Ideias na Mesa - Blog


Posts Relacionados com a(tag):Fotografia

postado por Isadora Dias Nunes de Sena em Quinta-feira, 10 de Novembro de 2016

No dia a dia do cozinhar muitas vezes deixamos de prestar atenção em todos os detalhes que envolvem esse contexto. Algumas minúcias escondidas que possuem, dependendo do olhar, facetas incrivelmente artísticas e belas. Pensando nisso, no [Mais que Ideias] de hoje vamos mostrar uma série fotográfica que traz um aspecto interessante de algumas misturas de alimentos cotidianas, porém vistas de um jeito inusitado: através das lentes de uma câmera fotográfica.

O projeto Bubbles foi feito em parceria pelo fotógrafo Adrian Mueller e a food stylist Takako Kuniyuki, e consiste em, com uma lente macro, fotografar algumas misturas sendo aquecidas em uma cozinha-estúdio. O resultado são imagens  surpreendentes que mostram como o ato de cozinhar pode ser alçado à categoria de arte.

Eles concentram-se em realçar as interações de ingredientes comuns que muitas vezes são negligenciados e geralmente não são imediatamente apreciados. Visando os detalhes que normalmente não vemos nem reconhecemos quando cozinhamos e comemos, a dupla se esforça para mostrar a beleza de pequenas coisas: os padrões maravilhosos que ocorrem quando diferentes ingredientes são misturados. Eles nos dão uma representação de diferentes combinações que o nariz poderia facilmente discernir, mas o cérebro não consegue traduzir visualmente do que se trata de uma forma tão direta.

Veja abaixo algumas das belas imagens, e aqui o projeto completo :

Azeite de oliva, gordura de frango, vinagre balsâmico, sal, pimenta e vinho branco

Ginger Ale, whiskey e gelo

Azeite, vinagre de sumo de maçã, vinagre de arroz e molho de soja

Vinagre de vinho tinto, cidra e azeite

Champanhe e pimenta caiena

E você, já parou pra reparar nas possiblidades e belezas artísticas das misturas alimentares?



postado por Isadora Dias Nunes de Sena em Quinta-feira, 06 de Outubro de 2016

Um importante ponto no cenário atual de combate à insegurança alimentar é o problema do alto nível de desperdício em todo sistema alimentar mundial. O mundo descarta, aproximadamente, um terço do alimento produzido globalmente, o equivalente a 1,3 bilhão de toneladas anuais. Em países como os Estados Unidos, Austrália e Inglaterra, que concentram a maior parte do desperdício no final da cadeia, o percentual descartado ultrapassa um terço da produção.

Desde 2013, quando o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) e a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) lançaram a iniciativa Save Food, diversos países têm iniciado campanhas de promoção do consumo sustentável de alimentos ou estabelecido suas próprias metas de redução das perdas e desperdício de alimento. Mais recentemente, entre os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável estabelecidos pelas Nações Unidas em 2015, destaca-se "Reduzir pela metade, até 2030, o desperdício de alimentos per capita mundial, nos níveis de varejo e do consumidor, e reduzir as perdas de alimentos nas outras etapas da cadeia agroalimentar".

Pensando nisso o [Mais que Ideias] de hoje traz o trabalho da artista Aliza Eliazarov, que tem como propósito alertar sobre o desperdício nos Estados Unidos, um dos países que mais desperdiça alimentos na etapa de consumo domiciliar. O projeto fotográfico “Waste Not” retrata a grande variedade de alimentos encontrados no lixo que, depois de fotografados, foram entregues para bancos de alimentos de Nova Iorque. Leia aqui mais sobre o assunto.

Confira aqui o resultado desse trabalho:

E você, já parou pra pensar como o desperdício está no seu dia a dia, e como você pode diminuí-lo?



postado por Rafael Rioja Arantes em Quinta-feira, 31 de Março de 2016

O que a geladeira da sua casa diz a seu respeito? Foi instigado por este pensamento que o fotógrafo Mark Menjivar, que vive no Texas, se dedicou para criação de uma série de imagens retratando diferentes aparelhos de refrigeração.

