Ideias na Mesa - Blog


Posts Relacionados com a(tag):Você no Ideias

postado por Marina Morais Santos em Segunda-feira, 23 de Janeiro de 2017

No [Você no Ideias] de hoje, destacamos uma experiência de EAN realizada com alunos de Nutrição, em uma disciplina de tema muito relevante da Universidade Federal de Campina Grande: Sistemas Alimentares Sustentáveis. A partir da disciplina, foram criadas aulas práticas para que os alunos ampliassem seus horizontes para as correntes alimentares, aprendendo a respeitar as individualidades de diferentes grupos, sendo eles os da Alimentação Vegana, a Culinária Crudívora e a Alimentação com uso de PANCs (plantas alimentícias não convencionais).

As aulas práticas foram realizadas em três oficinas culinárias, onde os alunos e professora cozinhavam juntos receitas que representassem as correntes alimentares escolhidas. Além do preparo das receitas, a professora dissertava também acerca da importância de cada corrente alimentar, das individualidades de cada uma e sobre valores nutricionais daqueles alimentos. ˜Vimos que é possível se promover alimentação saudável, adequada e acessível através de cardápios diferenciados, além de contribuir para a preservação dos recursos naturais finitos." relatou Yasmin Santos de Araújo, que cadastrou a experiência na nossa Rede.

Salada de Folhas Verdes com Lentilha Germinada - Receita Crudívora


Entre as receitas realizadas nas oficinas  estão Purê de Banana Verde, Charutos de Repolho com Arroz, Suco de Limão com Capim Santo, Mexido Mineiro com Beldroega, Arroz com Bredo, Mousse de Hibisco, Salada de Flores Comestíveis e Macarrão de Abobrinha. Todas as receitas, fotos e detalhes da experiência estão disponíveis na página da experiência, que você pode acessar aqui.

Macarrão de Abobrinha - Receita Crudívora

Mousse de Hibisco - Receita com PANC

Quanto aos resultados das oficinas, Yasmin destacou: ˜Os alunos tiveram a oportunidade de vivenciar a disciplina de forma teórico prático, a experiência possibilita pôr em prática o que foi adquirido, tanto individualmente como quando estiverem atuando como profissionais da nutrição. Além de contribuir com a visão de que alimentação anda lado a lado com a sustentabilidade. ˜


Charuto de Repolho com Arroz - Receita Vegana




Em 2017 vamos continuar valorizando as experiências de Educação Alimentar e Nutricional cadastradas na rede. Assim como a Yasmin Santos de Araújo, você pode ter a oportunidade divulgar uma experiência aqui no Blog. Cadastre suas experiências de EAN e compartilhe com outros usuários suas vivências, ideias e desafios. Vamos fortalecer e qualificar nossas ações pelo Brasil! 




postado por Rafael Rioja Arantes em Segunda-feira, 16 de Janeiro de 2017

No quadro de hoje compartilhamos uma experiência realizada por alunos do curso de nutrição da Universidade Federal de Tocantins em parceria com a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) TO.

A atividade fez parte da disciplina "Prática Clínica Integrada: intervenção em grupos populacionais" e teve como objetivo levar educação alimentar e nutricional a um público ao qual ações educativas costumam ser escassas. Para tanto, o grupo de estudantes procurou conscientizar os alunos da APAE sobre a importância de uma alimentação saudável e a prática da higienização das mãos antes do consumo de alimentos. As atividades de integração foram realizadas com duração de 60 minutos e o grupo participante foi composto por 11 alunos, abrangendo a faixa etária de 15 a 35 anos.

A experiência de trocas foi dividida inicialmente em duas etapas, a primeira aconteceu em uma sala ampla da APAE para que os alunos se sentissem à vontade. Inicialmente tanto os facilitadores quanto os alunos da apae se apresentaram interagindo brevemente   para gerar empatia. Feito isso, um aluno de cada vez foi convidado para analisar os alimentos que estavam representados pelas figuras de EVA (banana, leite, bombom, pastel, suco de caixa, biscoito, bolo, queijo, maçã, abacaxi, laranja, limão, abacate, refrigerante, etc.) dispostos sobre uma mesa e escolheram dois alimentos sem intervenção de nenhum dos ministrantes.

