Ideias na Mesa - Blog


Posts Relacionados com a(tag):Você no Ideias

postado por Ana Maria Thomaz Maya Martins em Segunda-feira, 08 de Agosto de 2016

Hoje a coluna [Você no Ideias] apresenta uma animação que começou a ser criada em 2010, a partir de um projeto do LAPIS - Laboratório de Pesquisa em Imagem e Som, por um grupo integrado por alunos, técnicos e professores do Curso de Graduação em História da Universidade Federal de Santa Catarina. Em 2011 o roteiro foi contemplado com o  VI Premio FUNCINE de Produção Audiovisual “Armando Carreirão”. 

Além da intenção de fomentar reflexões sobre as práticas alimentares, há também no projeto a intenção de experimentar novas possibilidades para o audiovisual educativo através de uma abordagem histórica que valoriza a reflexão, a imaginação e a sensibilidade estética. No processo de realização do Super Plunf buscamos constituir a equipe de trabalho integrando o conhecimento histórico e os conhecimentos envolvidos na produção audiovisual.

O personagem principal, em busca do tom perfeito para a sua composição, conhece um amigo que o leva a conhecer novos lugares e novos alimentos.

Após a conclusão da animação, foram realizadas diversas experiências em escolas. Com base nestas exibições foi criado o site www.superplunf.com.br, no qual é possivel assistir e baixar o arquivo da animação. No site também existem diversas sugestões para alunos e professores sobre como explorar a animação.


Para saber mais sobre essa experiência acesse aqui!


Você no Ideias na Mesa!     

Em 2016 queremos valorizar ainda mais as experiências de Educação Alimentar e Nutricional cadastradas na rede. Assim como o Henrique Luiz Pereira Oliveira de Florianópolis, você pode ter a oportunidade de ter sua experiência divulgada aqui no Blog. Cadastre suas experiências de EAN e compartilhe com outros usuários suas vivências, ideias e desafios. Vamos fortalecer e qualificar nossas ações pelo Brasil.



postado por Ana Maria Thomaz Maya Martins em Segunda-feira, 01 de Agosto de 2016

A adolescência é uma fase de transição e descobertas. Muitos começam a sair com amigos e uma das formas de ser aceito pelo grupo é pela partilha de refeições, que muitas vezes é realizada na hora do lanche, nas escolas, ou em restaurantes e lanchonetes de "junk food". Por isso, é importante desenvolver estratégias de EAN com esse grupo populacional, no sentido de empoderar e dar autonomia para escolhas alimentares mais saudáveis. Um dos objetivos das atividades de EAN, nesse sentido, é ensinar a leitura dos rótulos dos alimentos industrializados para esses jovens. 

Por isso hoje o [Você no Ideias] apresenta uma experiência realizada em uma escola de Minas Gerais, com jovens que cursavam o 1º ano do Ensino Médio! O projeto de EAN usou a seguinte metodologia: 

1.    Aulas expositivas sobre os temas macro e micronutrientes, agricultura e rotulagem alimentar;

2.    Elaboração de material impresso, elaborado pelos próprios alunos, a partir das informações que receberam;

3.     Criação de paródias sobre alimentação;

4.    Apresentação das paródias, pirâmide alimentar real, mesa com alimentos saudáveis e alimentos industrializados. Comparação entre rótulos de alimentos in natura e eindustrializados, semáforo nutricional;

5.    Oficina culinária para produção de Salada de frutas.

Essa experiência mostrou o quanto os adolescentes podem ser receptivos e comunicativos com iniciativas que de fato os empoderem!

Para saber mais sobre essa experiência acesse aqui!


Você no Ideias na Mesa!     

Em 2016 queremos valorizar ainda mais as experiências de Educação Alimentar e Nutricional cadastradas na rede. Assim como a Cristiane Costa do Carmo de Juiz de Fora, Minas Gerais, você pode ter a oportunidade de ter sua experiência divulgada aqui no Blog. Cadastre suas experiências de EAN e compartilhe com outros usuários suas vivências, ideias e desafios. Vamos fortalecer e qualificar nossas ações pelo Brasil.



postado por Ana Maria Thomaz Maya Martins em Segunda-feira, 25 de Julho de 2016

"O ato de comer não é apenas alimentar-se, mas entrar em contato com a cultura de um país ou uma região, e de ter consciência em todo o processo de preparo."