Em entrevista à revista The Splendid Table – A mesa esplêndida, livre tradução – o fotógrafo foi perguntado o porquê da escolha de fotografar geladeiras sendo que ele poderia escolher tantos outros temas. Mark contou que durante um trabalho em um documentário que participou, o assunto alimentar passou a lhe interessar. Foi quando despretensiosamente em uma tarde qualquer ele tirou uma foto do próprio freezer, e ao olhar para a fotografia tempos depois ele teve a impressão de estar observando algo que nunca tinha visto antes.

A série de fotografias já passou por diferentes países e Mark revela que tem sido uma ótima oportunidade para encontrar chefes, produtores locais e diferentes organizações para tratar com a população sobre assuntos relacionados ao sistema alimentar. Fotografar a geladeira das pessoas dentro de suas casas exige também uma certa intimidade, e Mark conta que os indivíduos permitiram a ação do fotógrafo por acreditarem na relevância do projeto.   

As fotos contêm informações breves sobre a profissão do proprietário da geladeira e alguma característica de sua personalidade ou da sua rotina. Menjivar ao ser perguntado a respeito de quais fotos e características mais chamaram sua atenção ele contou de um indivíduo com problemas mentais vivendo a margem da sociedade e em situação de insegurança alimentar. Em sua geladeira não havia quase nada, um cachorro-quente, uma embalagem de Pepsi com água e um pote de pimenta. Do outro lado do espectro, ele cita uma auxiliar de parto que tinha a geladeira repleta de vegetais comprados de produtores locais. 

A foto abaixo é um comparativo de uma geladeira de uma atendente de doceira que foi despejada de casa em virtude de seu casamento inter-racial não aceito pelos pais. Em sua casa moram 4 habitantes.  A segunda é a geladeira de um engenheiro que se preparou para receber 17 integrantes de suas famílias de descendentes italianos e de Porto Rico para um almoço.   

 

A foto a seguir mostra a geladeira de um Bar-Tender que mora sozinho e trabalha até às 8h da manhã e acordar as 16h. A segunda geladeira é de um casal onde o marido trabalha na construção civil e a esposa é dona de casa e acorda todos os dias as 4 da manhã para preparar o café para sua família com 4 membros. 

 

Estes são alguns dos exemplos que caracterizam as famílias a partir de suas geladeiras, para conferir mais obras e seus respectivos proprietários e hábitos acesse o link.




postado por Rafael Rioja Arantes em Quinta-feira, 21 de Janeiro de 2016

O [Mais que Ideias] de hoje cruza oceanos e apresenta um dos trabalhos do artista e fotógrafo neozelandês Henry Hargreaves. Nascido e criado na pequena cidade de Christchurch, Henry sempre teve a câmera como um hobby. Apesar de nunca ter estudado fotografia ele ganhou experiência no tema ao estudar e trabalhar no mundo da moda, o que possibilitou que ele fotografasse temas de seu interesse e aprendesse diferentes técnicas.

Hargreaves conseguiu projeção internacional por compor suas obras fotográficas a partir de alimentos, e conta que esta fixação começou quando ele trabalhou na indústria alimentícia antes de se tornar um fotógrafo em tempo integral. “Eu era fascinado sobre os pedidos das pessoas, e o que elas pediam falava bastante sobre as suas características e personalidade. Eu tento trazer esta ideia para dentro do meu trabalho mostrando as conexões visualmente”.

No que diz respeito às suas obras, o neozelandês costuma fazer trabalhos colaborativos com outros artistas, como é o caso de “Deep Fried Gadgets” – Aparelhos Eletrônicos Fritos, livre tradução – que apresentamos no quadro de hoje, feito em parceria com a artista Caitlin Levin.

O conceito da série é um comentário sobre a similaridade entre o consumismo tecnológico e a indústria fast-food, ambos rapidamente devorados e depois descartados por conta de nosso apetite pelo produto mais novo.