Na segunda etapa, cada aluno deslocou-se para o centro da roda, mostrou os alimentos escolhidos, disse se os consumia e em seguida fixou as figuras em um quadro contendo dois campos para colagem, divididos em “saudáveis e não saudáveis” conforme o que eles achavam. Findada esta parte, iniciou-se uma conversa sobre a importância do consumo dos alimentos saudáveis e porque os “não saudáveis” devem sem consumidos com menor frequência, ressaltando-se os prejuízos à saúde do consumo excessivo de sal, gordura e açúcar .

Na atividade foram utilizados materiais de papelaria (E.V.A, pistola de cola quente, tesoura..), frutas in natura (mamão, laranja, abacaxi, banana, maçã, manga e melão) e potes descartáveis e talheres descartáveis.

A avaliação da atividade foi baseada na participação e interação dos alunos entre si e com a equipe de facilitadores e foi bastante positiva. Como dificuldade observou-se em alguns momentos uma dificuldade de compreensão por parte dos alunos pois estavam associando ‘alimentos saudáveis” com os que eles gostam. As atividades de Educação Alimentar e Nutricional com alunos com deficiência visual e múltipla trouxe aos acadêmicos de nutrição uma nova visão desse grupo que notou que com atenção, linguagem simples e criativa pode-se promover qualidade de vida individual e para as famílias.

Para conferir a experiência completa e outras imagens acesse aqui. 


Em 2017 vamos continuar valorizando as experiências de Educação Alimentar e Nutricional cadastradas na rede. Assim como a Fabiane Aparecida Rezende e sua equipe, você pode ter a oportunidade de ter sua experiência divulgada aqui no Blog. Cadastre suas experiências de EAN e compartilhe com outros usuários suas vivências, ideias e desafios. Vamos fortalecer e qualificar nossas ações pelo Brasil! 

    



postado por Ana Maria Thomaz Maya Martins em Segunda-feira, 09 de Janeiro de 2017

A experiência do [Você no Ideias] de hoje surgiu em 2013, mediante a preocupação das nutricionistas e profissionais da educação que notavam pouco ou nenhum interesse dos estudantes pelo consumo das saladas durante o almoço na escola. 

O nome do projeto desenvolvido é "Saladômetro" para dar a ideia de "medir o consumo de saladas", de forma que os participantes refletissem sobre o quanto de salada estão comendo e descobrissem o quanto seria ideal.

Dentre os objetivos do projeto, destacam-se:

- Incentivar o consumo de alimentos vegetais favorecendo as escolhas saudáveis durante as refeições;

- Demonstrar a importância do consumo de saladas e frutas, especialmente na hora do almoço;

- Possibilitar o contato com diferentes preparações à base de vegetais, mostrando que o sabor e aparência das saladas e frutas podem variar e ampliar suas possibilidades de consumo/aceitação;

- Conscientizar os estudantes a respeito dos cuidados com o refeitório/espaço destinado à alimentação, boas maneiras à mesa e higiene pré e pós refeições;

- Reduzir o desperdício de saladas, frutas e guarnições a base de vegetais durante o almoço nas escolas integrais.

A base do projeto é a formação continuada das professoras, articuladoras e demais profissionais das escolas que ofertam educação em tempo integral, no sentido de sensibiliza-las como multiplicadoras de informações sobre o consumo alimentar saudável e sustentável entre os estudantes da unidade educativa em que atuam.

As formações são baseadas em dinâmicas de trabalho em Alimentação Saudável realizadas com equipe multidisciplinar (professoras, nutricionistas, bióloga, entre outros) e têm como principais pontos de abordagem:

  • Elaboração de planos de ação para EAN ao longo do ano letivo
  • Visita monitorada dos estudantes ao Circuito da Alimentação Saudável no Mercado Municipal de Curitiba e Atividade de EAN na escola realizada pela Unidade Móvel de Segurança Alimentar (parcerias com Secretaria Municipal do Abastecimento)
  • Propostas de revitalização/Boas maneiras no refeitório/Autonomia no servimento dos estudantes
  • Inserção de conceitos da Educação Ambiental/Horta

A princípio, cada multiplicadora recebia também um gráfico para cada turma de sua escola, no qual as crianças colavam uma figura, sobre seu nome, sempre que consumissem todos os itens do almoço. Com o passar do tempo, notou-se que a ferramenta mais eficaz para estimular o consumo de saladas foi  fazer com que cada estudante percebesse o quanto consumia antes e o quanto passou a consumir depois de experimentar mais, produzir seu próprio alimento e receber orientações sobre alimentação saudável. A partir daí, surgiram muitas formas de “medir o consumo de salada”, como os registros fotográficos anteriores e posteriores às abordagens, murais e até mesmo o “Desperdiçômetro”, instrumento utilizado para medir a quantidade de alimentos que os estudantes descartavam e gerar reflexão.