Hoje o [Você no Ideias] apresenta uma iniciativa que desenvolveu o diálogo e a reflexão com crianças, com o objetivo de estimular a adoção de hábitos alimentares saudáveis e desenvolverem capacidade crítica quanto às escolhas alimentares.  A iniciativa também visou informar  a respeito da composição física e subjetiva dos alimentos ultraprocessados. 

Foram utilizados dois métodos para essa iniciativa/; rodas de conversa e oficinas culinárias. As rodas de conversa tinham as seguintes temáticas:

- o início da culinária brasileira,

- diversidade alimentar brasileira,

- comida que sustenta tem história e sabor,

- a experiência compartilhada.

O debate em torno dos hábitos alimentares adquiridos na contemporaneidade fomentou nos estudantes a busca por uma postura crítica frente à produção de alimentos utraprocessados e as estratégias marqueteiras da indústria alimentícia.

Veja essa experiência completa aqui!


_________________________________________________________________________________________________________

Você no Ideias na Mesa!     

Em 2016 queremos valorizar ainda mais as experiências de Educação Alimentar e Nutricional cadastradas na rede. Assim como o Antônio Carlos Barbosa, você pode ter a oportunidade de ter sua experiência divulgada aqui no Blog. Cadastre suas experiências de EAN e compartilhe com outros usuários suas vivências, ideias e desafios. Vamos fortalecer e qualificar nossas ações pelo Brasil



postado por Ana Maria Thomaz Maya Martins em Segunda-feira, 18 de Julho de 2016

"A alimentação envolve diferentes apectos que manifestam valores culturais, sociais e afetivos. Assim, as pessoas, diferentemente dos demais seres vivos, não se alimentam de nutrientes, mas de alimentos e preparações escolhidas e combinadas de uma maneira particular, com cheiro, cor, temperatura, textura e sabor, se alimentam também de seus significados e aspectos simbólicos." 

Esse é um conceito preconizado no Marco de Referência de EAN, que valoriza a culinária enquanto prática emancipatória e é nesse sentido que hoje o [Você no Ideias] compartilha a experiência com agricultores familiares de Itanhaém, São Paulo.

Após a implantação do projeto "Feiras Populares" na cidade, se observou que os consumidores da feira adquiriam não apenas os alimentos in natura, mas também alguns outros produtos como bolos, biscoitos e saladas, que acabaram caindo no gosto dos frequentadores. 

Com isso, surgiu a ideia de criar um livro coletivo com as receitas dos produtores, que pudesse dar maior visibilidade a esta iniciativa criativa da comercialização rural direta, que valorizasse a cultura alimentar local, que aumentasse o volume de venda da Feira e que servisse como iniciativa exitosa para ações de divulgação de uma alimentação adequada e saudável.

Para conhecer o livro e saber mais sobre essa experiência, clique aqui.


Você no Ideias na Mesa!     

Em 2016 queremos valorizar ainda mais as experiências de Educação Alimentar e Nutricional cadastradas na rede. Assim como a Luciana de Melo Costa, de Itanhaém, SP, você pode ter a oportunidade de divulgar sua experiência aqui no Blog. Cadastre suas experiências de EAN e compartilhe com outros usuários suas vivências, ideias e desafios. Vamos fortalecer e qualificar nossas ações pelo Brasil.



postado por Isadora Dias Nunes de Sena em Segunda-feira, 11 de Julho de 2016

Que tal usar um pouco de magia para dialogar com crianças sobre alimentação? O [Você no Ideias] de hoje traz uma experiência em EAN que usou o imaginário infantil para tornar as verduras e os legumes (essenciais em uma alimentação adequada) mais atrativos para os pequenos.

As verduras e legumes têm sido um dos alimentos mais rejeitados no ambiente escolar, pensando nisso, acadêmicos e estudantes de Nutrição da UFMG realizaram uma dinâmica com alunos entre 5 e 6 anos do Centro Pedagógico da UFMG para mudar esse cenário.

Utilizando como metodologia a teoria do psicólogo Lev Vygotsky relativa aos aspectos que tangem a utilização de símbolos e signos para auxiliarem na aprendizagem e fixação do conhecimento, o grupo compôs uma peça teatral onde o super-herói Garoto Nutri e cinco fadas coloridas apresentaram alguns vegetais. Personagens esses que depois acompanharam as crianças em atividades de liga pontos e desenhos (os quais formaram um grande varal colorido de legumes e verduras), e na hora do almoço, estimulando a escolha por tais alimentos.

