Ideias na Mesa - Blog


Posts Relacionados com a(tag):alimentação escolar

postado por Ana Maria Thomaz Maya Martins em Segunda-feira, 09 de Janeiro de 2017

A experiência do [Você no Ideias] de hoje surgiu em 2013, mediante a preocupação das nutricionistas e profissionais da educação que notavam pouco ou nenhum interesse dos estudantes pelo consumo das saladas durante o almoço na escola. 

O nome do projeto desenvolvido é "Saladômetro" para dar a ideia de "medir o consumo de saladas", de forma que os participantes refletissem sobre o quanto de salada estão comendo e descobrissem o quanto seria ideal.

Dentre os objetivos do projeto, destacam-se:

- Incentivar o consumo de alimentos vegetais favorecendo as escolhas saudáveis durante as refeições;

- Demonstrar a importância do consumo de saladas e frutas, especialmente na hora do almoço;

- Possibilitar o contato com diferentes preparações à base de vegetais, mostrando que o sabor e aparência das saladas e frutas podem variar e ampliar suas possibilidades de consumo/aceitação;

- Conscientizar os estudantes a respeito dos cuidados com o refeitório/espaço destinado à alimentação, boas maneiras à mesa e higiene pré e pós refeições;

- Reduzir o desperdício de saladas, frutas e guarnições a base de vegetais durante o almoço nas escolas integrais.

A base do projeto é a formação continuada das professoras, articuladoras e demais profissionais das escolas que ofertam educação em tempo integral, no sentido de sensibiliza-las como multiplicadoras de informações sobre o consumo alimentar saudável e sustentável entre os estudantes da unidade educativa em que atuam.

As formações são baseadas em dinâmicas de trabalho em Alimentação Saudável realizadas com equipe multidisciplinar (professoras, nutricionistas, bióloga, entre outros) e têm como principais pontos de abordagem:

  • Elaboração de planos de ação para EAN ao longo do ano letivo
  • Visita monitorada dos estudantes ao Circuito da Alimentação Saudável no Mercado Municipal de Curitiba e Atividade de EAN na escola realizada pela Unidade Móvel de Segurança Alimentar (parcerias com Secretaria Municipal do Abastecimento)
  • Propostas de revitalização/Boas maneiras no refeitório/Autonomia no servimento dos estudantes
  • Inserção de conceitos da Educação Ambiental/Horta

A princípio, cada multiplicadora recebia também um gráfico para cada turma de sua escola, no qual as crianças colavam uma figura, sobre seu nome, sempre que consumissem todos os itens do almoço. Com o passar do tempo, notou-se que a ferramenta mais eficaz para estimular o consumo de saladas foi  fazer com que cada estudante percebesse o quanto consumia antes e o quanto passou a consumir depois de experimentar mais, produzir seu próprio alimento e receber orientações sobre alimentação saudável. A partir daí, surgiram muitas formas de “medir o consumo de salada”, como os registros fotográficos anteriores e posteriores às abordagens, murais e até mesmo o “Desperdiçômetro”, instrumento utilizado para medir a quantidade de alimentos que os estudantes descartavam e gerar reflexão.

Desde então, anualmente o projeto vêm sendo ampliado e realizado nas unidades educativas de Curitiba.

Para saber mais sobre essa experiência acesse aqui.


Em 2017 vamos continuar valorizando as experiências de Educação Alimentar e Nutricional cadastradas na rede. Assim como a Liziane Mery Laufer Rodrigues, você pode ter a oportunidade de ter sua experiência divulgada aqui no Blog. Cadastre suas experiências de EAN e compartilhe com outros usuários suas vivências, ideias e desafios. Vamos fortalecer e qualificar nossas ações pelo Brasil!




postado por Nathália Bandeira Vilhalva Gheventer em Segunda-feira, 25 de Abril de 2016

Quem nunca foi a uma peça de teatro, que atire a primeira pedra!

O teatro é uma forma de expressão artística-cultural extremamente importante para a construção e desenvolvimento da inteligência emocional, do senso crítico, da firmação humana e imagética. Reunindo elementos como música, dança, artes plásticas, literatura e comunicação, o teatro consegue ser um excelente instrumento de educação alimentar e nutricional para qualquer público.