Henry relata que a motivação para este trabalho se deu em seu interesse de trabalhar com comida e a justaposição de diferentes mundos. A inspiração surgiu quando ele assistiu a um vídeo na internet em que crianças japonesas tentavam fritar um PSP (videogame portátil) e come-lo. Como se pode imaginar o plano não deu muito certo, mas Hargreaves gostou da ideia e pensou que aquilo podia ser expandido e fotografado de uma forma bela. Em suas palavras: “Eletrônicos se tornaram praticamente dispositivos sagrados, de forma que uma edição mais recente de um aparelho da apple deixa as pessoas eufóricas. Mas assim que o próximo modelo é lançado o anterior é imediatamente esquecido”.

O neozelandês consegue através desta série traduzir e correlacionar na forma de imagens dois universos distintos, mas com muitas similaridades. De um lado a massificação tecnológica que através de campanhas publicitarias nos impele a consumir os produtos como uma voracidade sem igual, e paralelamente, a indústria de alimentos que se utiliza de estratégias parecidas para nos empurrar goela abaixo produtos baratos, ultraprocessados com alta densidade energética e baixo valor nutricional.     

Para conferir os originais e outros trabalhos de Henry Hargreaves e artistas parceiros acesse a página oficial.


 



postado por Ramon da Silva Rodrigues Almeida em Segunda-feira, 05 de Outubro de 2015

Você já pensou em compilar as fotografias de suas ações de Educação Alimentar e Nutricional, unir poesia e um tico de conscientização para promover a alimentação saudável?

Temos no [Você no Ideias] a experiência realizada pela Maria Alvim em conjunto com a Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) com as crianças de creches públicas da própria cidade com o objetivo de promover hábitos alimentares saudáveis.

As atividades de EAN desenvolvidas nas ações foram registradas e transformaram-se em um livro de produção independente: Crianças à Mesa.

 

O intuito da pubicação é gerar conscientização e reflexões no leitor em relação à alimentação com base nas intervenções realizadas nas creches.

O livro é uma ótima ferramenta de divulgação, expressão artística e valorização da Educação Alimentar e Nutricional.

Além disso você pode conferir fotos incríveis das ações que compõem o conteúdo do livro, veja aqui o livro Crianças à Mesa.

Veja a experiência completa aqui!


Você no Ideias na Mesa!      

Em 2015 queremos valorizar ainda mais as experiências de Educação Alimentar e Nutricional cadastradas na rede. Assim como a Maria Alvim, você pode ter a oportunidade de ter sua experiência divulgada aqui no Blog. Cadastre suas experiências de EAN e compartilhe com outros usuários suas vivências, ideias e desafios. Vamos fortalecer e qualificar nossas ações pelo Brasil!



postado por Ideias na Mesa em Quinta-feira, 21 de Maio de 2015

Você já teve a curiosidade de saber os hábitos alimentares de grandes personalidades históricas? Ou já parou pra pensar que de alguma forma os alimentos poderiam trazer alguma característica de suas personalidades ou da época em que viveram?

Pois hoje trazemos uma série de vídeos chamada “Last Supper” criados pelo diretor inglês Gus Filgate, em que ele recria a última refeição de personagens da história, que vão do imperador romano Júlio César a Jimi Hendrix, passando pelo líder político francês Napoleão Bonaparte. 

Para o trabalho, foi feita uma pesquisa minuciosa de cada prato. No vídeo de Hendrix, por exemplo, Gus prepara o sanduíche de atum que Monika Dannemann, namorada do guitarrista, fez para seu amado antes de ele morrer.

No site do projeto, Filgate fala sobre os bastidores e curiosidades das filmagens, o que torna a experiência ainda mais legal.

Júlio César – mexilhões, camarão e cordeiro



Napoleão Bonaparte – vísceras, carnes e ovos



Jimi Hendrix – sanduíche de atum



Para assistir aos vídeos na íntegra acesse este link.

Guardando semelhança com o projeto de vídeos,  a ideia de fotografar últimas refeições de pessoas não é nova. Em 2013, o fotógrafo de comida Henry Hargreaves criou a série “No Seconds“, que mostra o pedido de presidiários no corredor da morte, antes da execução.


