Ideias na Mesa - Blog


Posts Relacionados com a(tag):Atividades

postado por Rafael Rioja Arantes em Quarta-feira, 17 de Fevereiro de 2016

Dentre os artigos publicados na última edição da Revista de Nutrição da Puccamp (jan./fev. 2016), um deles pesquisou sobre o “Impacto das ações de um programa de educação alimentar e nutricional em uma população de adolescentes”.    

O estudo foi conduzido por Juliana Baldasso, Andréa Galante e Aline Ganen, e teve como objetivo avaliar as mudanças na ingestão alimentar de adolescentes de uma ONG em São Paulo após 6 meses de intervenção. Isto foi feito a partir de estratégias no campo da educação alimentar e nutricional.

Foram acompanhados 54 jovens entre 16-19 anos de grupos de baixa renda por meio de 6 encontros com nutricionistas. Durante os encontros, foram realizadas além de ações estratégicas de comunicação e de relacionamento, coleta de dados antropométricos (peso, altura, IMC) e anamnese alimentar por meio de recordatório 24 horas e questionário de frequência alimentar para diagnosticar a qualidade da alimentação dos indivíduos.

As ações de educação alimentar e nutricional incluíram atividades como palestras, acompanhamento nutricional, workshops culinários, dinâmicas de grupo, além de estratégias de comunicação por meio de um mural de avisos com a finalidade de estreitar o contato com os estudantes.

Para avaliar a qualidade da dieta no momento pré e pós intervenção e a assimilação das atividades pelos adolescentes, os pesquisadores utilizaram o ‘Diet Quality Index’ - Índice de Qualidade da Dieta - associado com o Digital Food Guide – Guia Alimentar Digital. Além do aspecto qualitativo, o IMC foi aferido nos dois momentos para se observar possíveis mudanças na composição corporal dos indivíduos.

Os resultados do estudo demonstraram uma melhora significativa tanto na qualidade da alimentação dos estudantes – 33% melhoraram o padrão durante a semana e 37% nos finais de semana - quanto na compreensão do que viria a ser uma alimentação saudável. Os adolescentes adquiriram um maior conhecimento sobre a leitura de rótulos alimentares e aumentaram o consumo de alimentos dos grupos das leguminosas, leites e derivados, frutas e hortaliças. A ingestão manteve-se baixa para oleaginosas e cereais integrais. O IMC também apresentou uma ligeira melhora com a diminuição do grupo que se apresentou com obesidade.       

O estudo concluiu que as estratégias de educação alimentar e nutricional utilizadas se mostraram capazes de melhorar o padrão alimentar dos adolescentes, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida e prevenindo doenças. O programa apresentou-se também viável e de baixo custo.       

O artigo confirma o papel da EAN com uma importante ferramenta para aumentar a compreensão dos indivíduos acerca de uma alimentação saudável e refletir no consumo de alimentos que se enquadrem neste grupo. Desta forma, doenças associadas ao sobrepeso e a obesidade que são um problema global podem ser evitadas resultando na melhoria da qualidade de vida da população.    

Acesse o artigo em nossa biblioteca. 




postado por Ramon da Silva Rodrigues Almeida em Quarta-feira, 08 de Julho de 2015

Temos hoje na [Biblioteca do Ideias] o trabalho científico enviado por alguns usuários da nossa Rede. Essa nova seção da nossa biblioteca é direcionada a trabalhos científicos que tenham como foco a Educação Alimentar e Nutricional (EAN).

A publicação de hoje foi o trabalho de conclusão do Estágio Social d@s alun@s: Monique Tavares, Rodrigo Araujo, Beatrix Belfort e a Letícia Buenoque: Educação nutricional para crianças em uma escola pública de Vila VelhaSeu trabalho baseou-se em ações e atividades em uma escola pública de Vila Velha no Espírito Santo, visando promover o desenvolvimento de hábitos alimentares saudáveis nas crianças por meio de técnicas e atividades lúdicas sobre nutrição.

Dentre os objetivos do trabalho, era gerar reflexões estratégicas n@s professor@s, para est@s conseguirem despertar o interesse das crianças sobre o tema alimentar e assim gerar mudanças nos hábitos alimentares destas.

A educação alimentar e nutricional é o principal instrumento usado na intervenção, pois visa capacitar o indivíduo a agir conscientemente diante das situações novas da vida, relacionadas à alimentação, com aproveitamento de experiências anteriores, tendo em vista a integração, a continuidade e o progresso no âmbito social, individual ou coletivo à luz da construção de bons hábitos alimentares desde a tenra idade.

O papel desempenhado da alimentação acompanha todos os ciclos de vida dos indivíduos, portanto a idade escolar se caracteriza por um período em que a criança apresenta um metabolismo muito mais intenso quando comparado ao do adulto e é de importante relevância para o desenvolvimento de hábitos alimentares saudáveis.