O [Você No Ideias] de hoje traz uma experiência teatral lúdica e educativa especialmente voltada para crianças de uma creche de Brasília - Distrito Federal.

Elaborada pelos estagiários de nutrição Rafael Arantes, Lara Saeles e Amanda Guimarães da Universidade de Brasília e sob supervisão da nutricionista Shirlei de Jesus, a peça trazia como objetivo incentivar o aumento no consumo de raízes , através de personagens feitos de alimentos in natura, como a batata, cenoura e inhame.

Confira algumas fotos:

 

 

 

 

Que tal montar uma atividade como essa na sua cidade? Os resultados serão super legais! Você pode trabalhar vários conceitos!

Se quiser saber mais, acesse o link com a experiência completa aqui

___________________________________________________________________________________________

Você no Ideias na Mesa!     

Em 2016 queremos valorizar ainda mais as experiências de Educação Alimentar e Nutricional cadastradas na rede. Assim como na experiência de Brasília - DF, você pode ter a oportunidade de ter sua experiência divulgada aqui no Blog. Cadastre suas experiências de EAN e compartilhe com outros usuários suas vivências, ideias e desafios. Vamos fortalecer e qualificar nossas ações pelo Brasil!



postado por Nathália Bandeira Vilhalva Gheventer em Segunda-feira, 11 de Abril de 2016

Você já ouviu falar naquele ditado "O lixo de um é o tesouro de outro"? Em sua grande parte, plantas consideradas como ervas daninhas ou pragas, podem ser utilizadas na alimentação diária da população. Ricas em diversos nutrientes, são uma forma sustentável de complementar e diversificar pratos, dando a eles novos sabores, texturas, odores, cores e significados. Alguns exemplos dessas Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANCs) são: ora-pro-nóbis, major-gomes, dente-de-leão, serralha, urtiga, azedinha, tansagem, fisális, hibisco, capuchinha, calêndula, amor-perfeito e rosas. Assim, percebe-se que essas plantas representam um universo infinito de possibilidades que na maioria das vezes, desconhecemos.

Foi pensando nisso, que uma aluna da Universidade do Vale do Rio dos Sinos , Monique Hans, criou um projeto de utilização de PANCs na alimentação escolar. O presente estudo foi desenvolvido com 81 escolares entre 7 a 10 anos, de 3 escolas públicas do município de Harmonia, no Rio Grande do Sul.

Assim, no decorrer de 1 ano, 7 etapas foram aperfeiçoadas e implementadas, a serem descritas a seguir:

1) atividades sobre alimentação saudável relacionadas a frutas e verduras (Conhecendo frutas e verduras): esta etapa consistiu em uma atividade de educação nutricional, onde frutas e hortaliças eram apresentadas aos alunos, desde a degustação, até atividades de artes com pinturas e desenhos.

2) atividades para explicar a definição e os tipos de PANC (Conhecendo as PANC): esta atividade consistiu na degustação e explicação do conceito e utilização de PANCs.        

3) visita a um produtor local (Horto das Margaridas): foi realizada visita a uma agricultora produtora de PANCs, que demonstrou o local de plantação, além de oferecer lanches que continham esses ricos alimentos, como pão de urtiga com geleia e chá de hibisco.

4) oficinas culinárias utilizando as PANC: estas oficinas culinárias foram realizadas na escola, onde algumas receitas foram preparadas e compartilhadas, como:  pizza de ora-pro-nóbis, azedinha e capuchinha, e suco verde de ora-pro-nóbis e azedinha.

5) elaboração de uma horta escolar de PANC: com o auxílio dos alunos, uma horta foi elaborada dentro do espaço das escolas. 

6) testes de aceitabilidade das preparações com PANC: algumas semanas após a realização das oficinas culinárias, esses mesmos alimentos eram implementados na merenda escolar, para verificar a aceitabilidade e diferença entre os dois momentos.  

 7) atividades com os pais dos alunos para explicar a importância dessas plantas: Por fim, reuniões e palestras eram realizadas com os pais, afim de destacar a importância e viabilidade da utilização dessas plantas na alimentação escolar.