 



postado por Lucas Ferreira em Quinta-feira, 27 de Novembro de 2014

As férias estão chegando e com elas novas oportunidades de sair de casa, fugir da rotina do trabalho e da escola e conhecer novos lugares. Além de visitar parques, sair em viagem com a família, passear por trilhas em florestas, e descobrir novos restaurantes, muitas pessoas usam as férias para fazer visitas culturais em galerias, bibliotecas e museus. Mas ao invés de fazer um programa por dia, que tal juntar duas ideias e conhecer um museu-restaurante?

No Brasil, já existem alguns museus e exposições dedicados à alimentação. Com conceitos que vão de gastronomia e design até casas-grandes de fazendas antigas, todos os gostos são agradados com essa variedade. O Ideias na Mesa selecionou alguns para você conhecer. Dá só uma olhada:

Museu da Gastronomia Baiana

gastro baiana

Para apresentar ao mundo essa culinária tão peculiar, em agosto de 2006, o SENAC inaugurou o Museu da Gastronomia Baiana, o primeiro do gênero na América Latina. O museu faz parte do complexo SENAC Pelourinho, que possui em sua estrutura um teatro, uma arena, uma loja de souvenir e um restaurante.

gastro baiana2

A própria arquitetura do museu já impressiona, mas além de prateleiras fixas para esposição, o museu ainda apresenta exposições rotativas sobre produtos como acarajé e sobre personalidades que influenciaram diretamente no desenvolvimento desta cultura. Vale a pena entrar no site do museu, hein? 

Museu do Café

cafe museu

O café, além de fazer parte do dia dos brasileiros, foi motor importante das mudanças sociais e desenvolvimento econômico durante o estabecimento do país. A parte educativa do Museu do Café é a ponte de diálogo da instituição com seus visitantes, que leva além das exposições. O principal objetivo é transmitir a rica história do café de uma maneira simples e lúdica para o público, realizar um atendimento de excelência e fazer do Museu um reconhecido lugar de referência na propagação do aprendizado. O museu apresenta vários tipos de visitas guiadas, com orientações, encenações e histórias diferentes. Saiba mais no site do museu.

Penso logo Como

penso logo

Questionar os limites entre gastronomia e design e instigar sentidos são algumas das propostas do Como Penso Como. O Museu/Restaurante tem cardápios oferecidos para mudar o modo como o cliente se relaciona com a comida. Com propostas na linha da gastronomia molecular e temáticas culturais, como as religiões afrobrasileiras e a cultura indígena, as apresentações atraem pessoas dos mais variados locais. Conheça o projeto aqui.

Engenhos de Farinha

engenhos de farinha

Todo mundo conhece a farinha de mandioca, mas essa farinha refinada produzida em Santa Catarina com certeza tem um gostinho especial. Com produção orgânica e familiar, os Engenhos de Farinha são ricos em cultura e saber. Entre no site para saber mais, e conheça também o livro e o filme que foram lançados para divulgar as famílias produtoras e seus desafios diários.

Fazenda Babilônia 

fazenda babilonia

A Fazenda babilônia se destaca, hoje, pelo seu imenso valor histórico, preservado durante séculos. Tombada como Patrimônio Nacional e inscrita no Livro de Belas Artes, nº480, 1965, abriga o extenso casarão, em estilo colonial e diversos muros de pedras, construídos pelos escravos.

O resgate que a Fazenda babilônia oferece não se resume somente ao patrimônio e história uma vez que aos finais de semana e feriados na extensa mesa acompanhada de uma bela vista da fazenda, é servido uma fartíssima refeição composta de mais de 40 itens, o Café Sertanejo da Fazenda Babilônia. Feito com produtos da própria fazenda o café resgata receitas antigas, típicas de um Goiás rural e antigo. Não só alimenta como instrui. Agende sua visita aqui.

