras são fechadas, podendo ser usadas em lotes pequenos ou até em apartamentos. A quantidade de adubo depende do lixo produzido, e você pode começar a usar a partir de 2 meses da primeira adição. Essa imagem pode esclarecer mais sobre o processo de decomposição:

compostagem minhocas

Composta São Paulo, projeto desenvolvido pelo Plano Municipal de Resíduos Sólidos de São Paulo, distribuiu para a população composteiras duradouras, feitas de caixas de plástico, que decompõem resíduos de alimentos e geram adubo sólido (matéria marrom) e adubo líquido, que é o excesso drenado dos alimentos pela terra. 

Neste projeto, a compostagem é acelerada com o uso de minhocas, que digerem a matérias orgânica com maior facilidade, gerando um adubo de ainda maior qualidade. As inscrições para o Composta São Paulo já acabaram, mas o projeto rendeu muita discussão e novas ideias sobre o reaproveitamento de lixo orgânico.

Quando feito da forma correta, o processo não produz cheiro ruim e não atrai insetos. Quem realiza o processo não gasta mais de 30 minutos por semana após a montagem do equipamento e tem um aprendizado ainda maior quando passa a cuidar de sua própria horta, produzindo alimentos orgânicos e extremamente nutritivos.

Se ficou alguma dúvida sobre o processo, temos alguns sites que você pode consultar:

O Compostagem Urbana é um site que explica o processo de compostagem, com exemplos de materiais orgânicos e até mesmo os benefícios e vantagens do processo.

O Morada da Floresta, parceira do Composta São Paulo tem o foco no cuidado com o meio ambiente e a vegetação, aplicando princípios de Agroecologia e sustentabilidade em projetos educacionais. Com vídeos e uma loja virtual, a equipe detalha os processos de compostagem e fornece equipamentos para o processo.

O eCycle tem uma descrição dos processos químicos e dos resultados da compostagem, com exemplos de composteiras diferentes, que podem ser usadas em casa ou em chácaras.

Comece a compostar também! O planeta e sua horta agradecem!




postado por Lucas Ferreira em Quinta-feira, 07 de Agosto de 2014

Se você nunca viajou pro exterior, provavelmente já se perguntou sobre a alimentação cotidiana das famílias ao redor do mundo. Agora, se você viaja com frequência, provavelmente já sentiu falta do arroz com feijão ou do pão de queijo enquanto estava em outro país. Mas pra conhecer qual é o "Arroz e Feijão" de cada cultura diferente, você precisaria de mais do que um fim de semana. 

Afinal, alimentação é cultura. E é um dos aspectos culturais mais fortes e resistentes ao tempo. Para reconhecer o que se come no dia a dia, é necessário mergulhar de cabeça nas casas e conversar com quem é responsável pela alimentação da família. E foi isso que Peter Menzel, um fotógrafo americano, fez em 30 casas de 24 países.

compilado hungry

Publicado em 2006, o livro Hungry Planet é um registro fotográfico da alimentação de famílias ao redor do mundo. Menzel registrou em suas fotos a comida comumente consumida em vários países, "de Butão e Bósnia ao México e Mongólia", segundo a descrição do livro. 

O fotógrafo disponibilizou algumas imagens em sua galeria virtual, e o livro está a venda na Amazon e também em várias livrarias no Brasil. Confira:

 

Austrália

Família da Austrália com a comida de uma Semana. 

Comidas Favoritas:

Pai - Qualquer comida que outra pessoa faça.

Mãe - Iogurte

Filha mais nova - McDonald's

Método de Preparo dos Alimentos: Fogão Elétrico, Microondas e Carvão (Churrasqueira)

 

 

Groenlândia

 

Família da Groenlândia com a comida de uma Semana.

Comidas Favoritas:

Pai - Urso Polar

Mãe - Pele de Narval (baleia)

Filha e Filho mais Velho - Comida Regional

Filho mais novo - Comida Dinamarquesa

Método de Preparo dos Alimentos: Fogão a Gás

 

 

Sudão

Família do Sudão com a comida de uma Semana.

Comidas Favoritas:

Mãe - Sopa com carne fresca de Ovelha

Método de Preparo dos Alimentos: Fogueira

 

 

 

 

 

O livro, além de nos passar conhecimento, proporciona a discussão sobre o contraste de abundância/escassez e sobre o consumo de alimentos naturais/industrializados de acordo com a localidade. Pense no seu dia a dia e tente determinar como é a alimentação da sua casa, para encontrar as semelhanças e diferenças. O conhecimento de outras culturas sempre nos ajuda a valorizar a nossa!




Go to page:
Observatório Opsan UNB
facebook
twitter
Layout e programação do site Identidade visual
Faça o ligin para continuar!

clique aqui