 

 Confira abaixo algumas das receitas ensinadas aos alunos neste projeto:

 

 

 

Confira também algumas fotos tiradas durante a realização do projeto:

 

 

 

 

 

 

Que tal conhecer um pouco mais dessas plantas e testar infinitas possibilidades na cozinha? Vale a pena!

 

__________________________________________________________________________________________________

Você no Ideias na Mesa!     

Em 2016 queremos valorizar ainda mais as experiências de Educação Alimentar e Nutricional cadastradas na rede. Assim como na experiência de Harmonia - RS, você pode ter a oportunidade de ter sua experiência divulgada aqui no Blog. Cadastre suas experiências de EAN e compartilhe com outros usuários suas vivências, ideias e desafios. Vamos fortalecer e qualificar nossas ações pelo Brasil!

 

 



postado por Débora Castilho em Quarta-feira, 06 de Abril de 2016

Sabe-se que faz parte da competência do nutricionista zelar pela preservação, promoção e recuperação da saúde, alimentação e nutrição no ambiente escolar.

Para isto, as normas que abordam a atuação do nutricionista no âmbito do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), estabelecem que este profissional seja o responsável por um conjunto de ações técnicas tais como: realizar o diagnóstico e o acompanhamento do estado nutricional; planejar, elaborar, acompanhar e avaliar o cardápio da alimentação escolar, levando em consideração as necessidades alimentares específicas de crianças, adolescentes e adultos.

Também deve propor e realizar ações de Educação Alimentar e Nutricional (EAN) considerando as distintas fases da vida, etapas do sistema alimentar e as interações e significados que compõem o comportamento alimentar.

Pensando nisso o [Biblioteca do ideias] hoje destaca o “Manual de Orientação para a Alimentação Escolar na Educação Infantil, Ensino Fundamental, Ensino Médio e na Educação de Jovens e Adultos”.

O manual tem por objetivo oferecer informações que auxiliem suas ações no desenvolvimento e operacionalização das atividades inerentes ao PNAE, quando relacionadas ao fornecimento de alimentação escolar diferenciada de acordo com as necessidades específicas de cada etapa do ciclo de vida, bem como das etapas de ensino: educação infantil, ensino fundamental, ensino médio e Educação de Jovens e Adultos.

A proposta do Manual é servir de orientação para os nutricionistas, diretores, professores e demais profissionais envolvidos com o programa de alimentação escolar no processo de educação nutricional, contendo informações sobre a promoção da alimentação saudável nas escolas.

Para baixar e saber mais sobre o Manual clique aqui: http://goo.gl/ZrwKfP

 



postado por Rafael Rioja Arantes em Segunda-feira, 14 de Março de 2016

A Educação Alimentar e Nutricional pode ser difundida das mais diversas formas. Pensando assim, a experiência de hoje exemplifica a aplicação da EAN na forma de contos.

O projeto ‘Repasto Literário’ consistiu na elaboração de um livro de histórias lúdicas que valorizam os aspectos da cultura alimentar com o objetivo de estimular uma alimentação saudável em escolares da rede básica de ensino das zonas rural e urbana em Cuité/PB. Ele foi desenvolvido em parceria com o Núcleo de Pesquisas e Estudos em Saúde Coletiva (PENSO) na Universidade Federal de Campina Grande - UFCG.   

A criação do material educativo surgiu como desdobramento de uma oficina de capacitação para membros do projeto ligados ao curso de Nutrição, que após a experiência, decidiram materializar um livro de contos adaptado a temática da alimentação escolar.

grupoufcg

O livro ‘Repasto Literário – Promoção da alimentação saudável e contação de histórias’ é dividido em três sessões, I - A mitologia dos alimentos, II - O caldeirão da cultura e III - A partilha e o sabor. Nelas, são contados os mitos de formação de alguns alimentos, como por exemplo o milho e a mandioca, além da presença de cantigas visando aumentar a participação e engajamento do público infantil.

O material está sendo utilizado como ferramenta de apoio para atividades de EAN junto às escolas atendidas pelo Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), e a recepção por parte dos professores, alunos e gestores tem sido favorável, indicando que a experiência pode ser replicada.   

capalivro

Conheça essa experiência aqui!



postado por Ramon da Silva Rodrigues Almeida em Quarta-feira, 09 de Março de 2016

Sabemos que o lugar das mulheres é onde elas quiserem, seja dentro de um escritório, um laboratório cientifico, dirigindo um ônibus, mas é inegável o papel pioneiro que estas possuem no cozinhar e na alimentação.