O grupo relata que as crianças mantiveram o interesse e a interação ao longo de todas as dinâmicas, das quais surgiram falas como: “Minha mãe faz cenoura picadinha pra mim”; “Beterraba é bom pro sangue!”; “Olha, tô comendo cenoura! Viu fada laranja?”; “Meu avô tem uma fazenda, e hoje eu vou lá, e vou roubar todas as beterrabas e pedir pra minha mãe fazer todas elas pra mim, porque beterraba é uma delícia!”; “Olha o meu prato, Garoto Nutri!".

Veja essa experiência completa aqui!

 


 

Você no Ideias na Mesa!     

Em 2016 queremos valorizar ainda mais as experiências de Educação Alimentar e Nutricional cadastradas na rede. Assim como a Teresa Gontijo de Castro, você pode ter a oportunidade de ter sua experiência divulgada aqui no Blog. Cadastre suas experiências de EAN e compartilhe com outros usuários suas vivências, ideias e desafios. Vamos fortalecer e qualificar nossas ações pelo Brasil



postado por Ana Maria Thomaz Maya Martins em Segunda-feira, 04 de Julho de 2016

O projeto "Super Hábitos, Super Poderes" foi criado para aproximar crianças e hábitos alimentares saudáveis, demonstrando de maneira prática a importância da alimentação adequada e saudável. Além disso, a atividade buscou estimular a prática de atividade física cotidiana e o envolvimento familiar no processo de valorização e prática de hábitos alimentares saudáveis.

O projeto desenvolvido em uma escola do Distrito Federal, com aproximadamente 60 crianças das turmas do primeiro ao quinto ano, foi dividido em 3 etapas e realizados ao longo de 5 encontros nos quais os participantes participavam de oficinas práticas e deveriam cumprir missões que eram:

- Explicar para 3 pessoas o que é alimentação saudável

- Conhecer o rótulo dos alimentos

- Preparar um smoothie

- Piquenique

Os encontros eram quinzenais e ao final de cada atividade realizada, era discutida a missão proposta e uma nova temática.  Os resultados eram sempre abordados  com as crianças em uma roda de conversa a fim de esclarecer dúvidas sobre as missões e resumir o assunto tratado.

Para acessar essa experiência completa acesse aqui

 

Você no Ideias na Mesa!     

Em 2016 queremos valorizar ainda mais as experiências de Educação Alimentar e Nutricional cadastradas na rede. Assim como a Gabriella Ribeiro, você pode ter a oportunidade de ter sua experiência divulgada aqui no Blog. Cadastre suas experiências de EAN e compartilhe com outros usuários suas vivências, ideias e desafios. Vamos fortalecer e qualificar nossas ações pelo Brasil.



postado por Rafael Rioja Arantes em Segunda-feira, 20 de Junho de 2016


Cada vez mais se estreitam as relações entre consumidores e produtores agroecológicos por meio de canais alternativos de comercialização. Em Belém/PA o Instituto Iacitatá tem aproveitado esses momentos para também realizar atividades de educação alimentar e nutricional.

Além do acesso a alimentos orgânicos plantados por agricultores familiares, os consumidores e produtores também têm a oportunidade de trocar experiências e aprofundar o conhecimento sobre o Direito Humano à Alimentação Adequada (DHAA) - que envolve a Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional e a Cultura Alimentar. A intenção é possibilitar que cada vez mais os consumidores se tornem conscientes por meio dos processos de educação acerca de práticas alimentares saudáveis.

O evento acontece a cada 15 dias no ponto de Cultura Alimentar Iacitatá, e reúne para realização das atividades de valorização da comida de verdade e do DHAA, o Grupo para Consumo Agroecológico (GRUCA) e Slow Food Amazônia e Colônia Chicano. A “Paneirada” é uma das atividades de um conjunto que também incluem a mobilização de movimentos que trabalham com essas temáticas, identificação de produtores agroecológicos, visitas às comunidades e assentamentos produtores e realização de oficinas sobre a cultura alimentar e consumo agroecológico.       