Para ver o artigo completo dessa ação, veja aqui! E faça como a Monique, o Rodrigo, a Beatrix e a Letícia, envie seus trabalhos para compor nossa biblioteca. É simples, bastar preencher esse formulário aqui.

Além de fazer parte da biblioteca do Ideias, os trabalhos enviados poderão ser divulgados aqui no blog e em outras ferramentas da rede.

Participe e também convide seus alunos, professores, amigos e colegas para enviarem seus trabalhos! 



postado por Débora Castilho em Quarta-feira, 20 de Maio de 2015

Caderno Teórico e de Atividades - Educação Alimentar e Nutricional: o direito humano a alimentação adequada e o fortalecimento de vínculos familiares nos serviços socioassistenciais

O [Biblioteca do Ideias] de hoje, vem falar do material base do novo Curso da Rede Ideias na mesa - Educação Alimentar e Nutricional: Uma estratégia para promover o Direito Humano a Alimentação Adequada nos serviços socioassistenciais

O Marco de Referência de Educação Alimentar e Nutricional (EAN) para as Políticas Públicas apoia os diferentes setores de governo em suas ações de EAN para que, dentro de seus contextos, possam alcançar o máximo de resultados possíveis. E segundo o Marco a EAN é um campo de conhecimento e de prática contínua e permanente, transdisciplinar, intersetorial e multiprofissional que visa promover a prática autônoma e voluntária de hábitos alimentares saudáveis.

Pensando que esta temática pode ser realizada por diversos atores que se proponham a contribuir com a garantia do Direito Humano à Alimentação Adequada (DHAA), o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) através da Secretaria Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (SESAN) e Secretaria Nacional de Assistência Social (SNAS), elaboraram os cadernos de teoria e prática de Educação Alimentar e Nutricional visando o direito humano a alimentação adequada e o fortalecimento de vínculos familiares nos serviços socioassistenciais.

O documento tem por objetivo subsidiar o trabalho do profissional dos serviços socioassistenciais ao abordar a temática da EAN, de forma a trazer informações e reflexões fundamentais no sentido de contribuir para a qualidade de vida, a autonomia e o Direito Humano à Alimentação Adequada (DHAA), na perspectiva da Segurança Alimentar e Nutricional (SAN), das famílias atendidas pelos serviços socioassistenciais.

Os cadernos visam delinear algumas possibilidades para a abordagem da EAN nos serviços socioassistenciais. Estas abordagens podem ser desenvolvidas por meio de atividades lúdicas, pedagógicas, culturais, de lazer, planejadas de maneira articulada e permanente, visando à melhoria da qualidade de vida, o usufruto dos direitos, e ainda à autoestima, o autocuidado e a autonomia, considerando as necessidades e potencialidades das famílias do território.

Caderno teórico:

O Caderno apresenta o conceito de SAN, DHAA, Alimentação Adequada e Saudável (AAS) e os princípios das ações de EAN, na perspectiva da SAN. No capítulo seguinte, apresenta embasamento teórico para abordagem da EAN de acordo com os ciclos da vida (criança, adolescente, adulto e idoso). O conteúdo apresentado no Caderno Teórico vem para auxiliar o desenvolvimento das atividades sugeridas no Caderno de atividades. Confira o Caderno Teórico na Biblioteca do Ideias, clicando na imagem abaixo: 

 

 

Caderno de atividades:

Apresenta sugestões de atividades de EAN para a abordagem nos serviços socioassistenciais. O Caderno sugere algumas atividades, baseadas no conteúdo do Caderno teórico, que podem ser realizadas com as famílias, considerando a realidade local.  Nos serviços socioassistenciais, a temática EAN pode ser desenvolvida tanto em grupos específicos quanto intergeracionais, de maneira a favorecer mudanças alimentares voluntárias pelas famílias, quando necessário; bem como valorizar e fortalecer os hábitos alimentares saudáveis já adotados no contexto familiar, por meio da abordagem sobre os direitos, sobre segurança alimentar e nutricional e sobre as etapas do sistema alimentar (produção, abastecimento e consumo), valorização do consumo de alimentos tradicionais, produção para o autoconsumo (hortas domésticas e comunitárias), entre outros. Clique na imagem abaixo e confira o Caderno de Atividades em nossa biblioteca.

 

 

Vale ressaltar que o planejamento e abordagem da temática EAN para o fortalecimento de vínculos familiares nos serviços socioassistenciais, pode ser potencializado por meio de parcerias com setores públicos (rede de saúde, de educação, de agricultura, emprego e renda, etc.), privados (setor varejista de alimentos, setor de alimentação fora de casa, indústrias) e com a sociedade civil (cooperativas, associações, entidades comunitárias ou religiosas, conselhos, etc.).