Mas como disse a agrônoma Miriam Nobre, em sua entrevista para a 6ª Revista Ideias na Mesa: “Gostaria muito que a gente exercitasse mais o cozinhar coletivamente”, e que o cozinhar não seja reduzido à figura da mulher e perpetue mais preconceitos e estigmas.

Contudo, como já dito, o protagonismo no cozinhar ainda é feminino, principalmente nas cozinhas das escolas e creches de todo o mundo, com a figura das merendeiras.

Dessa forma, hoje na [Biblioteca do Ideias] trazemos o Manual da Merendeira,  para valorizar e colaborar ainda mais o papel dessas mulheres, assim como a sua função de alimentar as/os estudantes.

O PNAE (Programa Nacional de Alimentação Escolar) compreende o papel que a merendeira desempenha como agente condutora das técnicas adequadas para o preparo da merenda e das informações sobre os bons hábitos alimentares.

Sabido uma alimentação saudável e adequada é e extrema importância para o rendimento das/dos estudantes em sala de aula.

O Manual conta com algumas noções sobre alimentação e nutrição, orientações para a elaboração do cardápio escolar, cuidados sobre a higiene pessoal e dos alimentos, dicas para o armazenamento dos gêneros alimentícios, entre outros.

 

 

Confira todas essas dicas e orientações do Manual da Merendeira completas na [Biblioteca do Ideias].



postado por Ramon da Silva Rodrigues Almeida em Segunda-feira, 15 de Fevereiro de 2016

Que tal promover o consumo de frutas e alimentos saudáveis nas crianças através de uma minifeira?

Sabemos que as feiras são ótimos locais para comprar frutas, verduras e alimentos saudáveis, além de ser uma alternativa de realizar a aproximação de agricultores/produtores com seus consumidores.

Pensando nisso trazemos uma experiência de EAN para o [Você no Ideias] que aborda essa temática.

O projeto foi realizado com as crianças da escola CMEI João Pedro de Aguiar de Vitória – ES e tinha por objetivo incentivar o consumo de frutas e dar às crianças uma experiência em escolher seus próprios alimentos gerando autonomia e a prática do auto cuidado quanto à alimentação.

O grande motivo da realização da experiência era a baixa aceitação de frutas pelos alunos da escola na faixa etária estabelecida.

 

Dessa forma foi organizada uma minifeira com frutas fornecidas pelos agricultores familiares para a alimentação escolar do Município de Vitória/ES para que os alunos realizassem as suas escolhas e a "compra" dos alimentos.

Na minifeira as crianças puderam degustar antes as frutas e logo depois fazer as suas escolhas de “compras”.

 


Você no Ideias na Mesa!     

Em 2016 queremos valorizar ainda mais as experiências de Educação Alimentar e Nutricional cadastradas na rede. Assim como a Juliana Pizzol Organo, você pode ter a oportunidade de ter sua experiência divulgada aqui no Blog. Cadastre suas experiências de EAN e compartilhe com outros usuários suas vivências, ideias e desafios. Vamos fortalecer e qualificar nossas ações pelo Brasil!



postado por Ramon da Silva Rodrigues Almeida em Segunda-feira, 01 de Fevereiro de 2016

Você sabe que o Ideias na Mesa tem várias publicações sobre o uso de hortaliças e plantas não convencionais, com várias receitas e dicas de cultivo. Relembre essas publicações aqui.

E agora que tal aplicar essas receitas na alimentação escolar? É o que temos na experiência do [Você no Ideias] de hoje.

A experiência teve origem no projeto de Estágio em Nutrição e Desenvolvimento Humano da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS), São Leopoldo – RS, em que foi realizada a introdução das Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANC) na alimentação escolar do município de Harmonia – RS.

 

A ideia da experiência era unir a alimentação escolar saudável com as plantas não convencionais e diversificar alimentação monótona das escolas e fazer com que os alunos conheçam novos sabores, odores, sensações e imagens, enriquecendo o cérebro, a mente e o corpo.

Dessa forma foram desenvolvidas sete atividades nas três escolas em que a experiência de EAN foi aplicada.