O grupo relata expectativa de aumentar a frequência dos encontros assim como o contato entre consumidores e produtores. Já é perceptível um aumento de cerca de 30% no consumo de alimentos de base ecológica a cada encontro, revelando um maior engajamento e conhecimento dos consumidores que frequentam os encontros como consequência da integração de atividades de educação.

    

Para acessar a experiência completa clique no link.   


Você no Ideias na Mesa!     

Em 2016 queremos valorizar ainda mais as experiências de Educação Alimentar e Nutricional cadastradas na rede. Assim como a Tainá Marajoara, você pode ter a oportunidade de ter sua experiência divulgada aqui no Blog. Cadastre suas experiências de EAN e compartilhe com outros usuários suas vivências, ideias e desafios. Vamos fortalecer e qualificar nossas ações pelo Brasil.



postado por Isadora Dias Nunes de Sena em Segunda-feira, 13 de Junho de 2016

Como juntar Educação Alimentar e Nutricional com distribuição de alimentos saudáveis à pessoas com insegurança alimentar e ressocialização de detentos? O [Você no Ideias] de hoje traz o "Projeto de Piscicultura", pioneiro nessa área, que acontece desde 2012 na cidade Ribeirão das Neves-MG.

Piscicultura e EAN

Em Ribeirão das Neves, onde uma significativa parte da população vive em situação de fragilidade alimentar e financeira, destaca-se o Presídio Antônio Dutra Ladeira, onde se têm desenvolvido o "Projeto de piscicultura" que une um processo de ressocialização e capacitação dos detentos com a minimização desses aspectos que afligem os habitantes da região. Pioneiro no Estado de Minas Gerais, este projeto visa a criação de peixes pelos detentos e sua doação para o Banco de Alimentos que repassa às instituições sociais mediante orientação, realização de cursos e fornecimento de material informativo sobre o armazenamento, manipulação e preparo do pescado. Além da importância nutricional dos peixes para a saúde dos beneficiados, tem-se a intenção de garantir a segurança alimentar e nutricional dos usuários das instituições. Desta forma, o projeto visa trabalhar a alimentação saudável dos cidadãos, de forma gratuita, uma vez que os peixes são doados e não vendidos.

O projeto é uma parceria da Superintendência Federal de Minas Gerais do Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA), com a Escola de Veterinária da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), a Secretaria de Estado de Defesa Social (SEDS) e o Banco de Alimentos de Ribeirão das Neves, e sua concepção, apesar de ter começado em 2006, só teve sua primeira despesca realizada em fevereiro de 2011.

Mais do que a certificação da capacitação, os detentos aprendem como tratar os animais, qual ração utilizar em cada fase da vida e como fazer a higienização do local e a retirada dos peixes. eles recebem também remuneração de um terço do salário mínimo e o direito de remissão da pena – a cada três dias trabalhados o participante pode abater um dia na sentença a cumprir. O projeto oferece oportunidades reais de ressocialização, no qual alguns detentos conseguiram empregos na área de criação de peixes após sair da detenção (a maior dificuldade de ex-detentos é a aceitação em um emprego, causada por todo estigma social existente).

O peixe tem se tornado um importante complemento alimentar na mesa dos nevenses, e como a gerente do Banco de Alimentos de Ribeirão das Neves, Maria Senhora França, explica, o pescado é um alimento nutritivo e saudável, mas, por ser caro, dificilmente está presente na dieta das pessoas mais pobres. “O pessoal vibra com a chegada das tilápias nas cozinhas das instituições e das famílias beneficiadas”, diz.

Em maio de 2016, cerca de 40 instituições, como asilos e creches, do município de Ribeirão das Neves, receberam peixes fruto do projeto. Foram quase mil quilos da espécie tilápia entregues ao Banco de Alimentos da Prefeitura.

Veja aqui como o projeto está atualmente e aqui a experiência completa cadastrada no Ideias. 


Você no Ideias na Mesa!     

Em 2016 queremos valorizar ainda mais as experiências de Educação Alimentar e Nutricional cadastradas na rede. Assim como o Banco de Alimentos de Ribeirão das Neves/MG, você pode ter a oportunidade de ter sua experiência divulgada aqui no Blog. Cadastre suas experiências de EAN e compartilhe com outros usuários suas vivências, ideias e desafios. Vamos fortalecer e qualificar nossas ações pelo Brasil.



postado por Isadora Dias Nunes de Sena em Segunda-feira, 30 de Maio de 2016

Que tal um jogo que ensine sobre EAN de forma divertida por meio da percepção dos alimentos pelos sentidos? Essa foi a proposta do jogo de tabuleiro tamanho criança, criado por estudantes de nutrição da Universidade Federal de Sergipe e aplicado em uma escola de ensino fundamental em Socorro-SE.