Desde então, anualmente o projeto vêm sendo ampliado e realizado nas unidades educativas de Curitiba.

Para saber mais sobre essa experiência acesse aqui.


Em 2017 vamos continuar valorizando as experiências de Educação Alimentar e Nutricional cadastradas na rede. Assim como a Liziane Mery Laufer Rodrigues, você pode ter a oportunidade de ter sua experiência divulgada aqui no Blog. Cadastre suas experiências de EAN e compartilhe com outros usuários suas vivências, ideias e desafios. Vamos fortalecer e qualificar nossas ações pelo Brasil!




postado por Ana Maria Thomaz Maya Martins em Segunda-feira, 09 de Janeiro de 2017

O post do [Você no Ideias] de hoje apresenta uma experiência realizada em uma instituição que abriga crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social, que teve como objetivo conscientizar o público alvo sobre a importância de hábitos alimentares saudáveis de forma lúdica e divertida. 

O local de realização da experiência conta com uma horta, na qual são cultivadas hortaliças utilizadas para o consumo.

A primeira etapa da experiência envolveu esse espaço tão especial! Cada participante foi convidado a plantar uma semente na horta, assim puderam aprender sobre a forma de cultivo dos alimentos que vão à mesa. Em seguida, o grupo foi dividido em duas equipes, identificadas por fitas de TNT nas cores laranja e roxa e deu-se início a gincana.  Para cada equipe foi designada uma monitora responsável.

A primeira atividade realizada foi intitulada como: tato e paladar. Os participantes se sentaram no chão, com alternância entre participantes de cada equipe, formando um semicírculo. O primeiro participante recebeu uma bola e, enquanto a música tocava, eles a passavam de um para o outro até que o som da música fosse interrompido. O participante que estivesse segurando a bola no momento da interrupção era convidado a se dirigir a mesa para tentar adivinhar qual era o alimento apresentado, usando apenas o tato ou paladar. Neste momento, os olhos dos participantes foram vendados e suas mãos colocadas nos orifícios de uma caixa que tinha, no seu interior, uma fruta ou hortaliça. Cada acerto resultou em 1 ponto para a equipe.

A 2ª Atividade foi o semáforo das cores. A equipe montou um mural dividido em dois lados, um para cada equipe. Em cada lado havia placas, com as cores do semáforo, dispostas em colunas. As facilitadoras explicaram para as equipes o significado de cada placa:

- cor verde: alimentos liberados para consumo diário;

- cor amarela: alimentos que poderiam ser consumidos de vez em quando;

- cor vermelha: alimentos que não deveriam fazer parte da alimentação no dia a dia.

Após a explicação os participantes receberam revistas e livros, onde deveriam procurar por figuras de alimentos, e folhas brancas, onde poderiam desenhá-los, para colar no mural da sua equipe na coluna contendo a placa que julgassem correspondente para os alimentos selecionados. Ao fim da montagem do semáforo uma das monitoras verificou se os alimentos foram colados corretamente em cada placa, sendo que para cada alimento certo a equipe recebeu 1 ponto. Após a contagem da pontuação as facilitadoras debateram com os participantes sobre a montagem feita por cada equipe, demonstraram como seria a forma correta de dispor os alimentos e explicaram os benefícios dos alimentos saudáveis e prejuízos dos alimentos não saudáveis.

A 3ª Atividade foi uma brincadeira de torta na cara, na qual um participante de cada equipe, era selecionado para responder uma pergunta sobre alimentação adequada e saudável. Nessa brincadeira, quem erra a resposta leva uma torta na cara.

Foram feitas quatro perguntas, sendo elas: Devemos trocar arroz e feijão por bolachas e biscoitos? O cálcio presente no leite, iogurte e queijos é bom para deixar nossos ossos fortes? É importante comer frutas e verduras todos os dias? Devemos evitar refrigerantes, pois contém muito açúcar?

Para encerrar o dia, o grupo praticou a comensalidade e saboreou junto um galinhada,  acompanhada de salada de alface, pepino e tomate e suco de caju, para sobremesa, teve picolé de melancia.