 

E aí,gostou da ideia? Conheça os museus e os visite! Aproveite a temporada para se planejar e aproveitar a cultura brasileira de várias maneiras diferentes, e depois nos conte como foi sua experiência. 



postado por Lucas Ferreira em Quinta-feira, 20 de Novembro de 2014

A valorização do alimento como objeto cultural e nutricional é algo que devemos exercitar, uma vez que, como reforçamos sempre aqui no Ideias na Mesa, comida é mais que um conjunto de nutrientes. 

Além de aspectos emocionais, há algo a mais que se deve apreciar nos alimentos. Primeiro, confira essa fotografia:cauboi comida 

Parece uma simples imagem do velho oeste, certo? Mas com um olhar mais demorado, você pode perceber que toda a paisagem é feita de comida! Pães, macarrão, arroz e até mesmo presunto. Tudo comida de verdade, moldada e registrada pelo fotógrafo Carl Warner.

pãoford

O artista é responsável pelo Foodscapes, uma exposição de fotos com paisagens surreais! Cada imagem conta com vários tipos de alimentos, responsáveis por dar um brilho especial a cada montagem. O fotógrafo iniciou seu projeto ao reparar em alguns cogumelos estranhos no mercado, ainda nos anos 90. 

bananabaloon

Suas primeiras obras foram além da imaginação, e contribuíram para torná-lo conhecido. Hoje, muitas marcas utilizam os trabalhos de Carl para divulgar seus produtos, e não é pra menos, certo? Confira mais algumas fotos do "Foodscapes"!

brocoliforest

Floresta de Brócolis

cucumberforest

Floresta de Pepinos

feno de coco

Pilha de Cocos



postado por Larissa Chaves Figueiredo em Terça-feira, 05 de Novembro de 2013

O fotógrafo paulistano, André François, apaixonou-se pela fotografia aos 17 anos e desde então tem realizado diversos trabalhos na área. Dentre eles, destaca-se a ImageMagica, uma Organização Não Governamental (ONG) que usa a fotografia como ferramenta para enxergar a realidade e buscar formas de melhorar o dia-a-dia. Segundo André, por meio da fotografia é possível fazer a pessoa repensar sua vida e, a partir disso, gerar mudanças. A ImageMagica foi a maneira encontrada por ele para associar comunicação e trabalho social. A ONG está com 18 anos, possui diversas parcerias com instituições, hospitais e escolas e já atingiu mais de 25 mil participantes entre jovens, adultos e adolescentes. Nos hospitais, a fotografia é utilizada para levar felicidade, já nas escolas ela ensina a mudar o comportamento dos estudantes. Nas escolas, os jovens são estimulados a fotografar os alimentos que consomem e repensarem sobre os conceitos de alimentação saudável. Os alunos também podem visitar a cozinha da instituição de ensino e conhecer as técnicas de manipulação dos alimentos fornecidos. Além disso, refletir sobre ações de cidadania também é um dos objetivos de se trabalhar com a fotografia no âmbito escolar. Confira o vídeo a seguir sobre o projeto ImageMagica e descubra inovações da fotografia: http://redeglobo.globo.com/globocidadania/videos/t/acao/v/acao-02112013-imagemagica-integra/2927156/



postado por Luiza Lima Torquato em Quarta-feira, 12 de Junho de 2013

Prezados usuários,

Informamos que o prazo para comentar e curtir as fotos do Concurso de Fotografia de Educação Alimentar e Nutricional (EAN) encerrará hoje (12/06) às 17h para apuração.

Neste horário, a Equipe do Ideias na Mesa avaliará as 5 (cinco) fotos de maior sucesso (mais curtidas) que serão premiadas com publicações.

Os nomes dos premiados serão divulgados no dia 14 de junho de 2013 no mural da página do Ideias na Mesa no Facebook, assim como, na página de notícias do site.

Se você ainda não curtiu a foto que melhor retrata práticas de EAN não perca a oportunidade. Acesse e participe! https://www.facebook.com/media/set/?set=a.441035559326280.1073741825.318100411619796&type=3.



Observatório Opsan UNB
facebook
twitter
Layout e programação do site Identidade visual
Faça o ligin para continuar!

clique aqui