No tabuleiro, onde as crianças eram as próprias peças, havia casas com interrogações que continham perguntas referentes a hábitos alimentares, e casas com imagens de ‘rostos tristes’ que continham algumas informações negativas à respeito de alimentação. Além delas, havia casas dos sentidos onde ‘T’ indicava o tato - a criança vendada deveria adivinhar qual o alimento que tem em mãos -, ‘P’ indicava o paladar - a criança deveria saborear a fruta para descobri-la-, e ‘O’, o olfato - deveria cheirar para tentar adivinhar-.

Algumas perguntas foram feitas em forma de charadas para manter a atenção e a diversão das crianças, que tinham entre seis e sete anos, como por exemplo: O que é o que é, que tem escama, mas não é peixe, tem coroa, mas não é rei? R: ABACAXI.

Assim, ao final, pôde ser comprovado que o público infantil dedica mais a sua atenção quando a ação de educação em saúde é de forma lúdica e que tais crianças tinham um conhecimento prévio sobre alimentação saudável, o que resultou em um ótimo rendimento no jogo.

 

Veja a experiência completa aqui!

 


 

Você no Ideias na Mesa!     

Em 2016 queremos valorizar ainda mais as experiências de Educação Alimentar e Nutricional cadastradas na rede. Assim como a Letícia Caroline S. Oliveira, você pode ter a oportunidade de ter sua experiência divulgada aqui no Blog. Cadastre suas experiências de EAN e compartilhe com outros usuários suas vivências, ideias e desafios. Vamos fortalecer e qualificar nossas ações pelo Brasil

 



postado por Isadora Dias Nunes de Sena em Segunda-feira, 23 de Maio de 2016

Um dos princípios de EAN é a valorização da cultura alimentar local e a sustentabilidade social, ambiental e econômica. Pensando nisso o [Você no Ideias] de hoje traz a experiência que produziu o Livro de Receitas dos Agricultores de Itanhaém: "Feiras Gourmet".

Em 2011 foi implementado o Projeto Feiras Populares em Itanhaém, que é gestado com a participação de em média 30 agricultores familiares e que teve como objetivo geral a implantação de mais um Equipamento Público de Abastecimento local, buscando a geração de renda no campo, a diversificação da produção agrícola, a comercialização direta dos produtos da agricultura familiar, resgate da cultura-culinária caiçara e o estímulo à prática de agricultura natural e orgânica.

Então observou-se dois fenômenos que ocorreram simultaneamente: A percepção por parte dos agricultores da importância da diversificação da produção (antes baseada na monocultura de banana) para a sustentabilidade da Feira e a partir daí a possibilidade de revitalização de antigos hábitos alimentares locais por meio de preparações de pratos com variedade de produtos que começaram a cair no gosto dos frequentadores.

Diante disso, concebeu-se a ideia de produzir um Livro de Receitas, que pudesse traduzir toda esta transformação, e que principalmente pudesse dar maior visibilidade a esta retomada criativa da comercialização rural direta, que valorizasse a cultura gastronômica local, aumentasse significativamente o volume de venda da Feira, e que servisse de mais uma iniciativa exitosa para ações de divulgação de SAN.

O livro pode ser baixado online, e você pode acompanhar noticias da feira agrícola de Itanhaém a partir do blog.

Veja a experiência completa aqui!


Você no Ideias na Mesa!     

Em 2016 queremos valorizar ainda mais as experiências de Educação Alimentar e Nutricional cadastradas na rede. Assim como a Luciana de Melo Costa, você pode ter a oportunidade de ter sua experiência divulgada aqui no Blog. Cadastre suas experiências de EAN e compartilhe com outros usuários suas vivências, ideias e desafios. Vamos fortalecer e qualificar nossas ações pelo Brasil!



Go to page:
Observatório Opsan UNB
facebook
twitter
Layout e programação do site Identidade visual
Faça o ligin para continuar!

clique aqui