Ideias na Mesa - Blog


Posts Relacionados com a(tag):crônica

postado por Maína Pereira em Terça-feira, 13 de Dezembro de 2016

aprender a cozinhar

Se a cozinha fosse uma língua, qual seria o seu nível de fluência ou o seu sotaque? O desenvolvimento de habilidades culinárias tem sido recomendado como estratégia de superação dos obstáculos para se obter uma alimentação mais adequada e saudável. Além disso, o ato de cozinhar pode ser um momento prazeroso e de muitas descobertas que marcam histórias e gerações.

Para refletir um pouco sobre a linguagem da cozinha, delicie-se com esta crônica de Nina Horta:

“Só conseguindo reunir as peças da comida em alguma coisa bem aceitável quando se aprende as técnicas básicas, quando se lê muito (melhor dizendo, quando se vive muito), quando se tem o olho vivo e a língua curiosa, quando o erro é o melhor condutor, quando se quebra a cabeça misturando os ingredientes com muita obediência e outras vezes com liberdade total.

Quem se lembra do primeiro semestre da faculdade, quando o sociologês, o filosofês, o antropologês eram um obstáculo desolador, quase impossível de ser resolvido? E, dois anos depois, Deus nos perdoe de jargões tão feios, falávamos felizes em epistemologia, doxa, duração, hubris, como se fosse a lista do supermercado? Ou uma língua como o alemão, que se apresenta como muralha e vai ver é a mais fácil de todas?

A linguagem oculta da cozinha também pode ser um obstáculo. É preciso estuda-la como estudamos qualquer outra matéria. Claro que alguns terão mais facilidade do que outros, alguns vão parecer que nasceram sabendo, alguns vão desistir e mudar de rumo, tudo igualzinho às outras disciplinas do vestibular. É preciso estudo, experiência, memória, imaginação, abertura, prazer, ritmo, astúcia e visão da comida como uma língua a se aprender e que devemos interpretar segundo nossas possibilidades e vivências.

E não é maravilhoso que não exista um cozinhês? Grande vantagem. Um bom feijão grosso todo mundo entende. Quase todo mundo.” (Linguagem da Cozinha, Nina Horta)

E que tal estudar essa matéria tão saborosa? Já parou para pensar em como a cozinha torna-se um ambiente de aprendizagem repleto de ferramentas e materiais para experimentar? Estar na cozinha e se aventurar é uma forma de se conectar com a comida e toda sua simbologia, envolve afeto, emoções, histórias, pessoas em uma variedade de ingredientes culinários. É uma prática que quanto mais exercida gera mais autonomia. E não existe um cozinhês, você vai descobrindo e se expressando da sua maneira, no seu ritmo, do seu jeito. Por isso, vale a pena se arriscar e descobrir sua própria linguagem da cozinha!



postado por Ramon da Silva Rodrigues Almeida em Quinta-feira, 31 de Março de 2016

A ONG ACT está promovendo a campanha #DietaFail com várias posts e fotos para mostrar o que há por trás a propaganda de alguns produtos ultraprocessados, bebidas alcoólicas e açucaradas.

Esses produtos são os principais causadores das doenças crônicas não transmissíveis como câncer, diabetes, doenças cardiovasculares e pulmonares.

Participe também dessa iniciativa e crie sua "propaganda" e poste com a hastag #DietaFail.

Faça sua foto e crie seu slogan!

Saiba mais: http://limitetabaco.org.br/dcnt

Veja alguns exemplos: 



postado por Ramon da Silva Rodrigues Almeida em Segunda-feira, 28 de Setembro de 2015

Temos hoje no [Você no Ideias] a experiência do Departamento de Nutrição e Saúde, da Universidade Federal de Viçosa, intitulado "PRÓ-CELÍACO III: Promoção da inclusão alimentar dos portadores de Doença Celíaca no Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE).

Por meio de rodas de conversa e dinâmicas o grupo trabalhou as temáticas de alimentação escolar, o direito humano à alimentação adequada, segurança alimentar e nutricional, doenças crônicas, entre outros.

 

Foram realizados 3 encontros com nutricionistas, merendeiras e alguns agricultores familiares e membros do Conselho de Alimentação Escolar do município de Viçosa, discutindo os temas referentes à experiência, utilizando técnicas inovadoras que integram metodologias ativas de ensino e aprendizagem.

O objetivo do projeto foi promover inclusão alimentar dos portadores de DC no PNAE por meio do empoderamento da comunidade escolar acerca da patologia, da identificação dos titulares de direitos e portadores de obrigação e dos mecanismos de exigibilidade do DHAA.

Confira essa experiência completa aqui!


Você no Ideias na Mesa!      

Em 2015 queremos valorizar ainda mais as experiências de Educação Alimentar e Nutricional cadastradas na rede. Assim como a Renata Lopes de Siqueira, você pode ter a oportunidade de ter sua experiência divulgada aqui no Blog. Cadastre suas experiências de EAN e compartilhe com outros usuários suas vivências, ideias e desafios. Vamos fortalecer e qualificar nossas ações pelo Brasil!



postado por Equipe Ideias na Mesa em Quarta-feira, 02 de Setembro de 2015

 A Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), é a publicação de destaque do [Biblioteca do Ideias] de hoje.

A Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) é uma pesquisa de base domiciliar, de âmbito nacional, com amostra de 80.000 domicílios em 1.600 municípios, realizada em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A PNS fará parte do Sistema Integrado de Pesquisas Domiciliares (SIPD) do IBGE (SIPD, 2007) e deverá ter uma periodicidade de 5 anos. A pesquisa foi planejada para ser representativa para Brasil, Grandes Regiões, Unidades Federativas, Capitais, áreas urbanas e rurais.

A pesquisa é composta por três questionários: o relativo a todos os moradores do domicílio, o domiciliar que se refere às características do domicílio e o individual que é respondido por um morador de 18 anos e mais do domicílio, a fim de gerar dados para a pesquisa sobre as doenças crônicas não transmissíveis, aos estilos de vida, e ao acesso ao atendimento médico que se dão no domicílio.

No morador adulto selecionado, foram feitas aferições de peso, altura, circunferência da cintura e pressão arterial, bem como coleta de sangue para realização de exames laboratoriais para caracterizar o perfil lipídico, a glicemia e a creatinina plasmática, em sub amostra de urina para obter dados do consumo de sal. Se consentido, as amostras de sangue serão armazenadas, sem identificação dos sujeitos, para criação de soroteca.

Volume 1

Os primeiros resultados da PNS foram divulgados no dia 10 dezembro de 2014, com informações sobre doenças crônicas, estilos de vida (consumo alimentar, uso de álcool, atividade física e tabagismo) e percepção do estado de saúde física e mental, além de uma breve descrição da pesquisa, do plano de amostragem e a análise descritiva dos resultados.

A PNS investigou em seu Volume 1 os hábitos de consumo alimentar através de indicadores marcadores de padrões saudáveis e não saudáveis, sendo estes o consumo recomendado pela OMS de frutas, legumes e verduras e o consumo regular de feijão.

Volume 2 

O segundo volume da PNS foi divulgado no dia 02 de junho de 2015, ele traz informações sobre acesso e utilização de serviços de saúde; cobertura do Programa Saúde da Família; cobertura de plano de saúde; saúde bucal; acidentes de trânsito e violências; percepção de discriminação nos serviços de saúde; características dos domicílios; presença de cães e gatos no domicílio, vacinação de animais e dengue.

Volume 3

O terceiro volume da PNS, foi lançado recentemente, no dia 21 de agosto de 2015, nele possui informações sobre a saúde de crianças com menos de 2 anos de idade (consultas médicas, aleitamento materno, testes de diagnóstico precoce - pezinho, orelhinha e olhinho); de indivíduos de 60 anos ou mais, com a funcionalidade da pessoa idosa (atividades de vida diária e atividades instrumentais de vida diária, apoio social, cirurgia de catarata, vacinação contra a gripe); das pessoas com deficiência (física, auditiva, visual, intelectual); e saúde da mulher (exames preventivos, menarca e menopausa, planejamento familiar, contracepção), com módulo especial sobre o atendimento pré-natal e assistência ao parto (número de consultas, exames realizados, tipo do parto, peso ao nascer). 

O volume 3 também traz resultados de antropometria (déficit de peso, excesso de peso, obesidade e circunferência da cintura aumentada) e pressão arterial (abaixo do normal e elevada). E também alguns dados em relação à alimentação infantil, a pesquisa investigou quais alimentos eram dados às crianças e foi estimado que 60,8% das crianças com menos de 2 anos de idade comiam biscoitos, bolachas ou bolo, e que 32,3% tomavam refrigerante ou suco artificial.

 

 

E em relação á obesidade, a pesquisa traz que mais da metade da população brasileira está acima do peso:

 

                                              Fonte: Ministério da saúde

 

Você pode conferir toda a pesquisa na [Biblioteca do Ideias]: http://goo.gl/ufVD1W



postado por Stefany Correa Lima em Terça-feira, 28 de Maio de 2013

A Lei de Promoção de Alimentação Saudável para Crianças e Adolescentes foi aprovada pelo Congresso peruano e, no dia 16 de maio, promulgada pelo presidente Ollanta Humala. Ela proíbe a publicidade de alimentos e bebidas não saudáveis dirigida a menores de 16 anos, além de impedir a venda de alimentos gordurosos e refrigerantes em escolas.

Para o governo do Peru, a aprovação da lei é um modo de promover o direito à saúde pública dos pequenos, a fim de prevenir as temidas doenças crônicas não-transmissíveis (DCNTs) relacionadas ao sobrepeso.

Assim, como parte do debate gerado no Peru sobre a Lei, o representante da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e da Organização Mundial da Saúde (OMS), Luis Fernando Leanes, compartilhou em entrevista suas opiniões e declarou apoio à proibição de "junk foods" no país.

Confira!



Observatório Opsan UNB
facebook
twitter
Layout e programação do site Identidade visual
Faça o ligin para continuar!

clique aqui