Dentre elas foram feitas atividades em geral sobre a alimentação saudável relacionadas a frutas e verduras, outras para explicar a definição do que são as plantas não convencionais e seus tipos, a visita de um produtor local de alimentos, a realização de oficinas de culinárias para o ensino da preparação dessas plantas e por fim atividades com os pais dos alunos para elucidar a importância dessas plantas na alimentação das crianças.

 

Veja no final da experiência a biblioteca com receitas com as plantas não convencionais.


 

Você no Ideias na Mesa!     

Em 2016 queremos valorizar ainda mais as experiências de Educação Alimentar e Nutricional cadastradas na rede. Assim como a Monique Hans, você pode ter a oportunidade de ter sua experiência divulgada aqui no Blog. Cadastre suas experiências de EAN e compartilhe com outros usuários suas vivências, ideias e desafios. Vamos fortalecer e qualificar nossas ações pelo Brasil! 



postado por Ramon da Silva Rodrigues Almeida em Terça-feira, 20 de Outubro de 2015

Temos hoje no [Você no Ideias] uma experiência realizada pela Secretaria de Educação do Distrito Federal nas escolas e creches da cidade.

A iniciativa foi chamada e “O que tem na sopa? ” e teve base em atividades lúdicas e artísticas para despertar o interesse das crianças sobre a alimentação saudável  e o consumo  destes alimentos no ambiente escolar.

Inicialmente na ação foi apresentada uma palestra sobre os alimentos que iriam compor a sopa de legumes e a salada de frutas após toda a atividade de EAN. Além disso as crianças puderam ter contato direto com os alimentos, despertando o lado sensorial, principalmente do tato e visão.

 

Como parte da iniciativa foi pedido às crianças um desenho dos alimentos que tiveram o contato antecipadamente, despertando outras sensações e conhecimentos nelas.


 

Foi frisado também a importância do não desperdício dos alimentos durante toda a ação.

Confira essa incrível experiência de EAN aqui.


Você no Ideias na Mesa!      

Em 2015 queremos valorizar ainda mais as experiências de Educação Alimentar e Nutricional cadastradas na rede. Assim como a Maria Alvim, você pode ter a oportunidade de ter sua experiência divulgada aqui no Blog. Cadastre suas experiências de EAN e compartilhe com outros usuários suas vivências, ideias e desafios. Vamos fortalecer e qualificar nossas ações pelo Brasil!



postado por Ramon da Silva Rodrigues Almeida em Segunda-feira, 14 de Setembro de 2015

Com o objetivo de apresentar novas opções de alimentação saudável e promover a alimentação adequada e saudável, foi desenvolvido pelas estudantes de nutrição do Centro Universitário de Várzea Grande (UNIVAG) o projeto “Oficina culinária na escola” em uma escola do próprio município.

A apresentação das estudantes à comunidade escolar das opções saudáveis de alimentos foi desde docinhos de festa até sucos naturais com e sem casca.

Foram feitas inúmeras atividades lúdicas com as crianças e adolescentes, com jogos e oficinas culinárias tornando o aprendizado mais prazeroso e eficaz, dentre elas podemos citar:

1) Jogo “Roda dos Nutrientes” – sobre os diferentes nutrientes nos alimentos;

2) “Docinhos de Festa Saudáveis” – com amostras de docinhos de festa saudáveis, feitos com mandioca e beterraba;

3) “Jogo do ‘Cálcio X Ferro’” – explicação sobre os alimentos fontes de cada um dos nutrientes e suas funções me nosso organismo;

Entre outras atividades.

Veja o resultado e a experiência completa aqui.


Você no Ideias na Mesa!      

Em 2015 queremos valorizar ainda mais as experiências de Educação Alimentar e Nutricional cadastradas na rede. Assim como a Bárbara Grassi Prado, você pode ter a oportunidade de ter sua experiência divulgada aqui no Blog. Cadastre suas experiências de EAN e compartilhe com outros usuários suas vivências, ideias e desafios. Vamos fortalecer e qualificar nossas ações pelo Brasil!



Go to page:
Observatório Opsan UNB
facebook
twitter
Layout e programação do site Identidade visual
Faça o ligin para continuar!

clique aqui