Para saber mais sobre essa experiência acesse aqui.

Em 2017 vamos continuar valorizando as experiências de Educação Alimentar e Nutricional cadastradas na rede. Assim como a Fabiane, você pode ter a oportunidade de ter sua experiência divulgada aqui no Blog. Cadastre suas experiências de EAN e compartilhe com outros usuários suas vivências, ideias e desafios. Vamos fortalecer e qualificar nossas ações pelo Brasil!



postado por Marina Morais Santos em Segunda-feira, 19 de Dezembro de 2016

Com o Ideias na Prática, a equipe do Ideias na Mesa também realiza experiências de Educação Alimentar e Nutricional! Em parceria com a webtv Na Calçada, o Ideias realizou na Universidade de Brasília (UnB) em setembro uma intervenção chamada "Tenda da Felicidade".

O objetivo da ação foi sensibilizar as pessoas sobre alimentação saudável e sobre a influência da publicidade nas escolhas alimentares. A medida que a tenda foi sendo montada alguns passantes observavam com curiosidade, e ao longo de três horas, a ideia foi surpreendê-los com a pergunta: "Você conhece a receita da felicidade?", convidando-os a viver uma experiência cheia de conteúdo, ironia e bom humor.

A ação se propôs a mostrar o que realmente está sendo vendido por trás dessas imagens emocionais que cativam os consumidores, ou seja, a bebida em si e as complicações que seu consumo em excesso pode causar. Baseada em uma ação já realizada e divulgada pelo Center for Science in the Public Interest (CSPI) (veja aqui), ela consistiu em uma simulação, de forma interativa, do conteúdo de uma lata de refrigerante (para tal utilizou-se água com gás, corante e açúcar) seguido da explanação de informações sobre o produto e o marketing associado. Após cada apresentação, foram entregues panfletos informativos sobre açúcar e sua associação à obesidade e doenças crônicas não transmissíveis, marketing publicitário e a importância da taxação de bebidas açucaradas e experiências nesse sentido em outros países. Confira o vídeo da Tenda da Felicidade!

 

Como resultados, cabe citar as reações dos participantes durante a ação, que em sua maioria foram positivas e de surpresa: além de conseguir chamar a atenção de várias pessoas que passavam no local, houve grande interesse pelas informações passadas, e também um feedback positivo pela iniciativa. Muitas pessoas pararam para pensar sobre a questão e algumas classificaram como impactantes as informações passadas durante a Tenda. Quer saber mais sobre essa eperiência? Confira o passo a passo, fotos e resultados aqui.

Em 2016 buscamos valorizar ainda mais as experiências de Educação Alimentar e Nutricional cadastradas na rede. Você pode ter a oportunidade de ter sua experiência divulgada aqui no Blog. Cadastre suas experiências de EAN e compartilhe com outros usuários suas vivências, ideias e desafios. Vamos fortalecer e qualificar nossas ações pelo Brasil!



postado por Marina Morais Santos em Segunda-feira, 12 de Dezembro de 2016

"Dentre os fatores de risco para as Doenças Crônicas Não-Transmissíveis (DCNT), o consumo inadequado de lipídios, caracterizado principalmente pela ingestão excessiva de ácidos graxos saturados e trans, possui destaque no âmbito da saúde pública, devido à sua alta prevalência." Foi a partir disso que surgiu a ideia da ação "Sua Veia: Sua Melhor Saída" realizada pelos alunos da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

A ação, realizada com com os idosos de uma UBS do Distrito Sanitário de Venda Nova em Belo Horizonte (MG), teve como objetivo sensibilizar os participantes sobre a importância do consumo adequado de lipídios. Para isso, os alunos utilizaram instrumentos imagéticos e interativos com figuras e símbolos para apresentar os tipos de lipídios, a atuação deles no corpo humano e as consequências do consumo inadequado de gorduras para a saúde cardiovascular, orientando também sobre modos saudáveis de vida. 

A experiência contou com muita criatividade dos colaboradores e incluiu um instalação que representava uma veia, por onde os participantes podiam caminhar. O interior da veia tinha diferentes elementos que representavam as consequências do consumo inadequado de gorduras e também os efeitos dos hábitos saudáveis na saúde cardiovascular. Em outro momento, os organizadores utilizaram mangueiras para representar um esquema da evolução da placa arteriosclerótica e explicar para os participantes a relação entre o consumo de gorduras saturadas ou instaturadas com o processo saúde-doença.