Não deixe de conferir os Cadernos em nossa biblioteca! Divulgue e coloque em prática em sua comunidade!  



postado por Maína Pereira em Quinta-feira, 09 de Abril de 2015

guia

A partir do texto “Novo guia alimentar para a população brasileira e as repercussões na Formação do Nutricionista em Educar”, postado dia 18.03.15, pensamos em sugerir atividades que nossos alunos possam construir abordando cada um dos tópicos destacados. Como sugestão de atividade de EAN que pode ser desenvolvida a partir do primeiro tópico do texto (A escolha alimentar deve ser pelos alimentos locais e culturais, tendo como base práticas promotoras da saúde para o completo bem-estar físico, social e mental), tem-se:

- Em coletividades: Realização de uma roda de diálogo sobre cultura alimentar tentando resgatar com os participantes quais alimentos os remetem à identidade alimentar e quais os alimentos locais mais apreciados pelo grupo.

  • Para garantir um bem estar físico: Estimular a busca por informações sobre a sazonalidade de cada alimento e a construção de um mural/panfleto para orientar a escolha de compra e colheita de alimentos no período mais apropriado. Estimular o consumo de alimentos orgânicos e a construção de uma horta comunitária. Na impossibilidade de adoção destas medidas, explicar que o consumo de alimentos “de época” provavelmente trará menos agrotóxicos para o corpo. Propor um “passeio à feira” para orientar o grupo a selecionar os alimentos e debater sobre a cadeia produtiva dos mesmos. Ao retornar, criar uma oficina de higienização e acondicionamento de alimentos;
  • Para garantir um bem estar social e mental: propor a realização de concursos de receitas que utilizem alimentos locais e culturalmente aceitos pela comunidade, ou que resgatem a cultura alimentar, e se possível, realizar oficinas culinárias para o aprimoramento destas receitas, tentando torna-las ainda mais nutritivas adicionando ingredientes naturais comprados nas feiras ou reduzindo alguns ingredientes processados/ultraprocessados.

- Em ambulatório:

  • Para garantir um bem estar físico: Estimular os pacientes a descobrirem os determinantes atuais de suas escolhas alimentares e auxilia-los no entendimento que muitas vezes a pressão social e econômica influencia na perda gradativa da identidade cultural da alimentação. Estimular o resgate desta cultura alimentar e a busca pela aquisição de alimentos em feiras, preferencialmente feiras orgânicas, valorizando a produção local de alimentos e um consumo ambientalmente sustentável.
  • Para garantir um bem estar social e mental: Estimular a elaboração conjunta de refeições tradicionais de família, em família ou com amigos, mobilizando o envolvimento de todos, como uma opção de lazer alternativa ao famoso “sair para comer fora”. Propor que se faça um rodízio deste evento na casa de todos os participantes.
refeicao companhia
Imagens retiradas do Guia Alimentar para a População Brasileira (2014)



Texto elaborado pela Equipe Ideias na Mesa


postado por Ideias na Mesa em Terça-feira, 23 de Dezembro de 2014


É com alegria que a rede Ideias na Mesa encerra o ano com mais de 4400 usuários cadastrados e 118 experiências de Educação Alimentar e Nutricional (EAN) compartilhadas, além de várias atividades realizadas: missões, biblioteca, cursos, fórum de discussão, revistas exclusivas, novas colunas no blog, livro de receitas e muitas outras!

Esperamos ter contribuído para a expansão e qualificação das ações de EAN, assim como ter sido canal para inspirar maior envolvimento na área. Agradecemos cada um(a) que contribuiu com o crescimento da rede e fortalecimento da EAN no país.

Na chegada do fim do ano ficam as lembranças, agradecimentos e comemorações por um 2014 repleto de conquistas. E também as reflexões sobre os objetivos que haviam sido propostos. Quem se lembra das 14 resoluções de alimentação que sugerimos no blog em fevereiro? E aí, cumpriu alguma? Vale a pena dar uma olhada no post (aqui) para relembrar e quem sabe estabelecer outras pro próximo ano também!

Nosso desejo é que 2015 seja um ano com muitos avanços na área da Alimentação e Nutrição e que a rede Ideias na Mesa continue cumprindo sua missão de valorizar experiências de EAN em todo país e contribuir com os referenciais técnicos, conceituais e metodológicos para qualificação das ações e sujeitos envolvidos.

Estaremos em recesso entre os dias 24 de dezembro de 2014 e 11 de janeiro de 2015. Aproveite esse tempo para ver aquelas publicações e vídeos que você não pode acessar ao longo do ano e também para preparar algumas receitas do nosso novo livro (Mais que Receitas) com sua família e amigos!

E aguarde: muitas novidades estão por vir em 2015!

Boas festas e até breve!



postado por Luiza Lima Torquato em Sexta-feira, 28 de Novembro de 2014



É tempo de festa na Rede Virtual Ideias na Mesa, que comemora dois anos de existência no dia 30 de novembro! Preparamos uma série de atividades para celebrar com o público parceiro o sucesso na produção de conteúdos e na realização de inúmeras ações que vêm fortalecendo cada vez mais a prática da Educação Alimentar e Nutricional (EAN) no país.

Atualmente, contamos com 116 experiências de diversas regiões do país compartilhadas; realizamos 14 hangouts(bate-papo online) e criamos fóruns de discussões para nos ajudar a aprofundar a conversa sobre os desafios e práticas de EAN; produzimos nosso primeiro curso de autoaprendizagem sobre a EAN como estratégia para a promoção do Direito Humano à Alimentação Adequada; inauguramos nossa nova biblioteca que permitiu ampliar e organizar um grande acervo de documentos destinados à reflexão e orientação das práticas de EAN e publicamos a série de Revistas Ideias na Mesa com os temas: desperdício de alimentosobesidade e produção orgânica.

Abrimos a programação de aniversário com o lançamento da 4ª edição da Revista Ideias na Mesa que aborda mais um tema instigante: o consumo político. Essa atitude é uma forma cidadã de adquirir produtos e serviços, que estabelece relações justas e sustentáveis dentro dos processos produtivos e de comercialização. Trata-se da preferência por consumir aquilo que contribui para o bem-estar e a saúde das pessoas e do meio ambiente. 

A publicação traz entrevistas de quem vive essa prática, como os integrantes do Grupo de Consumo Rural Urbano de Diadema (SP) e do Mercado Popular de São Gabriel da Palha (ES). Também ganharam destaque as experiências compartilhadas no site Ideias na Mesa e as iniciativas públicas relacionadas ao tema. Nela, você também pode conferir entrevista com a nutricionista Elaine Azevedo sobre as repercussões do consumo político na vida das pessoas, além de dicas e fontes para pesquisa.

A celebração do aniversário continua no dia 2 de dezembroàs 11 horas, com o hangout comemorativo dos 2 anos de Ideias na Mesa. Para participar no dia, clique aqui.

Dessa vez, entraremos no ar com várias pessoas que contribuem para o desenvolvimento das ações e iniciativas da Rede. Nossos convidados são: 
- Chirle Raphaelli (Pelotas-RS), Ana Carolina Fernandes (Florianópolis-SC) e Fernanda Trigo (São Bernardo do Campo-SP) – usuárias ativas da Rede; 

- Patrícia Martins e Erika Porto (Brasília-DF) – docentes e moderadoras do fórum de professores de EAN; 

- Lucas Ferreira (Brasília-DF) – estagiário que contribuiu com o desenvolvimento do projeto Mais que Receitas; 

- Luiza Torquato e Maína Pereira (Brasília-DF) - nutricionistas da Rede.

Ainda em dezembro, vamos presentear nossos usuários com o lançamento do livro colaborativo Mais que Receitas, resultado da contribuição de internautas que partilharam conosco não só receitas, mas as histórias de pratos tradicionais que marcaram as vidas de suas famílias.

Também vem por aí mais um curso de autoaprendizagem, que tem como objetivo principal fomentar a reflexão sobre a importância da alimentação adequada e saudável na rotina de instituições socioassistenciais, contribuindo assim para a qualificação da demanda por alimentos adquiridos a partir do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA).

Somos uma Rede de compartilhamento de experiências em EAN. E outra novidade é que fizemos algumas mudanças no formulário para o envio das informações das experiências para facilitar o seu preenchimento.Após receber sugestões de usuários, simplificamos os campos discursivos para apenas três tópicos. Esses campos devem ser usados para dar uma breve descrição da iniciativa, o passo-a-passo para realização e considerações sobre os resultados e os desafios encontrados. Além disso, incluímos novos itens objetivos para contemplar outros temas e melhor caracterizar os públicos.

Para dar visibilidade aos trabalhos da Rede Ideias na Mesa e aos resultados desses dois anos de intensas atividades, temos usado os seguintes meios de comunicação: nosso site - www.ideiasnamesa.unb.br,Facebook e Twitter. Convidamos você a participar desses espaços, das nossas iniciativas e integrar esta rede, que cresce a cada dia! 

Agradecemos imensamente o apoio e a parceria e vamos celebrar!!



Observatório Opsan UNB
facebook
twitter
Layout e programação do site Identidade visual
Faça o ligin para continuar!

clique aqui