O resultado da experiência foi muito positivo! Segundo Maíra Caroline Ferreira Braga, uma das organizadoras da ação, os usuários da UBS tiveram grande interesse pela atividade. "Foi identificado que os conteúdos apresentados foram problematizados e apreendidos pelo público. A utilização de estratégias que empreguem métodos demonstrativos e lúdicos e linguagem simples pode possibilitar uma melhor compreensão dos usuários do SUS, favorecendo e estimulando a adoção de hábitos alimentares saudáveis." contou Maíra.

Você quer saber mais sobre essa experiência? Então acesse-a aqui e dê uma olhada mais de perto no passo a passo e nos resultados dessa ação tão bacana!  

 

Em 2016 buscamos valorizar ainda mais as experiências de Educação Alimentar e Nutricional cadastradas na rede. Assim como a Maíra Caroline Ferreira Braga, você pode ter a oportunidade de ter sua experiência divulgada aqui no Blog. Cadastre suas experiências de EAN e compartilhe com outros usuários suas vivências, ideias e desafios. Vamos fortalecer e qualificar nossas ações pelo Brasil!



postado por Ana Maria Thomaz Maya Martins em Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

No post de hoje você vai conhecer a experiência realizada em Morro Grande, Santa Catarina, que teve como objetivos divulgar o dia mundial da alimentação, estimular hábitos alimentares saudáveis e alertar sobre o desperdício de alimentos.

Para isso, a nutricionista responsável pela alimentação escolar do município e a orientadora pedagógica, realizaram uma roda de conversa que tinha uma "caixa sensorial", como peça motivadora da conversa. Além da caixa, os pequenos experimentaram novos alimentos tentaram adivinhar o que era com os olhos vendados. 

                                 

Após esse momento, a turma se organizou para a higienização das mãos e das frutas que seriam usadas para preparar uma salada de frutas. Essa preparação foi feita pelas próprias crianças e segundo as idealizadoras da experiência, "as crianças foram ótimas na preparação da salada e já podem ser ótimos auxiliares na cozinha"!

Depois de preparar e comer a sala de frutas, as crianças foram organizadas em grupos de 6 e visitaram a cozinha para uma conversa com a merendeiras sobre a separação do lixo.  

Para encerrar o projeto foi realizado o "dia da MELECA". Nessa atividade, a nutricionista juntamente com a equipe da escola, preparam a meleca feita com farinha de trigo, amido, óleo de soja, beterraba, cenoura e sagu.

       

Para saber mais sobre a experiência e seus resultados, clique aqui!

 

Em 2016 buscamos valorizar ainda mais as experiências de Educação Alimentar e Nutricional cadastradas na rede. Assim como a ANA PAULA MAGAGNIN, você pode ter a oportunidade de ter sua experiência divulgada aqui no Blog. Cadastre suas experiências de EAN e compartilhe com outros usuários suas vivências, ideias e desafios. Vamos fortalecer e qualificar nossas ações pelo Brasil!



postado por Isadora Dias Nunes de Sena em Segunda-feira, 28 de Novembro de 2016

O Brasil é um dos países que mais desperdiçam alimentos no mundo. Grande parte dos alimentos que vai para o lixo poderia ser aproveitada como: talos, folhas, entrecascas e cascas de vegetais. Em certos casos, as partes não comumente utilizadas possuem mais nutrientes do que a própria polpa! A experiência que o [Você no Ideias] traz hoje teve como base essa problemática.

O Aproveitamento Integral dos alimentos proporciona a redução de lixo orgânico: quando os vegetais se decompõem, forma-se um líquido escuro chamado “chorume” que é altamente poluente para os rios. Além disso, enquanto se deterioram, os vegetais produzem gases que aumentam o efeito estufa.

Esta ação, que visou conscientizar e ensinar alternativas, foi promovida pelo Nasf (Núcleo de Apoio ao Programa Saúde da Família) de Cornélio Procópio, em conjunto com o Departamento de Vigilância Sanitária do Município, e com o apoio de um estudante de Gastronomia. Elaborou-se um cardápio com a Nutricionista do Nasf, e as receitas foram passadas para cidadãos dos Grupos de Atividade física do Nasf e a comunidade em geral.

Os participantes se envolveram em todas as etapas de preparo das receitas que estavam em uma apostila entregue a eles, e, ao final, houve degustação de todos os pratos. A maioria dos participantes aprovou as preparações, foram elas:

-Hambúrguer de casca de banana

-Cupcakes com talos de hortaliças

-Pizza integral com vegetais  variados

-Pizza integral de frutas com mel e canela

-Suco verde de couve, hortelã e limão

Você já parou para pensar para onde vai o seu lixo? E o quanto do que você descarta pode ser aproveitado de formas muito saborosas?

Para saber mais sobre a experiência e seus resultados, clique aqui!


 

Em 2016 queremos valorizar ainda mais as experiências de Educação Alimentar e Nutricional cadastradas na rede. Assim como a Miriam Yoshida Nishitsuji, você pode ter a oportunidade de ter sua experiência divulgada aqui no Blog. Cadastre suas experiências de EAN e compartilhe com outros usuários suas vivências, ideias e desafios. Vamos fortalecer e qualificar nossas ações pelo Brasil!



postado por Isadora Dias Nunes de Sena em Segunda-feira, 21 de Novembro de 2016

Estamos vivendo em um mundo dominado pelo consumismo, principalmente de alimentos ultraprocessados, e um público muito atingido negativamente são as crianças e adolescentes, por isso a importância e a preocupação em ensinar e aconselhar sobre uma alimentação saudável em todos os meios de vivência. Com esse propósito a experiência que o [Você no Ideias] de hoje apresenta uma Mostra Gastronômica  realizada com esse público.

Com o objetivo principal de reforçar a ligação entre a teoria e a prática os alunos trabalharam em sala de aula os nutrientes dos alimentos e os hábitos alimentares no contexto da importante fase escolar, com ênfase na ideia de que os hábitos adquiridos na infância e na adolescência são levados para a vida adulta.

O mais importante foi fazer com que as crianças passassem a dominar o conhecimento, assimilando-o de uma forma mais ampla, para assim passá-lo adiante na Mostra Gastronômica, que se organizou em forma de quatro tendas, cada uma pertencente a uma instituição de ensino diferente. Foram elas: “Oficina de Sucos”, “Cesta do Frutolino”, “Sanduíche da Vez – Cor e Sabor” e “Baú da Alimentação Saudável – O Segredo da Salada Agridoce".

Muitos alunos relataram que após o projeto, passaram a compreender a importância de se alimentarem bem e levarem isso para dentro de suas casas e para sua vida adulta.

Para saber mais sobre a experiência e seus resultados, clique aqui!


Em 2016 queremos valorizar ainda mais as experiências de Educação Alimentar e Nutricional cadastradas na rede. Assim como a Márcia Moretti, você pode ter a oportunidade de ter sua experiência divulgada aqui no Blog. Cadastre suas experiências de EAN e compartilhe com outros usuários suas vivências, ideias e desafios. Vamos fortalecer e qualificar nossas ações pelo Brasil!



postado por Isadora Dias Nunes de Sena em Segunda-feira, 14 de Novembro de 2016

Que tal ensinar crianças sobre escolhas alimentares saudáveis estimulando toda criatividade inerente á elas e as empoderando de autonomia para tal? Essa foi a proposta da experiência que o [Você no Ideias] de hoje traz.

O Projeto Sanduíche Imaginário teve uma proposta simples que primeiramente ensinou alguns princípios básicos da uma alimentação saudável para os alunos em sala e em seguida a prática de uma boa higienização das mãos, para então deixar os pequenos livres para montar sua própria refeição, nesse caso um sanduíche.

Foi proposto que criassem caricaturas nos sanduíches para tornar o momento da refeição mais prazeroso e divertido e deixá-los mais a vontade para que eles pudessem soltar sua imaginação.

Para saber mais sobre a experiência e seus resultados, clique aqui!


Em 2016 queremos valorizar ainda mais as experiências de Educação Alimentar e Nutricional cadastradas na rede. Assim como a Claudia Beatriz de Medeiros, você pode ter a oportunidade de ter sua experiência divulgada aqui no Blog. Cadastre suas experiências de EAN e compartilhe com outros usuários suas vivências, ideias e desafios. Vamos fortalecer e qualificar nossas ações pelo Brasil! 



Go to page:
Observatório Opsan UNB
facebook
twitter
Layout e programação do site Identidade visual
Faça o ligin para continuar!

clique aqui